**

**

Outros Blogs do meu grupo:

*

*

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

O espelho que não mente...

Olho-me em ti
como meu companheiro
de todas as horas
vivendo as minhas angústias
por erros que não apagam
por amor que se pensou bem doado
vivendo as minhas tristezas
por querer ser melhor hoje do que fui ontem
na busca de me amar
para saber amar os outros
numa luta pela Vida
sempre constante, sem dimensão...
vivendo as minhas alegrias
dum sol nascente
com raios de esperança
e pensamento seguro
num caminhar
com corpo e alma renovados
e  a mão divina
ensinando o caminho libertador!

E olhando para ti
espelho da minha Vida
pela minha face lágrimas
com mistura de verdade e esperança,
 uma força que vive em mim
e com humildade aceitar
os desígnios de Deus
num destino que em mim existe
e olhando-te meu espelho da Vida
tu nunca me mentirás!


José Manuel Brazão

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Entre o silêncio e a saudade do que se viveu!

O amor viverá em nós
pulsará nos corações,
o tempo passa,
a vida corre
e nós pensaremos
sempre:
o amor não esquece com o tempo,
divide-se entre o silêncio
e a saudade do que se viveu!

José Manuel Brazão

B

sábado, 10 de outubro de 2015

Flores de sonhos

Um amor em pleno fascínio,
que nos levava a um jardim,
jardim muito nosso,
erámos donos dele e do tempo,
por lá vagueávamos,
idealizávamos um amor perfeito,
um futuro promissor!
Deitávamo-nos no chão,
olhávamos o céu
e nele víamos flores de sonhos.

Tudo era belo diante dos olhos,
que nossas almas alimentavam
e a Vida era diferente!

Voámos sem asas
como se fossem momentos únicos!

Um dia “acordámos” em plena utopia
e encarámos com coragem,
que este nosso  amor em viagem
chegara ao fim no ponto do jardim
em que víamos o céu com as flores de sonhos!
Pela última vez as vimos
e com lágrimas nos beijámos neste amor inacabado!
... um dia nos reencontraremos neste Universo,
que desejamos de Amor, muito Amor!

José Manuel Brazão





terça-feira, 6 de outubro de 2015

Um pedaço meu

Longa vida,
entregando-me aos outros.
Uns entenderam-me.
Outros ignoraram-me!

Longa vida,
com alegrias:
o caminho era esse.
Com tristezas:
erros que não entendi.

Tenho tempo para os corrigir,
pedir o meu perdão
e perdoar aos que erram comigo.

Em cada pessoa vejo um amigo,
e depois …
As desilusões, os desencontros,
a angústia invadindo meu corpo,
palpitando o meu coração.

Renasce a esperança,
creio e vou por diante.

Há sempre um pedaço meu,
com verdade e amor,
compaixão e tolerância,
um sorriso vibrando Luz.

Um pedaço meu,
que levarei comigo,
na viagem necessária …

José Manuel Brazão