**

**

Outros Blogs do meu grupo:

*

*

sábado, 23 de maio de 2015

Um dia o amor...

Passam os dias,
nossas vidas pulsam
e nós vendo sempre
as nossas imagens
sorrindo, sorrindo
sem palavras,
mas com a sintonia
ansiada em nossas Almas!

Um dia, um dia será
aquele que voltará
ao dia que nos cruzámos
e ficou em nós
um dia, o Amor!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Uma saudade que ficará!

Não queria alimentar
esta saudade constante,
mas ela não me deixa
como parte do meu amor!

Adormeço e amanheço
tendo ela como companheira
fiel dos meus dias,
que provoca em mim
uma nostalgia para viver
e comigo morrer!

Assim  viverá
no meu destino
na Vida e na Poesia
uma saudade que ficará...

José Manuel Brazão

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Serei eu!

Serei eu
somente eu
quem procuras 
para aliviar tua alma
que está nua diante da Vida
e ajudarei teus passos
serem firmes na tua libertação,
porque te sentias prisioneira
sem grades no coração,
mas com medos
de reviver um grande amor!

A Vida mostra
que todo o tempo é tempo
de veres o lado bom da Vida!

Serei eu
o presente e o futuro
e jamais o passado!


José Manuel Brazão

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Sinto o que está em ti!

Teu amor
é cada parte de mim...
aloja-se em meu corpo
acomoda-se na minha alma
e mesmo sem juras
sinto esse grande amor
com que vagueamos na Vida
e neste silêncio
nossos olhares convencem;
 denunciamos tudo
o que só nós entendemos!

José Manuel Brazão

sábado, 16 de maio de 2015

Não há vontade que se acabe!



Vivo em ti
mesmo que a Vida
nem sempre esteja próxima!

No teu corpo escondes
o que te vai na alma,
amor cúmplice
e um coração
que vive junto do meu!

Corpos que se consolam
nos momentos só nossos,
que sonham com o belo da Vida,
com o momento certo
e seus corações clamam:
não há vontade que se acabe!

 José Manuel Brazão

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Nosso abraço

Dou passos,
olhando a calçada,
paro;
quem vejo ao longe?
A tua imagem,
aproximo-me mais,
mais depressa,
não é a tua imagem;
és tu!

Reconheces-me
e corremos um para o outro.
Abraçamo-nos muito,
tão longo!
Olhamo-nos,
fixas os meus olhos,
gostas da sua cor.

Não paramos de olhar,
vejo teus lábios mexerem,
para esboçar um sorriso,
sorriso lindo, lindo.

Não nos apetece sair dali,
não queremos desencontros,
mas estejamos onde estivermos,
existe um ponto de encontro,
a sintonia e o abraço.

José Manuel Brazão



quarta-feira, 13 de maio de 2015

Espero-te...

Todos os dias,
espero-te.

Passam as horas,
parecem-me longas!
Chegas, dizes-me “olá”,
dás-me um beijo
de amor e de saudade.

Sentas-te no chão
e poisas a cabeça
no meu peito;
pedes-me mimos
e eu dou!

Sou homem de paixão
que olha para ti
e emociono-me
pela beleza que mimo;
acaricio o teu corpo,
ficas serena,
olhas para mim
e vejo os teus olhos
brilhantes, húmidos
e com lágrimas.

Que tens?
Sorris e dizes-me:
São lágrimas de amor
e de alegria!

Também preciso de ti
e espero-te sempre…

José Manuel Brazão


Saudades de mim!

Sinto saudades
da vida que tive
e que não se repete,
do que fui e já não sou,
de instantes que perdi,
momentos que não esqueci
de paixão e amor
guardados no meu peito,
num coração que ainda pulsa...

José Manuel Brazão

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Coração de Mulher


Todos te olham,
todos te admiram.
Uns pela beleza exterior,
outros pela beleza interior.
Esta é infindável,
pelo encanto que transmites,
pelo amor que partilhas,
sem nada pedir.
Dar, dar e dar,
que te cria desilusões,
angústias.

Mulher ternurenta,
quase desistes,
pelos teus sonhos;
brotas lágrimas
como se fosse noite.
Atrás de cada noite,
virá um novo dia.

Numa dessas manhãs,
terás um sol nascente,
com tanta luz,
que encontrarás o caminho
que tanto procuras.

Caminho muito iluminado,
pelo teu coração,
coração de mulher.



José Manuel Brazão

Lembra de mim...

Lembra de mim
mulher da minha Vida,
dos momentos felizes,
dos momentos de glória,
dos momentos
de paixão e amor,
dos viveres
de alegria e tristeza,
dos sentires
de paz, harmonia
e amor!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 8 de maio de 2015

O que vejo em mim!

A vida é caprichosa,
nem sempre generosa,
mas sempre carinhosa!

O que vejo em mim?

Tenho a vida
como um caminho
onde procuro Luz,
encontrar-me:
viver o que não vivi,
amar quem não amei,
corrigir o que não corrigi,
estar ao lado dos fracos,
dos que não têm voz
e esperar…

Com fé e esperança,
Ele há-de sorrir-me,
proteger-me,
orientar-me!

Pareço não ter nada
e tenho tudo…
pão e amor!

José Manuel Brazão

terça-feira, 5 de maio de 2015

Nos sentimos tão perto...



Pela janela olho a chuva,
os pingos parecem lágrimas!
Lágrimas da saudade
de não estar junto de ti!

Penso e repenso
a luz que sentiria
ao ver aproximar
o teu corpo do meu!

Abraçar-te, beijar-te,
dizer quanto te amo
e irmos
até ao lago da paixão!

Lago dos nossos desejos
e prazeres, dos nossos sonhos
que viraram realidades,
num tempo e momentos felizes!

Deixo de olhar a chuva;
continuo só,
apenas pensando…

… tu e eu nos sentimos…
tão perto!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Amor... só amor!

Somos
eternos amigos,
companheiros
e amantes!

Sinto-te
a qualquer hora,
em todos os instantes,
neste lindo amor,
como nunca tive!

Amor com desejo,
deixando
para outro momento,
o prazer…

Sentes
a confiança que precisas,
o conforto do meu olhar,
das minhas palavras!

Muito nos separa,
muito nos une,
mas
tu és minha!

José Manuel Brazão

domingo, 3 de maio de 2015

Minha Mãe em poesia - DIA DA MÃE em Portugal


Ivone, Mãe querida

Desde que partiste,
minha Mãe,
Ivone, Mãe querida
raro é o dia:
que não te pressinta,
não te sinta,
que não te recorde,
que não te tenha presente.
Para outros
estás ausente!

Quanto mais tempo passa,
mais recorro a ti
meu anjo da guarda
de todos os dias
da minha Vida!

Deste muito amor
e pouco recebeste!

Serás recompensada,
muito iluminada,
minha Mãe,

Ivone, Mãe querida
de todos os dias…


MÃE, apenas por um véu!

Vi-te
e não acreditei!

Apelei
para me falares!
Apareceste
através das palavras!

Dissemos
um ao outro,
como caloroso
e carinhoso
é o nosso amor!

Dissemos adeus
Separados
Mãe,
apenas por um véu…


Mãe, preciso tanto de ti!

Há tanto tempo,
que te vi partir
e naquele momento
dissemos adeus
com um “até sempre”!

Há tanto tempo,
que a espera
do “até sempre”
tarda!

Aflita
para que nada aconteça!
Feliz
pelo bom que me apareça!

Há tanto tempo
e os anos passam;

Mãe,
preciso tanto de ti!

José Manuel Brazão





sexta-feira, 1 de maio de 2015

Vento da minha terra...

Todas as manhãs
o vento da minha terra
vai ao teu encontro
e junto ao mar da tua cidade,
esperas que toque teu corpo
ardente, saudoso,
desejoso,
acariciando tua pele,
passando pelos teus lábios
e de tua boca
roubando teus beijos
e já com saudades
amanhã aguardas ansiosa
novos ventos da minha terra;
voltarei sempre!

José Manuel Brazão




1º de MAIO