**

**

Outros Blogs do meu grupo:

*

*

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Apenas me vejo a mim!

Saio por aí
sem destino
olhando, pensando
e sentindo aquilo
que não sei explicar,
mas que sinto!

A vida que escolhi
ficou por aí
e abandonei-me
para me preocupar
com os outros
que precisassem de mim!

Saio por aí
e não encontro os outros,
apenas me vejo a mim!

José Manuel Brazão

Às vezes é necessario uma pausa na vida, a solidão enxertada; aquela sábia e necessária para nos manter vivos... Luciana Silveira 

Adorei o seu poema, que reflecte profunda solidão na procura de si mesmo.
Quem faz entrega aos outros com o propósito de vida, espontaneamente, numa doação gratuita de Amor ao próximo, sente uma chama viva de alegria dentro de si que precisa de ser exteriorizada e ao mesmo tempo reavivá-la através do bem que se faz. Esta chama nunca se apaga, é como uma vela perene, que umas vezes a chama sobe e outras desce. Há sempre momentos em que a chama precisa se recolher, ficar sem vivacidade para repousar, equilibrar, recuperar do esforço. É até fundamental que isso aconteça para que o desgaste não se revele improdutivo e vazio. É essencial um encontro consigo mesmo, saber o que se sente, o que nos rodeia, qual o nosso lugar, o que se quer. A partir daí, os caminhos tornam-se mais claros. Os nossos e os dos outros. Manuela Silva


Se Dedicar às pessoas e procurar ajudá-las é muito bom, muito bonito e caridoso...mas temos que nos amar primeiro, nos ajudar primeiro, e acima de tudo nos entender primeiro... SolBarreto 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigado pela sua visita. Deixe o seu comentário por favor.