**

**

Outros Blogs do meu grupo:

*

*

domingo, 24 de novembro de 2013

Um amor que não partiu!

Por tempos esteve adormecido
como se tivesse partido
e nós vagueando no tempo,
na Vida por aÍ...
Mas não partiu,
e deixou uma luz,
em que nada é certo;
apenas a morte!
Vi primeiro a luz,
porque em mim
a chama nunca apagou,
nunca partiu com esse amor!
Em ti sempre ficou
o pulsar do teu coração
na procura da razão,
no refúgio em silêncio,
que doi muito,
que faz sofrer
e o amor sempre atento,
nos acorda para o anseio,
que luta
com nossos corpos
e serena as nossas almas,
abrindo o caminho
para uma nova reflexão:
Um completa o outro?

José Manuel Brazão

1 comentário:

  1. ...as coisas que pensamos que se foram e estão ainda presentes, é como se o tempo tivesse parado ali mesmo onde estava....tudo permanece intacto e só cabe buscar compreender! Lindo poema!

    Abraços e um bom domingo. Aguardo sua visita

    ResponderEliminar

Muito obrigado pela sua visita. Deixe o seu comentário por favor.