Outros Blogs do meu grupo:

*

*

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Posso não ser ninguém no Mundo...


Não sou ninguém no mundo,
neste mundo.
Mundo caduco e envelhecido,
para muitos, mais empobrecido
de valores morais.

Não sou ninguém no mundo,
neste mundo.
Para muitos, mundo enriquecido
de invejas, arrogâncias,
cobiças e intolerâncias;
falta de amor!
Sinto tanta dor
por esta forma de viver,
que antes morrer,
do que ser alguém neste mundo.

Sonho,
vivendo a esperança
dum mundo melhor:
de harmonia e paz.

Sinto,
que nos meus pensamentos
e nos meus sentimentos,
posso ser o mundo de alguém!

José Manuel Brazão



Zé, sempre poderemos ser o mundo de alguém... Às vezes não sabemos da nossa verdadeira importância. Mudar o mundo está difícl, mas podemos mudar, sempre. Mudando, cultivamos, apresentamos o melhor do que realmente somos. E quem sabe, alguém não muda junto conosco?

Obrigada pelo carinho e pela amizade!

Beijos graciosos,

Graciele Gessner

Lágrima



Quando penso
e penso em ti,
vem a lágrima,
lágrima teimosa,
por seres generosa,
uma pedra preciosa
a decorar o meu coração!

Quando penso
e penso em ti,
vem o sonho duma paixão,
sonhada, mas por viver!

Quando penso
e penso em ti,
vem a lágrima,
lágrima teimosa,
por ver
não estares ao pé de mim!

Apenas sonho
e vem a lágrima…

José Manuel Brazão

Porque não vives?


Mulher sorridente,
doce,
de amor ardente,
porque não vives?

Tens medos,
hesitações;
agarrada ao passado,
que já passou!

No presente
liberta as amarras
que trazes contigo
e dá-te à Vida!

Mostra
que tens muito amor
para dar
e queres receber
de quem te compreenda
e te ame!

Mostra
que não queres o Outono
na tua vida
e esperas florescer
com uma primavera
de muita flor,
de muito encanto!

Mostra
que queres viver…

José Manuel Brazão

Um poema que fiz em tempos pensando numa Amiga. Hoje sinto que este poema já não tem sentido, porque vejo ela viver a vida como é merecedora disso!
Quando um Amigo vive feliz eu regozijo-me com o facto! Assim sinto!

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Amor solitário!


Amo-te
solitário no meu viver!
Não importa se me amas,
se ainda me amas!

Amor
trás sofrimento,
não lamento.
Apenas relembro
para matar a saudade
da minha entrega
sem nada te pedir!

Apenas
sereno a alma,
de dar tudo
que existia em mim!

Paixão,
compreensão!

Que restou:
um corpo com
as marcas do amor
que levarão tempo
para desvanecerem…

O que ficará…
Um amor,
um grande amor,
que se tornou
num amor solitário!

José Manuel Brazão

Pensando em ti!


Em cada momento
o meu pensamento
está em ti!

Pensando,
pensando em ti,
vejo o céu azul,
sorrindo para mim!

Pensando,
pensando em ti,
vejo o sol radiante,
com muita Luz
que me cega de amor!

Pensando,
pensando em ti,
vejo a vida
com alegria,
com outro sabor!
Doce,
simplesmente doce!

Pensando,
pensando em ti,
sinto
na minha Alma,
amor e mais amor,
sinto
no meu corpo
desejo e prazer,
pensando em ti,
somente em ti!

José Manuel Brazão

O meu sentir


Nada pior,
que olhar
e tudo parecer vão!

Uma vida
com os outros
e para os outros
e tudo
parece que não existiu!

Passeio
no deserto,
quando já não vejo rua!

Vejo
atalhos sem saída
e paro.

Onde está o meu caminho?

Pergunto
e ninguém responde!

Olho
para donde vim,
não alcanço ninguém…

Porque vivo assim?

Ninguém saberá responder…!

O poeta
que encantou os outros,
não sabe escrever um poema para si…

José Manuel Brazão

Momentos, apenas momentos na vida de cada um!

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

O eco das tuas palavras


Sinto na minha alma
o eco das tuas palavras,
palavras vividas
sofridas por uma vida
sem sentido,
sem amor,
mas com esperança!

Vida por viver,
mas sonhada!

Através dos sonhos
de cada dia,
constróis os castelos
do carinho, do amor
que deste,
mas não recebeste!

Mulher
que se dá por inteiro,
busca o caminho
para si
e para as suas rosas.

Sinto ainda
o eco das tuas palavras
envoltas em lágrimas
que lavarão o passado,
para olhares o futuro,
com ansiedade
e o direito à felicidade!

José Manuel Brazão

O meu roseiral


És a minha flor,
uma rosa amarela!

Olho o meu roseiral,
e tu és especial.
Trato as rosas,
paro ao pé de ti,
contemplo-te,
mimo-te
e protejo-te!

És a minha flor,
uma rosa amarela,
com pétalas de amor!

José Manuel Brazão

Amor crescente!


Pensar em ti
é voar por aí.
Libertar a tristeza
conquistar a alegria,
não me sentir só!

Pensar em ti
é sonhar
com a mulher cautelosa,
sensível, gentil,
generosa,
muito subtil!

Pensar em ti,
é amar
a mulher generosa,
por um amor crescente!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Porto de abrigo (Amor)


Um homem do Amor,
sempre de coração aberto,
por vezes carente dele,
mas partilhando o que tem!

Um homem do Amor,
que sentem nele,
um porto de abrigo,
de bonança
e de águas livres!

Um homem do Amor,
que procura ser feliz,
com a felicidade alheia,
estendendo a mão
onde leva o amor!

José Manuel Brazão

Porto de Abrigo

Tu és o porto de abrigo
que teimo em preservar
e só por seres meu amigo
sei que não vou naufragar...

Quem não tem na amizade
o conforto que procura,
quando acordar já é tarde
e a alma ficará escura

A riqueza que procuro
nada tem de material,
é só dar e receber
uma amizade leal,
que me preencha o vazio
das horas de solidão.
Obrigada Zé, meu amigo,
trago-te no coração.




Nanda Esteves

O teu sorriso é meu!


Sorriu
para o teu sorriso!

Encantas-me
quando apareces
e sem uma palavra,
entendo-te
pelo teu sorriso!

Sorrir
é saudável,
é carinho, afecto,
amor …

Teu sorriso é meu!

José Manuel Brazão

domingo, 27 de dezembro de 2009

Olhos do meu coração


O meu amor por ti
vem de longe,
num silêncio sereno,
de muita convicção,
só visto pelos meus olhos,
os olhos do meu coração!

Sabes desta paixão
que passou a amor,
quando senti
a tua dedicação,
admiração
por mim!

Tens o conforto
do meu pensamento em ti;
nessa hora desejas-me,
fixas a minha imagem,
sorris para ela,
apertas no teu peito,
sentindo o meu corpo
levar-te ao prazer!

Cai-te uma lágrima,
enfrentas a realidade,
de o amor nos aproximar
e o mar nos separar!

José Manuel Brazão

Eu e a Márcia


Conheci Márcia Oliveira como tantos outros no Mundo da Poesia.

Entre muitos ficam sempre aqueles que nós tratamos como irmãos!

Márcia é o expoente máximo de dedicação: não pode sentir-me com saúde mais frágil, nem pode sentir-me triste! Tem de mim uma imagem, que porventura não serei merecedor tanto assim!

Há pouco tempo escreveu o seguinte:

"Já tenho a certeza de que ele traz no seu coração toda a alegria de viver. Isso é contagiante. Distribui afecto com uma facilidade ímpar. O admiro por sua bondade, generosidade e pelo carinho que me dispensa.
Não sou ninguém para fazer o que vou te dizer, mas o farei em nome da gratidão e do carinho da nossa amizade....
Deus te proteja, te abençoe e ilumine os seus passos, as suas palavras e os seus actos.

Márcia Oliveira.
"




Beijo com carinho
José Manuel Brazão

Amigos para a eternidade (Laços de Amor)


Recordo este caminho,
de mãos dadas,
sorrindo,
felizes à nossa maneira,
entre alegrias
e tristezas,
vivemos cada dia,
como o nascer do sol!

De mãos dadas,
fortalecemos esta amizade,
linda, verdadeira,
que faz de nós
amigos para a eternidade!

José Manuel Brazão




Dedicado a uma Mulher: simplesmente Maria!

Novos caminhos


Neste grande amor,
viveram-se momentos
de paz e harmonia,
que avivavam
nossos sentimentos!

Tivémos
lições de vida,
amor distante,
mas sempre próximo:
tu aqui
e eu aí!

Sentíamo-nos!

Viste Luz,
eu serenidade
e caminhámos juntos!

Chegou a hora
de nós "partirmos"
em missões diferentes!

Momentos vividos
e não esquecidos,
que construíram
laços de amor!

Tu aí,
eu aqui
e depois…
… para além
da nossa existência!

José Manuel Brazão

sábado, 26 de dezembro de 2009

O Amor é assim...


Seguia o meu caminho,
sem destino,
mas pensando
na Luz que me guiasse!

Enquanto não apareceu
fui andando,
andando…

Parava
e olhava
e pensava
no caminho
percorrido na Vida,
nesta Vida!

Surgiu grande “pedra”
em forma de Mulher!

Fez-me parar!
Parecia
não me deixar,
nem me afastar
ou continuar!

Que desejaria ela?

Que queres “pedra”?
Porque me barras o caminho,
que desejo seguir!

Amor:
este é o encontro
do desencontro!
O Amor é assim…

Lembrou-me
o passado
que eu conhecia
e que ela viveu!

Fiquei junto dela,
recordando
o que a Vida nos dá
e que distraídos,
não compreendemos,
não agarramos,
não fortalecemos!

Mas o amor é assim…
Cega-nos
e só voltamos a ver
com a tal Luz,
quando se dá:
o encontro
do desencontro!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Natal: brilharam as estrelas!


Pela noite
passaram pela memória,
memória do tempo,
familiares,
amigos, Poetas,
gente anónima,
num desfile
de carinhos,
generosidade
e solidariedade!

Pela madrugada
vi o Céu
e as estrelas
brilharam para mim,
anunciando:
o Poeta está vivo,
o Homem renasce
para ser melhor
do que foi ontem…

José Manuel Brazão

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Natal sem vós


Noite fria,
silenciosa,
eu aqui
de corpo gelado,
mas o coração quente!

Penso,
penso muito
em noites destas,
que passaram
e não ficaram!

Penso muito
nos que partiram,
e nos que ficaram!

Penso ainda
nos que estão longe,
que me apetecia beijar,
dizer-lhes
quanto os amo,
quanta saudade
que corre em mim!

Natal
após Natal
e não verei,
quem queria!

Olho fotos
os meus olhos
sempre postos
no sorriso
de crianças…

Uma lágrima corre,
molhando a angústia,
a tristeza
no vazio do meu coração!

José Manuel Brazão


Dedicado a crianças que estão no meu pensamento.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Parti...


Parti ao encontro
de um anoitecer
que alivie minha alma,
depois de um amanhecer,
que aparecia
com um sol radioso,
mas enublou minha vida!

Nesse amanhecer,
vivi esperança,
paixão e amor.

Quando ia o Sol,
vinha o poente
e no silêncio da noite,
meu coração ficava doente!

Esse amor adormeceu,
tornou-se sono profundo,
para não acordar!

Mas acordei
e vi uma Luz,
que não era o Sol
do amanhecer,
mas um sinal
para não ir por aí…

Confiei,
errei
reflecti:
o amor é belo,
mas vivido
com bom senso,
compreensão
e entrega!

Recordei:
um amor por viver,
palavras belas
sem convicção,
promessas sem fim
em encontros
e desencontros,
nesta caprichosa vida!

Com um amor assim,
sempre em frenesim,
disse não
e parti…

José Manuel Brazão

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Desilusão


Se tenho desilusão,
já tive ilusão!

Ilusão
como um homem
que se dá,
usa boa fé,
sorriem-lhe,
é bestial,
e outras coisas tal!

No fim
olho à minha volta;
uns tantos sinceros,
outros simpáticos,
e o resto:
indiferentes
que respeito,
apenas respeito!

Serei sempre o mesmo,
com ilusões
ou desilusões!

José Manuel Brazão

Não te vejo... não te ouço!


Não te vejo
nas palavras
e nos sorrisos!

Vestiste o silêncio,
partiste o coração
e o amor
por onde anda?

Não te ouço
a voz do coração;
mas existe o amor?

luto,
por seres o ontem,
que o hoje esqueci
e o amanhã será:
já te vejo
e já te ouço…!

José Manuel Brazão

Ivone, Mãe querida!


Desde que partiste,
minha Mãe,
Ivone, Mãe querida
raro é o dia:
que não te pressinta,
não te sinta,
que não te recorde,
que não te tenha presente.
Para outros
estás ausente!

Quanto mais tempo passa,
mais recorro a ti
meu anjo da guarda
de todos os dias
da minha Vida!

Deste muito amor
e pouco recebeste!

Serás recompensada,
muito iluminada,
minha Mãe,

Ivone, Mãe querida
de todos os dias…

José Manuel Brazão



Quando se aproxima o Natal temos mais presente que nunca a Mãe, quer esteja entre nós quer já tenha partido!

domingo, 20 de dezembro de 2009

Procuro a felicidade!


Durante esta passagem pela Terra que a tenho procurado, mas não a tenho encontrado e muito menos conquistado. Já cheguei a pôr em dúvida a sua existência ou que se tratasse duma miragem, dum mito!

Lendo recentemente pensamentos de humanistas que sempre admirei, parei e reflecti sobre alguns:

“Não existe caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.”
(Mahatma Ghandi)

“Nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado: nele se encontram
todos os segredos, inclusive o da felicidade.” (Charles Chaplin)

“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.” (Francisco Cândido Xavier - Chico Xavier)


Procuro na utopia … ser feliz

Procuro sonhando
o que não encontro acordado.
Sonho com a vida
que me falta conhecer;
Sonho com as pessoas
que amo em silêncio
e que quero ajudar:
amando!
Sonho com as pessoas
que me ouçam,
me entendam.
É bom sentir-me vivo,
olhando para trás
e vendo
que não posso viver
um novo começo,
mas que posso viver
um novo fim.
Procuro na utopia,
a esperança
de ser feliz,
serenamente …

José Manuel Brazão
22.04.05

Esta vida que é um caminho percorrido por nós com muito erros, muitas distracções e, pior que isso, com invejas, intolerâncias, ódios que não contribuem para a paz e harmonia entre os Homens e, consequentemente, no Universo.
Nesta fase da minha vida resta esforçar-me por conhecer melhor o caminho (Ghandi), tentar descobrir o segredo ( Chaplin) e fazer um novo fim (Chico Xavier) e continuar a conquistar momentos felizes.

Momentos felizes, sim!

José Manuel Brazão

Adorei ler-te querido ZÉPOETA!
Olha, não te conheço pessoalmente, não sei de tua vida, dos amores, das alegrias, das solidões, das dores, das felicidades que já tiveste. Não sei de nada disso...sei apenas que já conheço-te por teus versos belissimos, tuas frases poéticas transcendentais, e falo isso de coração aberto...não generoso... mas verdadeiro!
Só sei que acho que tens uma vida inteira ainda pela frente e que o amor que vive eternamente no teu coração e na tua alma tenho a certeza que ainda te darão momentos felizes...muito felizes e que hás-de amar e ser amado como mereces...como merece alguém que tem tanto amor para dar, que escreve o amor com tanta meiguice...com tanto brilho!
te aplaudo meu querido amigo poeta e deixo aqui um beijo grande e um carinho na tua poética alma!
Celina Vasques

Vejo o Natal com as Crianças!




Rosas da minha vida

As minhas rosinhas,
rosas da minha vida,
crescem viçosas,
viradas para o Sol,
que as aquece
dando-lhes amor!

São tratadas,
com carinho
para sorrirem
num futuro azul,
como o céu!

Serão preparadas,
para repartir amor,
exalar paixão,
por quem
lhes estenda a mão
nesta magia
onde haja amor
e compaixão!

Estas rosas,
rosas da minha vida,
olhando,
vejo-as como Anjos…

José Manuel Brazão

Como um girassol


Procuro a luz
como um girassol.

Procuro a luz
que brilha o meu coração!
Parece distante,
mas está próxima...

Como um pássaro,
procuro-a:
Está dormindo,
sonhando com o mar...
O mar que a fascina,
onde tantas ondas,
deram em poemas...

Conheço esse mar
e envolvo-me
com as suas ondas;
regresso
para mais um poema:
não com rosas,
mas com girassóis!

José Manuel Brazão

Saudades desse tempo!


Tens saudades,
saudades desse tempo,
do tempo
com os filhos da Verdade (Vida),
que sofriam
num sorriso cativante;
a tua mão
pegava no pão
que era para a tua boca
e estendia-se
para essas bocas sedentas
de uma côdea!

Sentias alívio,
sorrias;
o teu coração
derramava amor
por esses filhos da Verdade,
que hoje
recordas com saudade,
paz e tranquilidade,
por essa Verdade (Vida)…

José Manuel Brazão


Poema dedicado ao coração inquietante da minha querida Amiga Cristina P. Moita

sábado, 19 de dezembro de 2009

Os meus silêncios


Existem em mim silêncios;
com um sinto-me bem,
com o outro lido mal.
O silêncio que me rodeia,
perturba-me:
pelo desapego,
pela indiferença
e quase
pela não existência.

Mas eu existo!

Enquanto não descobrirem:
quem sou,
porque sou
e para o que vim,
com este silêncio lidarei mal.

Conforto a minha existência
com o outro silêncio,
o silêncio interior!

Aí se juntam o amor e o coração,
havendo sintonia,
com outros seres de Luz,
que provocam em mim,
com persistência,
paz e harmonia.

Nem que seja por instantes,
alimenta-me a Alma;
ganho forças para continuar,
o meu Caminho,
este longo Caminho …

José Manuel Brazão

Qual solidão!!!


Sou um homem
que vive só!

Não sei
o que é solidão!
Não a alimento
nem quero
ser amigo dela!

Vivo
com o mundo
à minha volta,
com pessoas
que me dão amor…

Que mais posso pedir?

Solidão
ou não solidão,
apenas existe
nos que querem
viver esquecidos
que ainda há
o amor ao próximo!

Eu acreditarei sempre…

José Manuel Brazão

Amor provocante


Este amor
não me deixa sereno.
É provocante!

Mal acordo
avisa-me da minha agenda.
Tantos utentes
e alguns pacientes.
Que fazer?

A uns digo
as palavras do costume,
as que alimentam o seu ego!

A outros
é mais complicado.
Aquela mente
anda tão doente,
e têm o corpo
com tantas dores,
que nem eu
lhes receito amores!

Antes
amor provocante
do que amor doentio…

José Manuel Brazão

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Vou, vou por aí


Vou,
Vou por aí…

na busca do amor,
distante
e próximo!

Por vezes
na minha mão,
Outras
voa sem norte,
na procura
do que não encontra!

O amor
está sempre,
onde deve estar:
no coração de cada um…

José Manuel Brazão

O amor procura-me!


O amor,
sempre o amor!

Tenho vivido
com esta chama…

Não se apaga,
parece eterna,
como o Sol a brilhar!

Vivo
sempre com ele,
não vivo
se ele me fugir!

Mas não foge!
Procura-me.
Porquê?

Vou sempre ao seu encontro,
mas agora
ele não quer sair,
quer ficar sempre!

José Manuel Brazão

Acreditamos


Um amor como o nosso
é sempre possível!

Acreditamos no viver
que existe em nós,
que sentimos o raiar do Sol,
a luz sorridente da Lua,
a paz, a harmonia,
que trouxe este amor!

Amor impossível?

Nunca este amor
foi tão forte,
com chama,
com ajuda entre nós,
nesta união saudável
de encanto,
muito encanto,
em que acreditamos…

José Manuel Brazão

Celina Vasques belissimo teu poema querido ZéPoeta!
amei voce diz as verdades que eu penso em frases lindas e poéticas!
Obrigada por existir e ser meu amigo!
Te gosto demais!beijos meus!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

O Sol nem sempre aparece!


Nem em todas as manhãs
vejo o Sol brilhar
para meu encanto!

Aguardo pelas manhãs
em que ele me sorria,
que volte a alegria,
a esperança;
o amor
viverá em mim,
como alimento da Alma!

O Sol
nem sempre aparece,
mas um dia
ele virá
para não me abandonar,
jamais…!

José Manuel Brazão

Olhamos o Céu!


Olhamos o Céu
e agradecemos A Luz
que te trouxe até mim!

Chegaste,
sorriste,
estendi a mão,
o amor na minha mão
e disseste:
encontrei
a minha Paz,
a minha vida,
sou feliz!

Também sorri,
de novo olhei o Céu
e agradeci este amor,
que nasceu,
floresceu
e dará pétalas de amor!

Olhamos o Céu
que nos envia
muitas pétalas,
pétalas de amor!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Momentos impossíveis


O amor
existe em cada um de nós!

A paixão
leva a que o sonho,
transforme
em realidade
o amor!

Cada coração sente-o
com mais intensidade
à descoberta da felicidade;
ou de momentos felizes!

Para nós
o que parece impossível,
não é o amor!

São os momentos,
esses momentos,
que nos amarram,
nos destroem,
até ao impossível!

Corações ardentes,
pessoas distintas,
que deixam grãos de amor,
por caminhos diferentes!

José Manuel Brazão

Noite de Natal


Triste
e amargurado,
faço o meu caminho,
com mais dificuldade,
parecendo atordoado!
Estou num deserto
ao cair da noite,
não vejo ninguém,
por perto.
Olho ao meu redor,
vejo pegadas na areia.
Fico ansioso
porque as pegadas:
são as minhas pegadas.
Que dor, Senhor!
Palpita meu coração,
que procura
a minha dignidade,
não por compaixão,
mas por solidariedade.
Pura desilusão,
para quem respeita,
o amor,
o solidário amor…

José Manuel Brazão

Laurita disse...
"A solidão é um elo de ligação entre o coração e a alma"

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

UNIVERSO DA POESIA: rede de José Manuel Brazão


Desde que entrei no universo da Poesia que coloquei a mim mesmo, para além de autor lutar pelo gosto da leitura e com isso levar pessoas a escreverem!



Passados estes anos resolvi após a experiência enriquecedora com o meu Blog “No caminho das emoções”.

Ousei agora criar uma rede a que dei o nome de “Universo da Poesia” em que cada um tenha a sua própria de página de autor!

Sozinho nada farei; convosco podemos ter uma rede sã e cujo objectivo principal seja mais um local de divulgação da Poesia e incentivar os eventuais leitores a descobrirem em si a existência do escritor que andava adormecido!

De mãos dadas ajudem-me nesta cruzada e tragam Familiares e Amigos.

Beijos e Abraços
José Manuel Brazão

http://universodapoesia.ning.com/

Desespero


Quando uma pessoa está na fase de desespero é porque perdeu a esperança, o alento e por aí fora…

A sua mente está confusa e reflecte-se no próprio corpo tornando-se doentio.
Vivendo com esperança e alento ganhamos forças para enfrentar os obstáculos e as contrariedades que se nos deparam no nosso caminho (Vida).

Já passei por isso e notava que perdia o discernimento, andava perdido sem saber como dar a volta. Se era 2ª feira e tinha um caso para resolver na 4ª feira, naquele dia começava a martirizar-me sobre o assunto. Quando chegava o dia encontrava-me esgotado e sem o assunto resolvido.

Alterei a minha forma de estar na Vida e grande parte dos meus comportamentos ajudaram-me a viver!

Hoje, vivo um dia de cada vez, não pensando no ontem, mas no hoje e, amanhã logo será!

Sou um homem com esperança, mas sempre!

Agora a vida é para mim uma coisa bela e por isso, também por isso ganhei muitos afectos e carinhos de pessoas que conheço pessoalmente e de outras que apenas me contactam.

Existem pessoas que vivem muito mal, algumas até confrontadas com a miséria.

O que fazem elas: Não desesperam; esperam …

Com esperança e saudades do futuro!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Caminhemos...


Tanto caminhei,
tanto amei
e amo,
tanto ajudei
e fui ajudado!

Tanto caminhei
procurando momentos felizes,
ver os outros nesses momentos
e ficar reconfortado!

E agora?

Caminho,
caminhemos (dai-me forças!),
com paz interior,
amor, sempre amor,
até ao sorriso final!

José Manuel Brazão

A Vida e o Amor



O tempo não apagará!
Nós,
que tantos poemas
escrevemos, contando
uma linda história,
de paixão e amor,
de encantamento,
por aquilo
que nossos corações
brotavam de emoções,
sentimentos fortes,
arrebatadores
que nós
de amor carecíamos,
como o Sol de cada dia!

Momentos inesquecíveis
dessas emoções,
que reflectimos em Poesia,
que agitaram corações
em cada um
que nos leram,
nos acarinharam
e deixaram
em nós
Poetas do Amor,
um vazio,
um silêncio,
uma saudade,
mas estas duas Almas
o tempo não apagará!

José Manuel Brazão