**

**

Outros Blogs do meu grupo:

*

*

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Ano de 2011 com muita Esperança


Beijos e Abraços de

José Manuel Brazão





quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Lágrimas (Dupla especial)




Sinto em meu rosto
Uma lágrima rolar
Como gota de orvalho
Minha face molhar
Gotas amargas
Encharcadas de dor
Sinto-as em minha face rolar
Lágrimas que outrora
Foram de alegria
Lágrimas de amor
De sonhos
Fantasias
Hoje tornaram-se melancólicas
Vadias
Lágrimas de agonia
Agora regam meu dorido coração
Que não sei por que razão
Teima em bater
Pulsar
Viver
Talvez este ferido coração
Ainda tenha esperança
De ser novamente regado
Por cristalinas e verdadeiras
Lágrimas da mais pura paixão

Nanda Costa


[....]

Quando penso
e penso em ti,
vem a lágrima,
lágrima teimosa,
por seres generosa,
uma pedra preciosa
a decorar o meu coração!

Quando penso
e penso em ti,
vem o sonho duma paixão,
sonhada, mas por viver!

Quando penso
e penso em ti,
vem a lágrima,
lágrima teimosa,
por ver
não estares ao pé de mim!

Apenas sonho
e vem a lágrima…

José Manuel Brazão

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Vai...



O caminho
já o descobriste!

Vai…
não hesites,
percorre-o
sem olhar para trás!

Vai…
acredita,
nós
que te amamos,
em ti confiamos!

Vai…
o Sol sorri-te,
a Lua confia-te
amor,
muito amor!

Vai…
tu mereces!

Dedicado à minha querida Amiga Nanda Costa

14 de Julho de 2009

José Manuel Brazão


Foste enviada!


Sinto à minha volta
a solidão.
Não a solidão
para estar só.
Mas a solidão, de ficar só.
Sinto,
sinto muito …

Apareceste,
foste Enviada,
para não ficar tão só.
São amigos de verdade,
os poucos que me ajudam
e estão presentes,
na realidade.

Não peço muito:
é doce,
é consolador,
ter por perto
ou em pensamento,
gente com sentimento,
que dão amor,
sem se pedir,
muito amor…

José Manuel Brazão

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Um lugar somente nosso


Em algum lugar
Em que pudesse
Revê-lo e te amar,
Querer-te e abraçar.


Um lugar apenas,
Em que seria o sempre,
Pertenceria, permaneceria
Em nossa eterna história.


Um lugar somente nosso, de encantos;
Quão mágico e cheio de esperança,
Lembranças dos nossos sentimentos.

Graciele Gessner



[....]

Há tanto tempo,
que sonho
com este momento!

Conhecemo-nos
tão bem,
como se vivêssemos,
juntos
cada instante da vida!

Distante
vivo as tuas amarguras,
os teus dilemas,
o querer e não poder,
que por vezes
penso :
estamos tão próximos!

O meu coração
embriaga-se de paixão,
de amor;
visto-te rosas vermelhas.
Olho o teu corpo,
fascino-me
com esse jardim,
delicio-me
com as pétalas de amor,
cheiro
o aroma que vem do teu corpo!

São os meus pensamentos,
distante de ti!
Estou cansado de sonhar,
mas vivo para te amar!

José Manuel Brazão

domingo, 26 de dezembro de 2010

Caminhos... mas qual? (Dupla)


Vários caminhos
e hesitas!

Olhas,
não me vês
para te ajudar!

Há muito
que o teu Anjo
partiu…

Quando não se ouve,
ele parte…
há sempre
uma ajuda a partilhar!

… mais tarde
olhando para trás,
vês não ser esse o caminho;
mas escolheste,
está escolhido!

Nesta lição de vida,
existe o custo
e é pago aqui: na Terra!

José Manuel Brazão



[....]

Na vida que já vivi
São sempre lições
Nos caminhos
Que escolhi
Alguns aproximados
Outros afastados
Levados pelo vento
Só a meio do caminho


Vejo o tempo que perdi
À medida que se afasta
Daquele que escolhi
Não corto o caminho
Moldo o trilho
Com esperança
De chegar ao fim.

Manuela Vieira

Novo amanhecer!


Este amor
sem limites e tempo,
vibra intensamente
em nossos corações,
vivem próximos:
não passam um sem o outro!

Um amor vestido de saudade,
por cada momento
que se afastam…

O nosso amanhecer é radioso,
nasceu dentro de ti
e passei a vivê-lo!

O anoitecer não o vejo,
esqueci-o!

Nosso amor está vivo,
com o amanhecer,
após outro amanhecer…
… e assim será…
até sempre!

José Manuel Brazão



sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Esta noite... (Natal)


O silêncio me rodeia,
convive comigo
há muito tempo
como amigo
a que já me habituei
e resignei!

Vou à janela
virada para o Rio Tejo,
vejo as águas serenas,
chuva a cair,
que deixa um cheiro,
invulgar, confortante
que me serena,
me relaxa
e me leva a pensamentos
distantes e recentes.

Vejo imagens
de tempos que não se apagam
e de um presente doloroso,
mas que me deixa uma luz,
que mostra a esperança
a sorrir com a Lua,
iluminando
meu corpo e alma,
sentindo eu as forças
para amanhã
continuar a minha caminhada,
sem hesitar, sem parar!

José Manuel Brazão
24.DEZ.2010

Olhai Mundo (Natal dos pobres)


Vem aí
mais um Natal!

Data cristã,
mas pouco tem de irmã!

Olhai Mundo
para a abastança,
a loucura, o frenesim
de quem
não precisa de poupança!

Olhai Mundo
para o Natal dos Pobres,
sem um cobertor,
sem pão
e apenas um coração,
com dignidade,
esperando compaixão
e um alimento para a alma,
que os ajude a entender,
os contrastes da Vida!

Olhai Mundo,
para o Natal dos Pobres:
não toleremos,
estes
sem um cobertor
e outros
com um “vison”!

Olhai Mundo,
para o Natal dos Pobres:

O meu grito de revolta,
soará até ao Infinito!


José Manuel Brazão

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Ser Poeta


Ser poeta é não ter ligação com a poesia,
Seria uma fraude contra a inspiração.
A perspicácia do poeta é a sua ambição.

Ser poeta é criar o seu próprio cenário;
Com um pseudônimo, não com a sua identidade.
A alma do poeta inventa uma nova personalidade.

Ser poeta é preencher um corpo que não lhe pertence;
Sua inspiração é movida pelo sentir de outros.
É um declamador, deleita-se com versos que apetece.

Ser poeta é saber recitar no seu próprio silêncio;
O dom não faz muita diferença, mas sim, a sua dedicação.
Todo poeta necessita educar a teimosia do seu coração.

Graciele Gessner




[....]

Com a poesia,
sinto alegria;
repousam os dilemas,
nascem os poemas.

Com a poesia,
param as angústias,
as tristezas,
as desilusões.
Com a poesia
nascem emoções,
mensagens de paz,
harmonia e amor.

Com a poesia
nasce a esperança
de viver
e de conhecer amigos,
amigos de verdade.
Com a poesia,
nasce a libertação,
a conversão
aos valores humanos.

Com a poesia
nasce um estilo,
uma forma de vida,
uma visão do mundo,
que leva o poeta
à descoberta:
da verdade,
da realidade,
sem palavra encoberta.

Com a poesia,
nasce a minha poesia…

José Manuel Brazão

Saudades do amanhã! - Poemas - Poemas e Frases - Luso-Poemas


Saudades do amanhã! - Poemas - Poemas e Frases - Luso-Poemas

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Nossas bocas!


Sua boca foi caminho
pra calores e arrepios
e agora é só silêncio
infestado de espinhos.
Essa boca que
embriaga,
me enlouquece
que me afaga,
que encurtou tanta distância,
doce fel das minhas chagas...
nessa boca só passado.
dessa boca só lembranças..

Sandra Freitas

«««««««««««««««««««««««

Olho para ti
e vejo os teus lábios
colorirem tua beleza.

Procuro neles
as palavras tímidas,
mas carinhosas,
sinceras
e sonhadoras.

Teus lábios
inspiram muito amor,
para receberes
e para dares…

Teus lábios
juntam-se aos meus
e voamos
com as asas do amor!

José Manuel Brazão

As minhas poetas: como vejo seus olhos!


GRACIELE GESSNER

Mulher admirável
com determinação,
mas de generoso coração,
estás comigo
no momento certo,
que precisamos do Amigo!

No tempo
cultivámos a Amizade
que cresceu,
cresceu muito;
já é adulta
com a maturidade
que ninguém
de jeito algum
nos separará!

quando penso em ti
e vejo a tua imagem
na foto preferida,
olho os teus olhos,
muito brilhantes,
como diamantes,
na mulher
que no seu todo,
para mim
é uma pedra preciosa!



LUCIANA SILVEIRA

Admiro o teu olhar.
fixo os meus olhos
nos teus…

pensas na vida
nos sonhos que te invadem,
nas ilusões que tiveste,
nos dramas que esqueceste.

Os teus olhos
procuram os meus gestos,
a minha alegria de viver,
os meus mimos …

Sorris
e os lábios mexem,
com palavras de encanto,
tornando-os sensuais,
desejados...



SANDRA FREITAS

Quando te encontro,
deparo com teus olhos,
admiro-os, já lhes chamo:
olhos falantes.

Tu és ternura,
doçura,
que me fascina
em ti: mulher!

És doce comigo,
irradias alegria,
simpatia.

Sinto a tua amizade,
banhada
pelas tuas lágrimas
de mulher solidária,

Limpo as lágrimas,
olhas para mim:
não esquecerei
esses olhos falantes…


José Manuel Brazão

Para a Graci, a Luciana e a Sandra não se zangarem estão por ordem alfabética! rsrsrs



sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Salvação (Amor)



Esse amor que eu trago
no peito, dolorido
meio sem jeito,
quando penso que perdeu-se no fogo,
vem ele mesmo me queimando
em lavas, que lavam minhas entranhas.
Vem serpenteando meu corpo
renovando meu fôlego, me sarando as feridas.
E se eu andei de mãos dadas com a morte
foi esse amor me que trouxe pra vida.

Sandra Freitas



[....]


Por ti
darei o Sol, a Lua,
o afecto, o carinho,
a paixão e o amor!

Em ti
ficará o homem
que vive
momentos felizes,
quando te sente,
te ama,
mas não vive sem ti!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Meu regaço de carinho


És linda
como eu te vejo.
mulher carinhosa,
generosa,
humilde na Vida
em que eu sou sempre
melhor que tu,
mas sei do teu valor
de Mulher e de Poeta!

Na Vida
estou um pedação no teu coração
e como mulher crente
estou nos teus momentos de oração!

Na poesia
dás tudo de ti
para vestir as palavras
de verdade,
da tua força interior,
que provoca em mim
ser o teu parceiro ideal
para aquilo que expressas!

Nada mais confortante
do que seres
o meu regaço de carinho!

José Manuel Brazão

Dedicado à minha querida Amiga Sandra Freitas

EU e Sandra Freitas - Poemas de dedicatória - Poemas e Frases - Luso-Poemas


EU e Sandra Freitas - Poemas de dedicatória - Poemas e Frases - Luso-Poemas

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Gostas de mim triste!



Gostas de mim
triste!

Amor provocante,
mas cúmplice,
silencioso
e até escaldante!

Sentes
com a minha tristeza,
que compreendes melhor
a minha Alma.

Sentes
com a minha alegria,
que não sou o “eu”,
imaginado,
compreendido
e por ti amado!

Sorrimos …

José Manuel Brazão

Te espero...


Vou deixar meu rastro
no silêncio, com cheiro
daquela flor da noite que você adora, pra você seguir.
Vou sumir pra aquele ponto no infinito
onde nossos olhares se encontram
Te esperar naquela cama
Onde seus sonhos desposam os meus..
Abraçada aos lençois
Onde os suspiros são todos teus...
E vou esgotar o hoje em orgasmos múltiplos
pra que o futuro chegue breve me trazendo você...
Vou embrulhar o ontem num papel de seda
pra nós abrirmos juntos quando o dia amanhecer..
Mas vê se não demora
eu só posso esperar
por toda vida.....

Sandra Freitas



[....]

O tempo passa
e no meu silêncio
amo a tua voz,
o teu pensamento,
o teu querer,
a tua paixão!

Vivemos
este amor ardente,
com admiração
um pelo outro,
com o desejo
de que o tempo pare
para nós saborearmos
este amor doce,
generoso
e carinhoso;
este amor único!

Unidos,
como amantes
de uma só vida,
que nos uniu,
sorriu
e nos levará
até sempre,
ao pensamento
do meu e teu poema,
da nossa Vida
Hoje aqui...
... me esperas:
não demoro
tu só podes esperar
por toda vida.....

José Manuel Brazão

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Qual solidão!!!


Não sei

o que é solidão!

Não a alimento

nem quero

ser amigo dela!

Vivo com o mundo

à minha volta,

com pessoas

que me dão amor…

Solidão

ou não solidão,

apenas existe

nos que querem

viver esquecidos

que ainda há

o amor ao próximo!

Eu acreditarei sempre…

José Manuel Brazão

Eu, por amor chego...

Por amor,
por tanto amor,
perco-me na Vida,
não sei quem sou,
não sei já
o que faço!

Por amor
dou-me todo:
sofro,
choro,
peço perdão,
Perdoo
e esqueço o mal!

Por amor
vivo e respiro
quem amo,
como nunca amei!

Destino?

Sim, destino intenso,
com pedras no caminho,
mas o amor
é assim:
não aparece
como um presente!

Conquista-se…!

José Manuel Brazão

domingo, 12 de dezembro de 2010

Neusa: Minha morena Amiga



És a morena
mais linda que conheci;
teu coração derrama
o carinho que preciso,
um amor amigo
que te leva a gostar muito
do homem que sou
e não te cansas
de ecoar aos ventos
o poeta que escreve
o amor,
esse amor que ferve em ti
e que tão bem expressas
em poesia e que dás à Vida!

Eu, teu amigo de coração
te darei sempre a mão,
minha morena amiga
sempre, mas sempre
para além da Vida!

José Manuel Brazão

A luz do luar!




Sinto teu toque
E sussurro de amor
Sussurros repetitivos
Gemidos
Corpos quentes
Iluminados pela luz da lua

A lua nos observa
Encantada com tamanha entrega
Enquanto seus dedos dedilham meu corpo nu

A luz do luar é nossa testemunha ocular
De todo amor que em nosso peito há
Não há como fugir do encanto
Da magia
A lua nos ilumina
Aquece
Hipnotiza
É ela a lua que nos ensina
A verdadeira forma de amar

E sobre a luz do luar hipnotizante
Iluminados amantes
Entregam-se ao querer
Um querer de alma
Poder que acalma
Total prazer

E no ápice do amor
Esquecemos a dor da distância
Somos meninos
Crianças
Dançando a mais doce ciranda
De um amor que iluminado foi
Pela luz da lua
Lua cheia do nosso amor.

Nanda Costa



[....]

Noites de luar
clamam paixões,
umas sentidas,
outras vividas.
As noites de luar
parecem iluminadas,
intensas,
dramatizadas.
Paixão
é apenas paixão.
Quando acaba o luar,
tudo acaba.
Onde pára a paixão?
À espera de outro luar
para criar ilusões
e desilusões.
Eu queria ser Luar
para inspirar amor,
em vez de paixão …

José Manuel Brazão

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Tempo...tanto tempo!



Passou tanto tempo!
O que aconteceu?
Nada!
Ajudei-te?
Quis ajudar,
mas não resultou!

Tratei-te como uma flor,
como uma rosa:
vermelha ou amarela!
Queria ver a tua evolução,
tratei-te com todo o amor,
com o coração.
Ilusão ou desilusão?
Não sei responder!

Pensei
que estavas feliz,
mas o Sol não me ajudou.
Foste empalidecendo,
eu fui sofrendo…

Aqui estou triste,
angustiado,
desesperado,
por não haver um sol nascente,
que te ajude,
como eu gostava!

Passou tanto tempo:
ainda estou aqui!
Não como antes,
mas só:
falta-me a rosa,
que já não é como antes!

José Manuel Brazão



[..]

Descompassado
é meu coração a tua espera
anos-luz e eras
preenchidos
de amor-quimera,
saudades do amanhã
ainda em gestação..(pulsando).

E agora
Quando o tempo nos acolhe
Amigo hoje, vilão outrora
cada segundo parece
ser recheado de eternidade,
cantada em sons de infinito..
E nem meu grito
é capaz de fazer acelerar,
abreviar esse hoje e me jogar de vez
em teu abraço..
que meu cansaço
só de desfaz no
repouso da tua boca
na minha...

o tempo é uma criança matreira a
rir-se de nossas ânsias..
mas temos nosso trunfo meu amor:
somos atemporais.

Sandra Freitas

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

MÃOS DADAS



Passa o tempo
e nós
sempre juntos,
sempre unidos
para o bem,
e para o pior,
solidários, solitários …


Não te deixo,
não me deixas.
Nossos corações batem,
cada vez:
que penso em ti
e tu pensas em mim!


Estendemos as mãos
para nos aproximarmos.
Puxam nossos corpos,
mas não conseguem!
O nosso amor
é superior!
Estaremos Aqui ou Além,
como sempre
de mãos dadas!


José Manuel Brazão


Um poema que nasceu como um desejo meu e que tu tão bem o tens realizado. Levarei comigo pensando em ti e tu nas voltas que a Vida dá,  guarda-o no teu coração de Mulher bem iluminada!
Beijo do ZÉ




O que posso te oferecer, se não a minha amizade?
Uma amizade constituída na confiança é a maior prova de amor que os amigos podem oferecer. Obrigada por ser paciente e compreensivo, são raras as pessoas com a tamanha bondade e gentileza que eu conheço. Um beijo gracioso em seu imenso coração.

Graciele Gessner.
(Timbó - SC - Brasil, 31/07/2010)



terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O nosso olhar


Você que tem encanto nos olhos
Ternura e amor no sorriso...
Alegria e humor contagiante,
Que nos leva no paraíso!

É a luz do sol poente
Escondendo na montanha...
Deixando saudade na gente,
Mesmo antes que se ponha!

Você é o céu estrelado
Em noite de lua cheia...
É o amor mais amado,
É o fogo que incendeia!

Tem um coração imenso
Que quer a todos abraçar...
Com suas belas palavras,
Consegue a todos alcançar!

Você que é um tesouro
Uma pedra valiosa...
Lapidada por Deus
Sempre serás assim,
Te amo amigo meu!

Belarose



[....]

Admiro o teu olhar.
fixo os meus olhos
nos teus…
pensas na vida.
nos sonhos que te invadem,
nas ilusões que tiveste,
nos dramas que esqueceste.

Os teus olhos
procuram os meus gestos,
a minha alegria de viver,
os meus mimos …

Sorris
e os lábios mexem,
com palavras de encanto,
tornando-os sensuais,
desejados
por um amor sofrido,
por um amor contido.

José Manuel Brazão

Morrer de amor


Despeço-me das
Horas vagas,
ociosas, de contemplação
sagrada..
Olhando em mim
Só vendo a ti
Desinibido,
nu
enrolado
em minhas pernas
pequenas, sedentas de toque
e de calor..

Despeço-me da fantasia
De sonhar acordada
De afagar ilusões.
De embalar a dor
da ausência e da distância.
Despeço-me do medo
de saltar rumo ao que virá..
Queimo a página do talvez.
Do ontem esqueci
Do amanhã eu nada sei...
Do hoje desaprendi
o idioma do adeus.
Só entendo que é seguro
morrer de amor
nos braços seus...

Sandra Freitas


[...]

O amor sentido
por mim
não se explica,
sente-se…

Penso
nas tuas palavras
de encanto,
paixão e amor!

Preciso de ti
sem limites,
hesitações
ou recuos!

És o meu amor,
amor da minha vida!

És o meu amor,
que por ti daria vida!

És o meu amor.
que por ti,
estou preparado
a morrer de amor!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Lembra de mim



Lembra de mim
mulher da minha Vida,
dos momentos felizes,
dos momentos de glória,
dos momentos
de paixão e amor,
dos viveres
de alegria e tristeza
e do sentir
de saudade,
muita saudade!

José Manuel Brazão

Esqueci!




Que dizer?
Se não, que esqueci de esquecer
todas as horas em que nos demos um ao outro.
Que é uma mortalha, esse amor que carrego,
que me pesa os ombros, mas aquece a noite.
Que dizer?
Se mentistes a ti e a mim.
Se de fato nunca houve amor em teus olhos.
Que dizer?
Se foi culpa e não desejo.
Se me ocultaste em teu coração
Frio e duro, por covardia e não amor.
Que dizer do ciúme que ainda me causa,
os olhos da luz sobre ti.
Da dor que meus dedos reclamam, por nunca mais te tocar.
Loucura.
Insensatez.
Pérfido sentimento, que engole os meus dias.
Crueldade sem fim da vida.
Antes jamais visse a o dia, que ter te olhado a primeira vez.

Sandra Freitas



...!

Tua imagem
andava comigo
dia e noite
e nada nos parava
ou calava!

Um dia
surgiram dúvidas
se era paixão
ou amor?

No amor
Não podem existir dúvidas!

Paixão na vida
senti algumas!

Amor
por mulher
apenas
as que mereci,
dando
tudo de mim,
o corpo e a alma!

Dei mais do que recebi,
mas não importa;
enquanto viver
serei assim!

Com a mulher
que marcou o meu tempo,
com intensidade vivi
e no seu “acordar”,
reagi:
disse adeus
e esqueci!

José Manuel Brazão

domingo, 5 de dezembro de 2010

Um completa o outro!


Amo-a
desde o primeiro momento,
que a vi
lhe sorri
e a senti
palpitando meu coração!

Ela
sentiu paixão,
pensou sonhar,
mas acordou
para um grande amor!

Momentos felizes
nos esperam,
o Sol e a Lua
nos sorriem
e contemplam!

Vivemos
como almas unidas;
nosso amor
e nossa vida
tem um destino:
um completa o outro!

Assim é
e será este amor!


José Manuel Brazão

Nossas asas!


Voamos
por esses céus sem fim,
passeando o nosso amor
sem destino...

Voamos
com a alegria que vivemos
por tu seres minha
e eu ser teu!

Voamos
com estas asas
feitas de amor,
que exalarão
o que vai em nosso coração!

Tu sorris
a felicidade conquistada
e eu
guardo em mim
mais um anjo do amor!

José Manuel Brazão

sábado, 4 de dezembro de 2010

Ser interessante...



Desde sempre
te achei interessante.

A tua beleza
está na sedução,
na simpatia,
na serenidade,
no brilho do teu coração.

O meu
fica palpitante,
muito palpitante,
quando me dizes:
se cuide...

José Manuel Brazão

Amor dos amores! (o valor de uma Mulher) - Homenagens - Poemas e Frases - Luso-Poemas




Amor dos amores! (o valor de uma Mulher) - Homenagens - Poemas e Frases - Luso-Poemas

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

*Ainda assim amor...* - Poemas de amor - Poemas e Frases - Luso-Poemas


*Ainda assim amor...* - Poemas de amor - Poemas e Frases - Luso-Poemas

Sinto-me só, mas não entendo!



Sinto-me só,
mas não entendo;
aceito, mas sofrendo.

Deixa-me sinais…
…no meu corpo,
na minha mente!

Por vezes inquietante
e outras angustiante.
Fecho os olhos:
medito e recordo
o passado pouco distante:
vejo as imagens
dos amados que partiram;
dos amados que ficaram.
Procuro-os…
Mas…
preciso de viver…
amando e ser amado,
por aqueles que pairam
comigo neste cativeiro terreno
e pelos outros que já pairam
ainda sem mim,
num mundo mais feliz!

Assim sente:
meu corpo e minha mente!


Desilusão

Se tenho desilusão,
já tive ilusão!

Ilusão
como um homem
que se dá,
usa boa fé,
sorriem-lhe,
é bestial,
e outras coisas tal!

No fim
olho à minha volta;
uns tantos sinceros,
outros simpáticos,
e o resto:
indiferentes
que respeito,
apenas respeito!

Serei sempre o mesmo,
com ilusões
ou desilusões!

José Manuel Brazão

Estás em mim!! (R) - Poemas - Poemas e Frases - Luso-Poemas


Estás em mim!! (R) - Poemas - Poemas e Frases - Luso-Poemas