Outros Blogs do meu grupo:

*

*

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

domingo, 2 de dezembro de 2018

Deixa-te estar!

Admiro a tua resignação
a tua tolerância diante da Vida,
com a esperança do momento,
do nosso momento,
do nosso encontro,
que será o ponto de partida,
para um novo ciclo de Vida
há tanto tempo almejado!

Confia no destino
até àquele abraço desejado,
mas deixa-te estar!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Abri a janela do coração

Acordei diferente
e não sabia porquê!

Dei passos pela casa.
abri janelas,
entraram brisas.
mas  fiquei assim...

Meu coração pulsou
e então abri a janela do coração!

Meu corpo e alma
reagiram como já fosse diferente
esse amanhecer fez o Sol entrar
e as nuvens cinzas desapareceram!



José Manuel Brazão

sábado, 17 de novembro de 2018

Só Deus sabe...

Vejo-me
pensando, pensando,
em momentos da Vida,
porquê?

Passar
momentos dolorosos,
em que tudo corre mal…
Passar
Momentos generosos,
em que tudo corre bem…

Equilíbrio no destino,
esperança
de dias diferentes,
um amanhã, talvez!

Só Deus sabe …

Eu espero …

José Manuel Brazão

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Mar imenso

Olho para o mar,
perco o horizonte!

Mar imenso
que nos distancia,
mas não nos afasta!

Nosso amor
conhece o mar,
navega nele
todos os dias
da nossa vida!

Não haverá
naufrágio
e chegará a bonança,
as águas acalmarão,
e o meu coração,
liberto da tempestade,
esperará com esperança,
o dia
em que o mar imenso
nos aproximará,
para sempre,
para sempre, meu amor!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Isso é o que importa

Aceitar no tempo
aquilo que vida dá de belo
e evitar aquilo que provoco
em momentos infelizes,
por impaciente,
irreverente
e confiante demais!

Nem sempre o que nos atrai
será uma luz... !



José Manuel Brazão

terça-feira, 6 de novembro de 2018

VASCO jamais vou esquecer-te!

Homem determinado,
corajoso no seu silêncio,
com alegria pela vida
que te apanhou
numa curva perigosa!

Vasco
homem de vida,
gentil,
caprichoso,
mas generoso!

Neste tempo,
muitos te choram
e eu aqui
com a saudade
de quem parte…!


José Manuel Brazão


https://www.youtube.com/watch?v=CmK-uaYFBJc





sábado, 27 de outubro de 2018

Não podes fugir

Vieste ao meu encontro:
ficaste!
Passei a viver
cada dia, cada hora,
com o reencontro.
Ganhámos afinidades,
e se não há reencontro,
sentimos saudades.

Eu estou aqui
e tu aí …
Um distante tão perto,
separado pelo tempo,
unido pelo pensamento.

Na vida,
cada um no seu caminho,
na ânsia,
dos caminhos se cruzarem.

Na vida,
cada um sonha com a felicidade,
vive com a saudade,
dum novo reencontro.
Ainda não quero partir;
não podes,
não podes fugir …


José Manuel Brazão

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

A concha

Vives nessa concha
em que sentes protecção,
mas não vives
a vida que sonhas
e desejas!

Vives um mundo
só teu,
vives um silêncio
de amor sofrido!

Um sofrimento
sem limites,
mas
o teu pensamento,
está na concha
e no coração de alguém…

José Manuel Brazão

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Sensibilidade


Nem todas as pessoas manifestam a sensibilidade tão objectivamente quanto se espera. Só aquelas que encontram ou descobrem em si, a criatividade artística, põem ao serviço do que escrevem, do que pintam, etc... esse potencial, esse dom.

Por essa razão, vivem um pouco solitárias, à espera da inspiração sensata e verdadeira, que transmitem por palavras, com o único objectivo de divulgarem ideias, alertas e muitas vezes denunciarem o caos, as assimetrias, as desigualdades, os direitos humanos, mas também divulgarem, a paz, a harmonia e o amor.

Os que escrevemos, somos pessoas vulgares, mas com a sensibilidade muito afinada, o que leva muitos dos que nos conhecem ou nos rodeiam, a não compreenderem a nossa forma de estar na vida . Pela minha parte, sou ajudado nessa matéria por duas amigas: uma de longa data e outra que conheci através do Cantinho da Poesia e passámos a ter uma lindíssima amizade, cheia de emoções e de mútua compreensão.

 Para se escrever é necessário viver bem com os nossos sentimentos. Ela já conhece tudo o que escrevi e, portanto, conhece bem o que sou e, porque sou.

Procuro transmitir aos leitores tudo aquilo que não vivo em plenitude, mas que gostaria de ser um bom mensageiro para os outros.Já vivi muitos anos nesta minha passagem pela vida, mas não me canso de melhorar o produto final do meu trabalho .

Escrever, é uma forma de generosidade e, sobre esse aspecto dar-me-ei todo, enquanto as faculdades mentais mo permitirem.
José Manuel Brazão