**

**

Outros Blogs do meu grupo:

*

*

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Doces palavras (a entrega)


Quando te leio,
tuas palavras
escorrem doçura!

Mulher bela
de sorriso natural,
ternura,
dás à tua beleza
o que vai na tua alma!

Olhas-me e serenas
apenas com o meu olhar!

É apenas o olhar,
porque meu coração
é um coração sofrido!

Aguenta
com as tuas doces palavras
e a ti me entrego...

José Manuel Brazão

"A intensidade está em cada palavra dita ou sentida, a beleza está em cada olhar que procura e encontra o belo em variadas formas e cores, está no coração daquele que se permite ser, de ir, de sentir e de somar com outro coração a alegria e a magia da entrega."

Maribel


Que o amor se cante em cada palavra
que nunca se cale a beleza da mulher
que nos refaçamos em cada alvorada
que sejamos capazes de merecer o amor!

Beijo, Zé.
Vóny Ferreira

Não te vejo, não te ouço!


Não te vejo
nas palavras
e nos sorrisos!
Vestiste o silêncio,
partiste o coração
e o amor
por onde anda?

Não te ouço
a voz do coração;
mas existe o amor,
eu não desisto;
luto,
por seres o ontem,
que o hoje esqueci
e o amanhã será:
já te vejo
e já te ouço…!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Sonhavas muito....!


É bom sonhar...
E ficamos com a sensação
duma vida ideal,
mas no acordar
vimos o real
e aí
só há um caminho:
coragem e superar,
recolhendo as pedras
que encontrámos (e ignorámos)
que serão um monte de ilusões!

Caminho livre
e avançamos
renovando a Vida,
dos hábitos,
das atitudes
e até seleccionando
os Amigos
- aqueles da forma pura de amar –
e a Vida sorrirá,
o Sol abrirá
e a Lua contemplará!

Olhando para trás
veremos o tempo perdido,
mas saberemos
que todo o Tempo é tempo
de corrigir o que errámos
e ver como a Vida se tornou mais bela!

José Manuel Brazão

Esperança no perdão em nós!


Não estou capaz de sonhar,
mas de viver o que desejo
nesta Vida de instantes
que me preocupam,
com esperança em ti!

Nem sempre o Sol brilha,
nem sempre a Lua sorri,
mas caminharemos
se necessário voaremos
nas asas do amor,
e por aí
vamos à descoberta
do que desejamos
e ansiamos!

Um futuro
de fraternidade,
solidariedade
e enfim,amor!

Assim queremos
e conquistaremos!

Vivo na esperança
do perdão da Vida
em mim, em nós!

José Manuel Brazão

domingo, 29 de agosto de 2010

...a batalha é difícil mas a satisfação plena!


São gerados
por dois seres,
mas pela vida
quem cuida?
Quem vigia?
Quem dá o amor instinto?
A Mãe!

Assim tu és,
a zeladora
a todo o momento
para a sua felicidade
e um futuro risonho!

De tudo prescindes,
do amor que anseias
para ti,
do teu pão se fôr preciso
e até
própria vida darias.

Hoje
floresce a sua juventude
para na Vida ter atitude
e tu sorrires feliz
e nós te acompanharemos
nessa missão cumprida
a que chamaste:
...a batalha é difícil mas a satisfação plena!

José Manuel Brazão


Crescemos sempre na sombra da mãe e andamos na ânsia da protecção dos filhos.
Obrigada pelo momento.
bj
Eduarda

O Sol nem sempre aparece!


Nem em todas as manhãs
vejo o Sol brilhar
para meu encanto!

Aguardo pelas manhãs
em que ele me sorria,
que volte a alegria,
a esperança;
o amor
viverá em mim,
como alimento da Alma!

O Sol
nem sempre aparece,
mas um dia
ele virá
para não me abandonar,
jamais…!

José Manuel Brazão

sábado, 28 de agosto de 2010

Quero apenas...


Quero apenas
teu pensamento em mim
hoje e sempre.

Quero apenas
a tua generosidade
para minha serenidade.

Quero apenas
a tua fraternidade
neste mundo avesso.

Quero apenas viver
e não apenas existir!

José Manuel Brazão

Amor por onde andas?


Passeio
e sento-me à beira do mar.
Vejo meu corpo
reflectido na água;
um corpo só!

Vagueio
meus pensamentos,
por tanta gente
que conheço,
que eu amo!

Medito
porque vejo meu corpo
reflectido na água;
um corpo só!

Tu:
amor, por onde andas…?

José Manuel Brazão

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Amor solitário


Amo-te
solitário no meu viver!
Não importa se me amas,
se ainda me amas!

Amor
trás sofrimento,
não lamento.
Apenas relembro
para matar a saudade
da minha entrega
sem nada te pedir!

Apenas
sereno a alma,
de dar tudo
que existia em mim!

Paixão,
compreensão!

Que restou:
um corpo com
as marcas do amor
que levarão tempo
para desvanecerem…

O que ficará…
Um amor,
um grande amor,
que se tornou
num amor solitário,
mas recebendo sempre
amor solidário!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Entrega


Não me deixas ficar mais assim...
Ansioso como estou
por te ter,
com o teu coração
explodindo desejo,
pelos meus versos
escorrendo amor
que percorrem
todos os pedaços
do teu corpo
da tua alma,
enfim …
com a tua vontade
de me querer agora,
Dou-te tudo …
o amor …
este amor louco,
que me provocas
com a tua sede de me beber!

Dou-te tudo …
o que me pedires,
até me sentir dentro de ti!

José Manuel Brazão

Como uma ponte...


Vivemos tudo
o que havia em nós,
tudo o que sentimos,
a paixão, o amor,
a ajuda solidária,
que precisámos
e nos completou!

Vivemos
momentos felizes,
vendo as rosinhas florescer,
cuidando delas com amor!

Essas imagens de Vida
que rolam sem fantasias,
mas com a verdade
que demos um ao outro!

Hoje sereno
da vida que te dei,
vejo-te feliz,
por chegares
ao ponto de encontro
do teu caminho!

Assim
me senti
como uma ponte
entre o passado e o futuro
que te ajudou
a encontrar o que merecias:
uma plena felicidade!

Em caminhos paralelos,
nunca nos perderemos
de vista
e nos preocuparemos
com o futuro de cada um!

Tu aí
e eu aqui,
como sempre de braços abertos
pedindo
a nossa protecção divina!

José Manuel Brazão



você é um amigo que quero que seja mais chegado que um irmão.
Um amigo mais que especial pra mim.
Nanda Costa


Ingrid disse...
Quando somos ponte de amor, Deus abençoa sempre. Não importa o caminho trilhado.



terça-feira, 24 de agosto de 2010

As palavras que te deixo!


Sinto tristeza
e amargura
nas tuas palavras
vividas e escritas!

Procuro o teu alívio
com o carinho
e a ternura das minhas,
que são sentidas também
por alguém
que viveu amargos de boca,
desilusões,
desenganos,
que sonhou uma vida
e quando despertou,
conheceu a palavra
destino!

Até então
caminhava
por caminhar,
mas sem saber
que era o seu destino!

Hoje
mais seguro de si,
não pode apagar
o passado vivido
e começará um novo fim
com tudo o que foi
lição de vida!

E agora
perante ti
estas são
as palavras que te deixo!

José Manuel Brazão



...

As palavras que me deste
são colo em noites de inverno.
Abraços quentes em solidão
Afagos e gratidão.
Não há nelas
vazio ou janelas fechadas..
Apenas portas abertas pro infinito
portas que conduzem
a um futuro doce
ao lado do amor
esperado..
E são nessas palavras
que me fio
pra continuar
minha caminhada...

Sandra Freitas

Rosas amarelas (nunca estarei só)!


São as rosas que gostas:
rosas amarelas!

Belas
como o teu olhar,
o teu sorriso.

Belas
como os teus gestos,
as tuas atitudes.

Belas
como o teu amor!
Vejo rosas,
rosas amarelas,
ao meu redor.
O seu aroma
é o teu perfume.
Perfume que não me deixa
e, tu que não me abandonas!

*pensando no meu filho João que nasceu em 6.OUT.1972 e partiu
na viagem necessária em 24.AGO.1997*



José Manuel Brazão

Zé, palavras que emocionam,o amor fala do que o coração sente e nos sentidos que ainda estão ao rubro, canta a esperança que como uma melodia ecoa numas rosas que amarelas tecem memórias de um amor que se eternizou para além da dor.

Beijinhos e que a felicidade te inunde os sentidos.

Ele aguarda-te sorrindo por este tão belo amar que ecoa no céu azul e além dele...

Alice Barros

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Sou o teu amanhecer!


Acordas
e o Sol entra,
poisa no teu corpo,
e sentes
teu coração quente,
num amor ardente,
como sonharas
e Ele te trouxe!

Viste em mim,
que sou o teu amanhecer,
e tu e eu renasceremos
para a Vida,
rumando ao futuro,
esquecendo o passado,
vivendo o presente
e ansiando pelo futuro!

Sou o teu amanhecer
e viveremos
novas primaveras
de harmonia, paz
e amor iluminados!

José Manuel Brazão



Para ti, por ti.
Mulher que mantém comigo raízes de amor;
um amor para além da Vida!
Beijo do ZÉ

És um vulcão!


Me apago,
recuo,
Me afasto
Me oculto
Sou flôr
Carnívora
No cio
Espinhos
Que sangram
Dentes que se afiam.

Sou bem
Que só faz mal
Sou mal
que só quer bem.
Sou abraço que sufoca
Beijo que mata
Afago que
Envenena..
Olhar que contamina

Te ver feliz
de longe...
É minha sina..
..minha sina..


Sandra Freitas

[...]



Vida
muita vida,
no teu corpo e alma!

Acordas
tanto para viver
alegrias
como tristezas!

De longe
te vejo assim...


O dia passa…
a tristeza da manhã,
foi-se…
a noite é de alegria!

Na manhã seguinte
volta a ser assim...
... e não páras!

És mesmo um vulcão!

José Manuel Brazão

Doces palavras


Quando te leio,
tuas palavras
escorrem doçura!

Mulher bela
de sorriso natural,
ternura,
dás à tua beleza
o que vai na tua alma!

Olhas-me e serenas
apenas com o meu olhar!

É apenas o olhar,
porque meu coração
é um coração sofrido!

Ele aguenta tudo:
até dar amor aos outros
e eu tão carente dele!

Aguenta
com as doces palavras
de ti
e de muitos outros…

José Manuel Brazão

domingo, 22 de agosto de 2010

Deixa eu...


Deixa
na Vida
eu ser assim
quem sou!

Deixa
ser generoso
onde há egoísmo,

Deixa
ser tolerante
onde não há perdão!

Deixa
semear amor
onde ele não existe!

José Manuel Brazão


E se me deixares ser assim, como eu sou, as estrelas, vigilantes, dançarão, ao som de músicas celestiais, a alegria intensa contagiante, que envolverá todo o universo.:-))
Manuela Silva

sábado, 21 de agosto de 2010

Os sonhos que tens...


Os sonhos
que te fazem viver,
acreditar,
ter fé e esperança
num novo amanhecer,
mas que te desiludem,
quando abres os olhos
e não queres acordar!

Vive sonhando
para te alimentar a alma,
sempre atenta
Ao mundo que te rodeia,
que não é o que desejavas,
como mensageira de amor,
mas chega-te a nós
e seremos muitos
para isolar os nocivos
e a proteger
a bondade,
a generosidade,
a solidariedade,
tudo isto apenas
com a nossa sensibilidade
que está sempre em nós!

José Manuel Brazão


"Os sonhos são ilustrações... do livro que sua alma está escrevendo sobre você." (Marsha Norman)

PSIQUÊ e EU: Amigos para sempre!


Eu não escrevo palavras agradáveis, bonitas e ainda outras que gostem de ler. Mas tento praticar tudo o que vai no meu pensamento enquanto escritor!

Em tempos houve uma amiga que já estimava muito, que precisou da minha ajuda para a defender, quanto à sua dignidade e honra como Mulher!

Tudo acabou em bem e ela nunca mais deixou de me acarinhar, usar sempre a gratidão e ter vários gestos que só a enobrecem e a mim me honram como homem!

Um dos últimos gestos foi um poeminha de gratidão, que hoje aqui divulgo:


A gratidão

Caminhei no jardim florido do seu coração
tantas flores contei nele,
mas cada uma delas é unicamente especial!

Pessoa que transborda amor e compaixão.

Tens uma mão sempre estendida ao que precisa!
Jamais esquecerei que passei em sua vida
e que em minha lembrança viverás!

Tão amado amigo,
que minhas lágrimas colheu,
e delas lindos poemas nasceu.

Eu te admiro muito
e o meu carinho é imenso!

Psiquê

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Quando amanheceu dentro de ti!


Viste a minha imagem,
que te pareceu;
a luz da tua vida!

O teu Sol raiou
e saíste da noite
de solidão sem fim!

Dias
e mais dias viriam,
sem entenderes,
que eu não era o Sol,
a luz, a esperança,
mas um homem,
apenas um homem
nesta Vida,
que valorizou a Mulher
generosa
carente de compreensão,
harmonia e amor!

Tudo isso te dei
e foste a Mulher
que muito amei
para conquistares
a vida sonhada!

Tudo me deste
em gratidão,
paixão e amor,
numa entrega
dum completar o outro!
..................
..................

Passou tempo ...

... e hoje existe
o amanhecer de cada dia,
dentro de ti e de mim!

Seguiremos sempre juntos,
com uma amizade de coração,
mas com destinos diferentes,
sempre com fé e esperança
que dias melhores virão
e que nos reencontraremos
num amor para além da Vida!

José Manuel Brazão

* Para ti, para nós o poema do nosso futuro e destino *

Perdoa-me (ISA e ZÉ)



Uma adaptação do meu poema "Perdoa-me" com a colaboração da minha Colega e Amiga de coração a Poeta ISA (Retalhos).

Perdoa
este amor assim!

um amor
arrebatador,
sem limites,
mas querendo
teu corpo e tua alma!

Um amor
que sinto
sem saber explicar,
mas apenas viver
com ele
e para ele!

Porque pedes-me perdão
se este amor tirou-me do chão.


Um amor
que morrerá comigo,
porque
só eu o entendo,
só eu o sinto
e quero sofrer
Assim…

Não sofras pois esse amor
amou-me tanto que deu-me vida
Perdoe-me por sorver tanto desse amor!


Isa
José Manuel Brazão

Palco da Vida


Parecia longe da tua mão
Para juntar cada pedaço
da Vida que te escapou,
mas atento fiquei
e um a um juntei

os teus antigos desejos,
os teus presentes anseios
e fui buscar mais luz
ao fundo do tunel;
a tua Vida voltou a brilhar,
o teu amor renasceu
numa vida
que te parecia sumida,
mas não...

O palco da Vida
está aí...
reacenderam-se as luzes,
a Vida está iluminada
e tu, só tu
vês tantos espectadores
(Amigos),
sorris, ris,
para os aplausos:
Na primeira fila
estou eu gritando:
Bravo Mulher
continuemos
a Vida que Deus sabe...

José Manuel Brazão

Memória do tempo


Recordo,
as primeiras palavras;
palavras vividas
e revividas,
com saudade
da tua mocidade!

Nasceu a amizade:
envolvida em mares,
nunca navegados,
envolvida em palavras,
palavras sentidas,
cobertas de emoção,
por vezes:
vestidas de paixão!

Recordo,
muitas palavras,
de amor,
amor ao próximo,
com autenticidade
e cumplicidade,
que guardo no tempo,
na memória do tempo …


José Manuel Brazão

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Uma rosa a florir


Pouco tempo
passou
para entrares
neste planeta:
a Terra
e para felicidade
da mulher
que te pôs
neste Mundo!:

Mulher
sempre mulher,
bondosa,
carinhosa
e mimosa
para as suas rosas,
rosas da minha vida!


Cai-me lágrima,
sabendo
quanto importante
é o crescimento
e o desenvolvimento,
de uma criança!

Serão as guerreiras
do futuro (uma nova era)
que elas transformarão,
destruindo
a inveja, o ciúme,
a indiferença,
a falta de compaixão
e distribuirão
muitas pétalas de amor!


Já muito escrevi sobre o Amor, mas ao longo da minha vida neste mundo dos escritos, as crianças estarão sempre presentes, enquanto Deus me permitir escrever sobre ELAS!

O meu pensamento para todas ELAS simbolizado neste poema e em muitos outros!

O futuro espera por vós!

Beijokas do Pai, Avô e Amigo


José Manuel Brazão



Acreditaremos...


Eu queria acreditar
Que é verdade..que esse amor
residente, morador de mim
é o mesmo que te abraça
e que transborda nessas
lágrimas lentas que rolam
de ti..
Eu queria acreditar
que esse amor
vai voltar a nos embalar
naquela nuvem doce
dos nossos desejos...
mas vejo minha fé se esvair
com o sangue
incessante
da chaga aberta
em meu coração.

Sandra Freitas



[...]


Um amor como o nosso
é sempre possível!

Acreditamos no viver
que existe em nós,
que sentimos o raiar do Sol,
a luz sorridente da Lua,
a paz, a harmonia,
que trouxe este amor!

Amor impossível?

Nunca este amor
foi tão forte,
com chama,
com ajuda entre nós,
nesta união saudável
de encanto,
muito encanto,
em que acreditaremos…

José Manuel Brazão

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Vejo a Luz do Sol!


Tanto pedi,
que Ele ouviu;
o que era uma tormenta,
passou a serenidade.
Precisei de tempestade,
para ver a luz do Sol,
como há muito não via!

Só os desencontros
nos levam aos encontros:
connosco!

Quero a essência do amor,
para os que me amam,
os que se aproximem,
de mim...

Não quero confusões,
apenas Amor
e tudo, mas tudo,
que me faça viver,
com alegria a vida,
vendo a luz do Sol,
com Verdade...

José Manuel Brazão

Não queres!


Não queres…
e a esperança
ficou ferida,
a mente abalada!

Meu coração
estremeceu,
fez-se escuridão
em mim!

Tanto amor,
que dei,
dou e darei
por ti
que não queres…

Um pouco da Vida
Estilhaçou,
mas apanharei
esses bocados
para misturar
a momentos bons
que a vida nos deu!

Não queres…
eu continuo a querer
e a amar-te!

José Manuel Brazão

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Este é o meu caminho!


Sou quem sou
neste percurso da Vida;
muitos me acompanham,
me amam
e ajudam
por ser quem sou!

Não hesito
e ganho em cada dia
mais forças para o meu viver!

Minha Luz apareceu
e tanto precisava dela,
mas chegou por divina
no momento certo!

Instantes da Vida
que surgem em momentos
da minha esperança
na espera de dias melhores,
dum Sol nascente,
que de mim jamais sairá!

José Manuel Brazão

Gratidão




Gratidão

Não é frase feita,
mas sentida,
por quem sabe
o que é o amor,
o carinho, a compaixão,
a solidariedade, a dor,
a tristeza.

Tudo isto
como coisas da Vida,
que nos contempla
ou nos entristece.

Nestas horas,
existem Amigos
e aparece a gratidão,
como uma virtude,
como uma atitude
que faz :
de amigos sempre,
a frase perfeita!


Amigos sempre!

Amigos,

já não passo
sem vós!

Cada dia
quando acordo,
sorriu
porque vivo
e por ter amigos.

Grande família
Conquistada
- entre Amigos -
que me rodeia,
me conforta;
que me serena,
me dá forças,
acalenta
e me dá amor,
com seus gestos
e seus carinhos!

Que posso pedir mais?

Que Deus
me deixe continuar
o meu caminho,
sempre na companhia
do amor
e das amizades…

José Manuel Brazão

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Anjo do amor que perdeste!


Procuras um rumo,
mas com asas paradas,
não voas...
e ficas apenas
junto da tua cria!

Tiveste
um Amigo (anjo),
deste por ele,
mas depois
Ignoraste-o
e ficaste só;
apenas a tua cria!

Com a mão recusada,
com amor para dar,
quem porá tuas asas
a voar novamente...?

José Manuel Brazão

domingo, 15 de agosto de 2010

Um amor: gerámos e criámos!


Um amor vivido
por esses caminhos da Vida
em que passámos
por momentos dificeis
de vontades perdidas
e outras conquistadas.

Gerámos e criámos
os nossos seres
como filhos do Universo
e hoje contemplamos
essa árvore que aumentou;
deu outros rebentos,
que cresceram
e se preparam
para escolher o seu caminho!

Tu e eu; nós,
em caminhos diferentes,
mas sempre próximos,
não apagámos a chama;
nos compreendemos,
nos ajudamos
para sabermos viver
este amor
que só nós o entendemos!

José Manuel Brazão

Confessa!


Nasceu este amor
como gratidão ao Sol!

Iluminou
nossas almas
que andavam desavindas.

Cresce este amor,
entre lágrimas
e sorrisos.

Dei-me todo
a esta paixão,
que não pára
neste palpitante coração!

Choras,
porque o desejas,
mas …
Vestes o silêncio
e amas …

Guardas para ti
este amor,
esta paixão!

José Manuel Brazão

sábado, 14 de agosto de 2010

O que sinto e o que vejo!


Sinto em mim
uma tristeza presente,
que não me abandona
e não sei porque chegou
e se instalou!

Sonhei muito,
vivi ainda mais
e não defendi
a minha mente
das ilusões criadas,
no acreditar fácil
e na ingenuidade
que não tem idade.

Vejo em mim
trilhos para caminhar,
sem saber o que viverei
para virar minha Vida
e sair deste anoitecer
esperando e acreditando
num novo amanhecer,
que me leve a tristeza
que vive em mim!

José Manuel Brazão

Com a Poesia...


Com a poesia,
sinto alegria;
repousam os dilemas,
nascem os poemas.

Com a poesia,
param as angústias,
as tristezas,
as desilusões.
Com a poesia
nascem emoções,
mensagens de paz,
harmonia e amor.

Com a poesia
nasce a esperança
de viver
e de conhecer amigos,
amigos de verdade.
Com a poesia,
nasce a libertação,
a conversão
aos valores humanos.

Com a poesia
nasce um estilo,
uma forma de vida,
uma visão do mundo,
que leva o poeta
à descoberta:
da verdade,
da realidade,
sem palavra encoberta.

Com a poesia,
nasce a minha poesia…


José Manuel Brazão

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Um amor assim... talvez pra amanhã!


Ficou o seu cheiro em mim
Ficaram anéis dos teus cabelos
enroscados nos meus dedos.
Ficou o gosto doce do beijo eternizado
ficou o calor do teu peito
impregnado em minhas mãos.
Ficou o gozo estancado,
o gemido guardado.
O que nunca houve
Ficaram as muitas promessas
Sonhos a dois
Noites de amor
Talvez pra amanhã
Quem sabe .. depois..

Sandra Freitas



[...]

No teu acordar
em cada amanhecer,
estou junto de ti!

Desejas sentir
que não te abandono
e eu não abandonarei!

Vivo
cada momento
da nossa vida
como se fosse o último!

Vives
cada momento
como o primeiro
de muitos que hão-de vir!

Que queres de mim?

Dizes-me
com palavras sentidas,
com a voz do teu coração:

apenas isto;
carinho,
compreensão,
amor
e amor!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Não sei para onde vou...


Não sei para onde vou!
Só sei
que seja um sítio,
com paz,
harmonia
e amor.

Que se acabe a dor
que trago dentro de mim,
que volte a alegria
e que deixe para trás,
as tristezas,
as angústias.

Que relembre:
os momentos bons
a quem dei amor,
em troca de nada.

Estar bem comigo
e com Ele …

José Manuel Brazão

* Após um longo caminho ainda me pergunto se estarei no caminho certo. *



[...]

Nunca sei para onde vou
Sei que tenho o caminho
Nada sei do fim
Sei que o caminho é longo
Do caminho que pisei
Sei das esperanças
Dos rios que limpei
De impurezas do tempo
Fiz pontes, atravessei
Para o outro lado
Os amores deixei
O Amor aprendi
Sei qual o caminho
Não sei o fim

Não quero o passado
Nem os momentos percorridos
São outros caminhos
Ser agora comigo
Em harmonia e amor
É estar com Ele
É estar com o mundo
É a alegria do agora
É este o caminho.

Manuela Silva

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Te deste!


Pareço sonhar
mas existes
no tempo que vivo.
Te desejo
no meu constante
pensamento
e tu negas
sem convicção
o querer, o desejar!

Sabes
que o teu sorriso
me aproximará
e esse momento,
momento de amor
não recuará...

... sorriste
e despojada de receios
te deste...

Teu corpo
pediu o meu percorrer
e senti tua pele sedosa,
húmida, Brilhando
Como o Sol reflecte no mar!

Minhas mãos e meus lábios
sentiste,
tuas ancas dançaram
teus braços
me envolveram
nossos corpos
não mais pararam...

Te deste,
sentiste
e amaste!

O prazer aconteceu
e teus olhos disseram:
jamais esquecerás
esse momento
da nossa entrega
na hora de amor
salgado
bem temperado
como convém...

José Manuel Brazão

Esperando por mim!



És a mulher
que me compreende,
tolera, serena
e pacifica minha alma!

No teu canto do silêncio,
preocupas-te comigo,
confortando
os meus anseios,
os meus desejos
de amar
de te amar,
mas por vezes perdidos
e agora reencontrados!

És a mulher
que me perdoas,
o desencontro com a vida,
seduzido por paixões
umas vezes levianas,
de puro prazer
e nada mais!

És a mulher
enfim;
que me deseja
no teu canto do silêncio,
vagueando pelo passado,
tão recente,
que eu ia perdendo,
se não fosses um anjo,
o anjo que um dia
me apareceu
em nome da Paz
E ficou pacientemente
Esperando por mim!

De braços alongados,
envolveste meu corpo
e disseste:

Sou eu
o amor da tua vida,
confiante
e esperando por ti!

José Manuel Brazão

Eu e a Márcia: fraternidade




Já passou muito tempo que conheci Márcia Oliveira (MÁ) como tantos outros no Mundo da Poesia.

Entre muitos ficam sempre aqueles que nós tratamos como irmãos!

Márcia é o expoente máximo de dedicação: não pode sentir-me com saúde mais frágil, nem pode sentir-me triste! Tem de mim uma imagem, que porventura não serei merecedor tanto assim!

Num dado momento escreveu no site literário Luso-Poemas o seguinte:

"Já tenho a certeza de que ele traz no seu coração toda a alegria de viver. Isso é contagiante. Distribui afecto com uma facilidade ímpar. O admiro por sua bondade, generosidade e pelo carinho que me dispensa.
Não sou ninguém para fazer o que vou te dizer, mas o farei em nome da gratidão e do carinho da nossa amizade....
Deus te proteja, te abençoe e ilumine os seus passos, as suas palavras e os seus actos.

Márcia Oliveira."


Estivémos algum tempo sem nos comunicar e comecei a preocupar-me como estaria a Márcia, que não respondia às minhas mensagens!

Recentemente soube por ela que esteve doente, bastante doente (as fotos que mostrou demonstram bem isso), mas não quis preocupar-me com a sua saúde e só agora quase restabelecida achou por bem dizer-me!

Fiquei sem palavras na hora, porque de facto uma Amiga estar em sofrimento e evitar que eu como seu Amigo sofresse com isso é um gesto tão nobre, que nem encontro adjectivos para qualificar!

Este é um bom exemplo da forma mais pura de amar: a Amizade de verdade, fraterna e leal!

Por tudo isto e porque há poucas horas estivémos em contacto, este texto é mais um caso de Vida, que me orgulho de escrever e divulgar!

Como escritor disponho-me sempre a escrever sobretudo das coisas bonitas que a Vida nos concede!

que Deus te acompanhe.
Um beijo com carinho do Brazinha

José Manuel Brazão

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Os olhos do meu coração


O meu amor por ti
vem de longe,
num silêncio sereno,
de muita convicção,
só visto pelos meus olhos,
os olhos do meu coração!

Sabes desta paixão
que passou a amor,
quando senti
a tua dedicação,
admiração
por mim!

Tens o conforto
do meu pensamento em ti;
nessa hora desejas-me,
fixas a minha imagem,
sorris para ela,
apertas no teu peito,
sentindo o meu corpo
levar-te ao prazer!

Cai-te uma lágrima,
enfrentas a realidade,
de o amor nos aproximar
e o mar nos separar!

José Manuel Brazão

Como é possível?


Dois seres que se amaram e concluindo não alimentar mais esse amor, passaram a viver cada um as suas próprias vidas, esperando que o tempo se encarregasse de os aliviar dessa carga emocional e passassem a manter a forma mais pura de amar, isto é amigos entre si!

Ambos viveram momentos de se completarem; um sentia o outro como se estivessem juntos; as preocupações dum eram sentidas e vividas pelo outro; cada instante da Vida era dos dois como um só corpo e alma!

Pelo caminho apareceram os “corpos estranhos” que pretendem mexer no que está quieto. Não desejam que um homem e uma mulher vivam com paz, harmonia e amor. Tudo fazem em atitudes obscuras e mesmo vergonhosas tentar separar essas pessoas.

Se uma delas está numa fase de fragilidade, tudo se torna mais fácil para os intentos dos potenciais destruidores de almas e enfim: do amor vivido por eles.

Cada um vai para seu lado e pelo menos um deles não entende bem o que se passou.
O fragilizado fica propício a encontrar logo um motivo, mas que de facto não tem substância credível. Um amor dissolvido necessita de motivos e razões fortes, mas nunca um repentismo uni-lateral, que deixa o outro sem conhecer os factos!

Como é possível? Tudo isto é o reflexo da sociedade em que vivemos e na qual não há hipóteses das pessoas com formas de estar na vida ideais para um novo Mundo, uma nova Era de se justificarem e sensibilizarem os demais, que podem existir equívocos, erros e lembrar ainda, que devem existir valores como a compreensão, tolerância, atitudes e um Sol para todos.

Tudo isso se vai desgastando, perdendo e ficará omisso!

Assim se destroiem vidas com momentos felizes, que se tornarão irreparáveis. Histórias do quotidiano que provocam angústias, tristezas e desespero, contribuindo para uma vivência sem motivação onde a esperança, a solidariedade, a paz, a harmonia e o amor começam a ser palavras banais, vulgarizadas em vez de valores substantivos e doutrinais!

José Manuel Brazão

domingo, 8 de agosto de 2010

Um homem poeta da Vida


Um homem
com erros humanos,
mas sincero, honesto,
incompreendido,
por ser o que é,
negando
a imagem cómoda,
a vida “fácil”,
sempre
na busca
de ser quem é,
na busca
do bem,
dos momentos certos,
dos momentos felizes,
se os teve!

Um poeta,
poeta da vida,
em dias
nem sempre bem vividos,
criando
textos de encanto,
de amor, reflexões,
lavando
o corpo e alma
dos que o lêem,
tendo como reacções,
o carinho, o conforto,
a amizade,
um bem haja,
e até o amor fraterno,
neste mundo da Poesia!

José Manuel Brazão