**

**

Outros Blogs do meu grupo:

*

*

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Do beijo desejado

Perdi-me nos teus lábios,
entre sussurros e gemidos,
minhas mãos deslizaram
pelas curvas do teu corpo;
foste cedendo
e senti dançares em mim,
neste meu corpo suado
todo o desejo
que se consumou em prazer
e começou por um beijo desejado!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Como eu desejo os teus beijos


Nestas horas do meu silêncio
em que a saudade mora no meu peito
e neste “mundo” que me rodeia
só vejo a tua imagem,
os teus susurros
o eco de te amo demais,
e sinto o teu melhor beijo!

Vem, quero teu corpo por inteiro,
nos prazeres mais intensos...

José Manuel Brazão





domingo, 19 de fevereiro de 2017

Vestes o silêncio e amas...

Nasceu este amor
como gratidão ao Sol!

Iluminou nossas almas
que andavam desavindas.

Cresceu este amor,
entre lágrimas e sorrisos.
Dei-me todo a esta paixão,
que não pára
neste palpitante coração!

Choras, porque o desejas,
mas …
Vestes o silêncio
e amas …

Guardas para ti
este amor,
esta loucura,
esta paixão...

... e a tua alma
está sempre em mim!

José Manuel Brazão


Cá dentro de mim

Cá dentro de mim
há uma saudade no coração,
sai de mim
para estas palavras,
que criam uma paz
que desejo,
procuro e agarro
e jamais a perderei!

E neste silêncio
para além dos meus olhos,
existem os teus            
que me procuram
neste momento dificil
de encontros
e desencontros
que não desejamos,
num amor vivido,
mal entendido,
mas um dia
seremos felizes
no momento certo;
de ti sairás
e em mim ficarás!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Num só corpo uma só vida

Nossas almas clamam
e os corpos se libertam
para um amor sem recuo
que sentimos, desejamos
e realizamos!

Neste amor sem fim
com horizonte
que só nós vislumbramos,
temos o Sol a raiar
e nas costas da Lua
abraçaremos este amor
num só corpo uma só vida!


José Manuel Brazão

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Da tua janela olhas esse mar...

Todas as manhãs
abres a janela da nossa Vida,
olhas esse mar e recordas
esta Lisboa que eu amo,
desejando abraçares as ondas,
que te tragam até mim
e aqui reconquistarmos
na memória do tempo
os momentos felizes
vividos e perpetuados!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

A chave do meu coração

Tento ser um romântico,
um sonhador,
um crente na Vida
e no amor!

Abri sempre o meu coração,
com sinceridade, verdade,
recebendo desilusões,
por viver ilusões;
tive encontros
e desencontros;
não culpo ninguém!

Eu escolhi os caminhos!
E neste novo trilho,
guardei a chave do meu coração,
até encontrar uma mão
divina para mim!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Esse corpo por mim amado

Vivo momentos angustiantes
de não ter-te perto de mim!
Sei que sentes o mesmo
e sofres no teu silêncio
este amor sofrido
mas vivido
como queremos amar,
sonhando
com os quereres, os sentires,
os toques, os sabores,
que um dia serão realidade
num distante que se fará próximo
e eu terei
esse corpo por mim amado!



José Manuel Brazão

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Amor sem limites

Quando  o amor
se deixa dormir,
acordo-o!

Não posso viver
sem ele a funcionar!

Muitos esperam
a minha palavra,
o meu carinho
até
a minha tolerância!

A todos acudo.
Para uns
basta a minha presença,
o meu olá,
ou um até breve!
Para outros
um conselho,
uma prece,
uma esperança.

Para mim
fica o consolo
do bem procurar
e o mal evitar!

Para mim
fica o que basta,
não importa…

dou
o amor sem limites…

José Manuel Brazão



terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Triste flor triste


Passeio pelo teu jardim,
quando preciso
de repensar
momentos da vida,
onde procuro a razão!

Olho todas as flores
e lá estás
num canto feito para ti!

Gostas de te fechar em ti!

Não aproveitas
o Sol que te ilumina
e assim te chamo:
Triste… flor triste!

Mas num destes dias,
venho com um carinho,
por este caminho,
paro, olhas para mim,
sorris e eu feliz,
não te chamarei:
triste… flor triste,
mas a rosa viçosa
do jardim do encanto,
jardim de todos os dias,
que me restam…

José Manuel Brazão

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Reflexos da Vida

São reflexos da Vida
que guardo e dou por aí...
Da Vida que me sorri,
daquela que me preocupa
e nesta vivência
de mim se aproximam
os que ouvem, reflectem
e depois serão livres
na escolha do seu caminho!

José Manuel Brazão

Olhos infinitos

Olhos
sempre os olhos
na vida de cada poeta!

Mas os teus olhos
são diferentes;
a cor que sobressai
em teu rosto
nos deixa carentes
e me lembra
em noites de luar
uma maresia de amor!

Esse azul evidente
e da cor do mar,
me leva para horizontes
sem fim!

Esses olhos marinhos
de  ti em mim,
me confortam
entre muitos carinhos!

José Manuel Brazão



Porto solidão (vida sonhada)

Sonhas,
sonhas perdidamente,
a vida que querias,
mas ainda não tens!

Olhas o passado
e recordas
as promessas da vida.

Olha em frente,
agarra a esperança,
com o coração,
com a convicção
de que o sonho
há-de ser realidade.

Um dia a Luz virá,
o teu sorriso lindo,
retornará;
e a vida sonhada,
será vida para amar …

José Manuel Brazão


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

A quem um dia se teve amor

Da janela da minha Vida
olho esse mar da ilusão,
de ondas e maresia de amor,
que me lembram
esses momentos de fervor
de amor intenso
ora sonhado
ora vivido
e agora sofrido,
deixando dor
a quem um dia
se teve amor...

... hoje olhamos
as nossas imagens,
sentimos o cheiro
desse amor
e da saudade por inteiro
em nossas almas!

José Manuel Brazão

O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo...

É fruto do amor

Quis te encontrar,
que viesses até mim
e confessaste
que já lias a minha Poesia
há muito tempo!

Aí começou o desejo
de nos cruzarmos na Vida
e a Poesia nos juntou!
Vi logo em ti
uma Mulher e uma Poeta
diferentes na palavra da Vida
e na Poética!

Naquele momento
aproveitámos todos os instantes
que estavam em nós,
onde muitos conquistámos
e outros nos fugiram!

Foste a Mulher
que me compreendeu melhor
e eu fascinado vivia cego de amor
e nem tudo via em ti!

Só mais tarde
vi quanto me querias,
quanto precisavas de mim
e o tempo corria,
e nós deixámos o tempo
ser tempo e levar-nos com destino!

Hoje com o tempo já distante,
lamentamos e perguntamos,
porque estamos no coração
um do outro,
que nos lembramos para sempre,
mas trataste tão bem o fruto do amor
com quereres e sentires
e eu não fui merecedor de o provar!

Só me resta pedir o teu perdão
por não estar junto
duma Mulher e Poeta iluminadas
e uma Psicóloga da Alma;
deixa-me guardar no meu coração,
esse fruto do amor
que o conservas ainda são!

José Manuel Brazão