**

**

Outros Blogs do meu grupo:

*

*

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Amigos fraternos


Caminho, caminho,
cada vez mais só!
Penso e sinto,
que poucos me restam,
neste plano terreno.
Quero estar sereno,
mas não consigo.
Apenas me anima,
que os poucos,
valem mais que muitos!
Quando o caminho chegar ao fim,
esperem por mim.
Eu também esperarei por vós
e nesse mundo diferente,
estaremos atentos,
com a alma presente,
naqueles que não perdoam,
não toleram,
não se humilham,
nem sabem,
se gostam de si próprios.
Apenas se arrogam,
se toleram
e se perdoam.
Temos de nos amar,
para os outros:
amar, tolerar e perdoar!
Já não passo sem vós:
Aqui ou Além.
Vamos em busca
do meu João!

José Manuel Brazao

terça-feira, 29 de junho de 2010

Momento certo


Existem
momentos na Vida!

Inesquecíveis
tanto os bons
como os maus!

Mas existem
momentos certos
que preparamos,
e outros
que nos escapam!

Não passei
por momento certo,
mas poderá chegar…
Porquê,
como e quando,
não sei,
ainda não sei…!

José Manuel Brazão

O que ficou em mim: Meu anjo Rafael (Rafa)!



Meu anjo Rafael (Rafa)

Poeta não tem idade. Há pouco tempo divulguei aqui um poeminha feito pela Rafa menino-prodígio de 6 anos (filho de Luciana Silveira) dedicado a sua Mãe e que na altura me prometeu fazer outro dedicado a mim. Hoje aqui está o tal poeminha prometido e os que lhe deizo para o futuro.! Afinal é nas crianças que encontramos Amor só Amor! Que os adultos aprendam mais uma lição de Vida! Adeus meu Anjo Rafa e como disseste um dia lá nos encontraremos bo Papai do Céu!

Anjo

Existe um anjinho
Que ilumina seu caminho
Um anjo lá do céu
Chamado Rafael
Esse anjo é bem legal
E quer ser seu amigo
Pra brincar e escrever
Junto com você.

Rafael Silveira Soares (Rafa)


Minha magia

Minha magia é Deus
e faz o luar.

Quando eu penso em uma coisa
eu faço uma magia
e quando alguém vai falar
eu vou rezar.

Minha magia é muito boa
que dará a amizade.
Quando eu penso em uma coisa
minha magia vai me dar

Rafael Silveira Soares

Para o Rafa - com seis anos - magia é a Fé, que já paira nele e é também a Esperança com que ele acaba o seu poeminha!
Um beijo do Amigão



Meu Anjo, meu Menino!
Em cada dia
da minha Vida
penso em ti
cada vez nais!

Pela noite
ao deitar
e meditando,
sinto-te em mim!

Peço sempre
para continuares “anjo”;
um anjo daqueles
que não esquecemos
a sua imagem,
a sua bondade
e o seu Amor!

Assim
te vejo em mim
e reza sempre
por tua Mãe,
essa
que nunca
te abandona
e por ti dará Vida!

José Manuel Brazão


Meu Anjo Rafael(Rafa)

Seres criança
é um raio de esperança
que guardo em mim!

Seres criança
e o meu anjo Rafael (Rafa)
se instala
no meu corpo e alma!

Seres criança
e teres amor por mim
me deixa sem jeito
me deixa
eternamente em ti!

José Manuel Brazão


Para o meu querido Amigo Rafael-Rafa com seis anos e pureza na Alma


Raízes desse amor!


Uma vida que amanhece
com o Sol
trazendo ou não a esperança.
Ele está presente
mesmo encoberto por nuvens
com imagens de coração,
de amor que não vai…

Um Sol que ofuscou a Lua
para deixar em mim
este amor que não vai
enquanto a paixão viver dentro dele!

Raízes profundas desse amor
enroladas no meu corpo,
que me prendem à Vida
e a este meu Destino,
meu poema… do amor!

José Manuel Brazão


domingo, 27 de junho de 2010

Você é a razão


A causa de estar sonhando acordada é porque você existe na minha vida. O motivo dos olhos brilhantes; o lindo sorriso espontâneo estampado nos lábios demonstra o quanto é bom ter alguém especial. Você é o princípio natural da vida, a causa da minha alegria!


Você é a minha razão, do amor-perfeito, do relacionamento certo. Você é a razão do amor que me envolve, a razão do sentimento que brotou em meu coração.


Confesso: jamais pensei que voltaria sentir o amor em meu peito. Sim, sou uma mulher forte, mas me entreguei, me envolvi. Hoje, agradeço a Deus por ter-me mostrado que estou viva! Nunca morri, apenas adormeci perante a vida.


Você é a razão de estar sonhando! Obrigada!

Graciele Gessner




[...]



Há tanto tempo,
que sonho
com este momento!

Conhecemo-nos
tão bem,
como se vivêssemos,
juntos
cada instante da vida!

Distante
vivo as tuas amarguras,
os teus dilemas,
o querer e não poder,
que por vezes
penso :
estamos tão próximos!

São os meus pensamentos,
distante de ti!
Estou cansado de sonhar,
mas vivo para te amar!

Há tanto tempo,
que sonho
com este momento!

Aguardo o teu sorriso!

José Manuel Brazão

Não vou desistir! Graci e Eu solidários sempre!



Não vou desistir!
Desistir?
Nem o teu Amigão deixaria que isso acontecesse!
Tenho uma esperança convicta no teu futuro.

És uma das Mulheres marcantes na minha Vida e neste mundo da literatura pelo teu querer, o teu acreditar! Enfim a tua determinação!

Acredita que enquanto Deus permitir, estarei sempre de mão dada com o teu destino! assim seja!
José Manuel Brazão


Não vou desistir

Foi difícil chegar aqui.
Ontem me senti “pequena”.
Senti que perdi o controle da situação,
Talvez venha a ser frustrada.

Foi difícil chegar aqui.
Não vou desistir tão facilmente.
Deixei muitos “fatores” para trás,
Agora não permitirei que aconteça tal absurdo.

Ouçam invejosos!
Eu sou lutadora dos meus sonhos,
E se um dia desistir de meu ideais,
É porque simplesmente morri.

Ontem me senti “pequena”,
Uma tristeza profunda se instalou.
Tentei disfarçar, mas foi visível.
Lágrimas caíram, mas me mantive firme.

Meu objetivo é nunca desistir!
Sonhei, planejei e adquiri.
Agora vou até o fim.

Não vou desistir! Jamais!

Graciele Gessner
26.04.2006


Eu e a Graci

Na Vida
e no meu destino,
apareceste
por um sorriso
em poema era meu
e na vida era teu!

Daí
nasceu esta ligação
Vida e Poesia,
que nos trouxe até hoje!

A minha admiração
pela Mulher
determinada,
carinhosa e
generosa!

A minha admiração
pela Escritora
inteligente
de visão sem limites,
amadurecida pela Vida!

Nos admiramos
um ao outro,
por esta dádiva da Vida,
que guardamos
em nossos corações
e gravada
em nossas existências!

José Manuel Brazão

Percurso de Vida





Caminho longo
percorrido
com obstáculos
que superei,
uns por mim
e outros ajudado!

Por quem?
Alguém!

No caminho longo
encontrei de tudo,
coisas boas e más.
Pessoas
que me davam a mão,
pessoas
que me traziam no coração,
mas ele era artificial!

Uns
ficaram para sempre.
Outros
ficaram pelo caminho!

Eu
continuo o percurso,
caminho longo…

José Manuel Brazão

TiChA disse...
Nunca estamos sozinhos na caminhada da nossa vida... Acredito que existe alguém que não vemos, mas que nos guia...
É bom quando temos alguém que tem a capacidade de nos ajudar a superar os obstáculos que encontramos na caminhada da vida...
É bom levar os verdadeiros amigos connosco no percurso da vida... E deixar para tras aqueles que só estão connosco por interesse...

Beijos


O criador nos deu o livre árbitrio pra isso!para escolhermos nossos próprios caminhos.
Cada um segue o seu conforme a sua própria escolha,o seu caminho zé é florido!
pq você é uma pessoa muito iluminada e que faz o bem a todos!
Sei que há momentos ruins pra vc,assim como há momentos ruins pra todos nós.
Mais tenha certeza que,Deus e seus Amigos sempre estarão contigo!

Bjô
Nanda Costa

sábado, 26 de junho de 2010

A pomba que desejo!


Voas,
voas por aí,
sem descanso
na busca constante
e em cada instante,
de paz, harmonia
e amor!

Cansada,
mas não desistes;
sentes em mim
a tua força interior
e caminhamos
sempre
com mensagens,
e imagens
de poesia com Luz!

Neste pensamento
que nos pertence,
só tu
és a pomba que desejo!

José Manuel Brazão

Estar só... e não ficar só!!!


Às vezes é necessario
Uma pausa na vida
A solidão enxertada
Aquela, sábia e necessária
Para nos manter vivos
Nesses momentos vívidos
Mergulha-se no âmago de Ser
A mente quieta, tranquila
E a vida segue seu rumo
Com uma lucidez paralizante
Balanços de prós e contras
Lembranças do que se foi
Esperança do que ainda virá
Mas é preciso paz e luz
Olhos e coração abertos
Diante do espelho interno
Tradução completa do reflexo
Não há inverso ou máscara
Apenas a tentativa, vã ou não
Da solução desse enigma.

Luciana Silveira




[..]

Vives nessa "concha"
em que sentes protecção,
mas não vives
a vida que sonhas
e desejas!

Vives um mundo
só teu,
vives um silêncio
de amor sofrido!

Um sofrimento
sem limites,
mas
o teu pensamento,
de estar só
é uma necessidade
e não um desejo
de ficar só...

Estás na concha
e no coração de alguém…

José Manuel Brazão

sexta-feira, 25 de junho de 2010

O amor dá-se...


Gosto de sonhar,
vestido de esperança.

Sonhos belos
que me dão bonança,
sonhos agitados
com turbulência,
que me fazem acordar,
perder a paciência
e aprender:
que amigos
são os que merecemos:
com amor, dedicação,
carinho e compaixão!
Os outros,
apenas são conhecidos…

O amor dá-se,
não se empresta…
José Manuel Brazão

Amores (Mulheres) da minha poesia!


Existem amores
da minha poesia!

Mulheres!

Tão simples
escrever sobre a vida,
como grandioso
o carinho
destas mulheres;
“princesas”,
Guerreiras,
sensíveis,
talentosas,
Autênticas.

Não esquecem
a minha existência,
que me confortam,
por valer a pena
a minha persistência,
com sentimentos coerentes,
para estes amores ardentes!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Morrer de amor


Despeço-me das
Horas vagas,
ociosas, de contemplação
sagrada..
Olhando em mim
Só vendo a ti
Desinibido,
nu
enrolado
em minhas pernas
pequenas, sedentas de toque
e de calor..

Despeço-me da fantasia
De sonhar acordada
De afagar ilusões.
De embalar a dor
da ausência e da distância.
Despeço-me do medo
de saltar rumo ao que virá..
Queimo a página do talvez.
Do ontem esqueci
Do amanhã eu nada sei...
Do hoje desaprendi
o idioma do adeus.
Só entendo que é seguro
morrer de amor
nos braços seus...

Sandra Freitas


[...]

O amor sentido
por mim
não se explica,
sente-se…

Penso
nas tuas palavras
de encanto,
paixão e amor!

Preciso de ti
sem limites,
hesitações
ou recuos!

És o meu amor,
amor da minha vida!

És o meu amor,
que por ti daria vida!

És o meu amor.
que por ti,
estou preparado
a morrer de amor!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Tu és a minha canção!


Como sabes
que gosto de música,
da tua canção
ecoada em palavras,
tensas e intensas
e louca paixão
e amor,
flauteada
pelo teu coração
com acordes
de mulher sofrida,
determinada na fé,
no destino
e com um final
entregue nas mãos d’Ele!

José Manuel Brazão

Olhamos o Céu!


Olhamos o Céu
e agradecemos A Luz
que te trouxe até mim!

Chegaste,
sorriste,
estendi a mão,
o amor na minha mão
e disseste:
encontrei
a minha Paz,
a minha vida,
sou feliz!

Também sorri,
de novo olhei o Céu
e agradeci este amor,
que nasceu,
floresceu
e dará pétalas de amor!

Olhamos o Céu
que nos envia
muitas pétalas,
pétalas de amor!

José Manuel Brazão

terça-feira, 22 de junho de 2010

Crianças em mim!





Meu anjo
seres criança
é um raio de esperança
Que guardo em mim!

Seres criança
e o meu anjo
no meu corpo e alma!

Seres criança
e teres amor por mim
me deixa sem jeito
me deixa
eternamente em ti!

José Manuel Brazão

Vejo nas crianças pétalas de amor duma flor especial VIDA.
Com isto renasce em mim a esperança e já com saudades do futuro.



A todas as crianças da minha Vida; em especial aos meus Netos e ainda Evinha, Isa e Rafa!


A amizade, um poema!



A amizade,
é uma palavra
que nasceu com Luz,
para iluminar
os que acreditam
e a praticam!

A amizade
é uma palavra
para ser entendida
nos gestos,
nos sentimentos!

A amizade
é uma palavra
para ser vivida
com nobreza!

A amizade
reflecte beleza,
vestindo um poema!

José Manuel Brazão


Por ti, para ti Graci

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Não entendo!


Às vezes parece estar caído de carinho, talvez algum amor contido; por outras me ignora, me machuca, me evita. Parece gostar de brincar com os sentimentos alheios; deve achar divertida tal situação, porque outra explicação não existe.


Lá no fundo eu já pressentia que você não era a pessoa em que pudesse confiar, jamais transpareceu segurança.


Bons momentos, tão poucos, eu tenho que admitir. Porém, o que são momentos solitários, comparados com o sentimento que sinto agora? Você foi alguém que acreditei ser possível, mas hoje, o possível talvez seja esquecer tudo que um dia vivi contigo.


E por falar em esquecer, sempre fui fria e distante em questão de esquecer pessoas sem qualquer importância na minha vida. Tenho uma enorme facilidade de esquecer tudo que me machuca. Sempre fui assim e assim permanecerei. Evitando maiores dores, mágoas, desentendimentos.


Raras foram às vezes em que chorei por “amor”. Derramei lágrimas por amores que me foram compartilhados, onde o coração, alma, corpo e a mente andaram juntos, sem qualquer restrição.


Tudo bem! Fico não entendendo tal atitude, não entendendo a postura de um ser que se comporta como um bicho recuado.


O perdão, você já recebeu, não quero levar amarguras de algo não compreensível. Ergo a cabeça, sigo em frente. Viro a página e dou início a uma nova felicidade...


Graciele Gessner




[..]


Não queres…

Não queres…
e a esperança
ficou ferida,
a mente abalada!

Meu coração
estremeceu,
fez-se escuridão
em mim!

Tanto amor,
que dei,
dou e darei
por ti
que não queres…

Um pouco da Vida
Estilhaçou,
mas apanharei
esses bocados
para misturar
a momentos bons
que a vida nos deu!

Não queres…
eu continuo a querer
e a amar-te!

José Manuel Brazão

Acordai para o amor


Caminhamos,
distraídos
e indiferentes!

Que se passa?
Pessoas com fome,
barricadas na guerra,
guerra de interesses
e não de justiça,
pessoas carentes
da nossa mão,
da nossa fraternidade,
do nosso olhar,
do nosso amor.
Sim, Amor!

Acordai para o amor!

José Manuel Brazão


Marta Vasil disse...
Palavras de revolta, não é? a poesia é isso também.



domingo, 20 de junho de 2010

Folha do pensamento




Na tua mão
uma folha de árvore;
sentas-te à sua sombra.

Acaricias a folha,
fixas o teu olhar,
corres a vida:
sorris, choras.

Com coisas belas
e sonhos perdidos
nessa corrida pela vida.

Olhas para diante
e vês a sombra de alguém,
mas quem?

Daquele
que segue o teu caminho,
que te avisa e aconselha,
daquele
que não te quer sem destino:
onde estou, para onde vou…

A estrada em que estamos,
leva-te à que procuramos:
a estrada da Vida …
Sorris para mim,
beijas a folha e partes …

José Manuel Brazão

Aquele beijo...


Aquele beijo

Todos os dias
penso em ti,
como se estivesses aqui!

Anseio
por este amor
um amor em palavras,
como se fossem
cartas de amor!

Um dia
neste convívio lindo,
beijámo-nos,
muito…
…sentimos prazer,
olhámos fixamente
e sem palavras
mas com um olhar
de mil palavras!

Aquele beijo
será sempre
aquele beijo…

José Manuel Brazão

sábado, 19 de junho de 2010

Sereia do amor


Vejo o mar,
contemplo o horizonte,
penso na natureza,
como é bela a criação
de tudo o que vemos,
sentimos,
damos
e recebemos!

Vejo o mar
contemplo o seu vai-vem,
sinto o seu cheiro
que Inspira o poeta!

Vejo o mar
e penso na minha poesia;
encontro nesse mar
o motivo para um poema,
que me leva àquela mulher,
que será
como sereia do mar,
uma sereia do amor!

José Manuel Brazão

Sonhos...


Subo na cumieira dos meus desejos
Para gritar bem alto que sou tua
Sons alados na face da lua
E a vida esvai-se nesse sonho
Imperecível

Vejo por entre as frestas dormentes
Fragmentos de nossa história
Que tão lúcida e notória
Instalou-se em meu coração
Quimeriano

Meu olhar agudo faz-se grave
Enquanto minhas pétalas se abrem
E todos os meus poros sabem
Da tatuagem permanente desse amor
Sagrado

O labirinto conduz meus passos
Águas desembocando em foz
Em minha mente somente tua voz
Encostando-se em minha alma
Fugidia

Lua girando em minha órbita
Minhas palavras vão se dissolvendo
Nesse rio lento por você vivendo
Transbordando todo o sentir
Alimento

E são flores coloridas orvalhadas
Na eterna primavera lunática
Gotinhas em dose homeopática
Dou-te meu cerne e minha razão
Respiração.

Luciana Silveira



[...]


Sonhas
como alimento da vida!

Sonhas
com o amor ideal
e paixões vagueantes,
palavras sedutoras
em noites delirantes
de prazer sem fim.

Sonhas
por mim,
com o mistério
de ser quem sou
e de me teres.

Sonhas
em cada noite
o amor que desejas,
o amor que esperas,
com o teu coração,
suspirando entrega.

Sonhas
delirando amor,
muito amor!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Pobre Poeta... do amanhã!


Escreve
como se sonhasse,
se vivesse
num mundo de encanto,
de ternura e amor!

Escreve
para alimentar a alma
de quem o lê,
recebendo
gestos de amor!

Escreve poemas
para aliviar os dilemas;
os seus
e dos outros…

Se não escrever,
morrerá a alma do Poeta,
ficando apenas:
um homem,
uma vida
e um pobre Poeta
agonizante…

Apagam-se as luzes…
Mas ficou a honra
e a sua Poesia!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Corpo de Mulher



Tenho um céu tatuado no corpo
estrelas e planetas desenhados
Cada ponto de luz, uma lembrança
colorida com as tintas do passado...
Em um tempo que eu voava
que eu amava
sem ter medo...
Cada uma recheada
contornada de desejo...
Todas elas perfuradas
com a ponta dos teus dedos...
E nas noites em que a lua é escura,
eu despida me observo no espelho
e me vejo uma mulher bem mais segura
satisfeita em ser marcada por segredos..
Todo céu em mim celebra uma festa,
abrigado no meu corpo paraíso
as estrelas ensaiando uma seresta
em constelaçoes mostrando seu sorriso...

sandra Freitas



[...]


Linda.
muito linda!

Teu corpo
lindo, esbelto,
deixa
por onde passas,
um rasto de sol,
um perfume,
um desejo…

Sigo-te
com o olhar
e fico a pensar:

Beleza
do teu corpo,
não nego!

E da tua alma?
Certamente que sim!


José Manuel Brazão

terça-feira, 15 de junho de 2010

Todo o tempo para te amar!



Todo o tempo
é tempo de amar-te!

O tempo
passa por nós
e neste amor fascinante,
não damos por ele!

Só nos lembramos
desta paixão ardente,
que nos une
num silêncio alucinante,
de loucura
por tanto amor!

Todo o tempo
é tempo de amar-te!

Entrego-te
o meu corpo, a minha alma
enquanto a minha vida
for tempo…

José Manuel Brazão

sábado, 12 de junho de 2010

Por amor ...


Por amor,
por tanto amor,
perco-me na Vida,
não sei quem sou,
não sei já
o que faço!

Por amor
dou-me todo:
sofro,
choro,
peço perdão,
Perdoo
e esqueço o mal!

Por amor
vivo e respiro
quem amo,
como nunca amei!

Destino?

Sim, destino intenso,
com pedras no caminho,
mas o amor
é assim:
não aparece
como um presente!

Conquista-se…!

José Manuel Brazão


[...]

O amor faz perder-se
Para então encontrar-se
Amor é dádiva sagrada
Sem definição correta
Mas nunca palavra incerta
Por estar além da compreensão
O amor anda nos ares
De quem o sabe conquistar
Palavras doces, carinho pleno
Quando dói, sinal que é real
Por mais que se tente enganar
A vida, sua morada
O coração, seu lar
Amar é estar vivo
É respirar suspiros vários
É canção de tons sublimes
É desapego e sossego
Ser amor é repartir a paz

Luciana Silveira


A Mãe que és...!


Mãe com três letras apenas
e a dimensão
de amor,
carinho e dedicação
que tens nesta Vida!


como Mãe e Pai
constrois o rumo
dessa criança
(o Rafa)
que além do nome
lhe chamo futuro!

Sofro contigo
as horas de angústia
e ansiedade
na tua busca
do seu rumo
da sua felicidade
até à vitória final!

José Manuel Brazão

Para ti Lu; a Mãe exemplar Luciana Silveira.


Zé, muito emocionada com tuas palavras...o Rafa é um tesouro em minha vida e tento sempre suprir o que falta pra ele...a batalha é difícil mas a satisfação plena.
Bjs com carinho, meu e do Rafa.



sexta-feira, 11 de junho de 2010

Poema para o ZÉ



Só tenho de agradecer a Deus tudo aquilo que me tem sido oferecido na Vida e na Poesia e entender e aceitar o que de menos bom me acontece nesta vida terrena!
José Manuel Brazão


Poema para o ZÉ

Uma cara marcada
pela ternura da vida
um coração tatuado
por uma alma perdida.
Sou um conjunto de vivências intensas
Sou um furacão de emoções imensas.
Se me arrepender de alguma coisa
Que seja por me ter entregue demasiado
E nunca por ter faltado dedicação.
Prefiro estar ferido e marcado com rugas de dor e sabedoria
Do que acordar de manhã e perceber que não vivi, jamais
algum dia.


Um beijinho de quem não se esquece de si, mas que anda nas suas próprias "lutas"!

Vera Sol

Vera

Serás sempre a Verinha, a menina que quase te passeei ao colo e hoje és uma Senhora e repito Senhora, porque nutro por ti um encanto infinito por te considerar um reflexo de Luz de tua Mãe!

Beijokas do

No teu sorriso vejo Luz!


Quando apareces,
no teu sorriso,
vejo Luz
e fico sereno!

Quando olhas,
no teu sorriso,
vejo Luz
nos teus olhos!

Quando falas,
no teu sorriso,
vejo Luz
nas tuas palavras!

Teu sorriso
é um gesto de carinho,
um gesto de amor;
é o teu Caminho,
haver Luz no teu sorriso.

José Manuel Brazão

Só tu me dás essa Luz que neste momento me ajuda!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Abro-me ao Mundo


Sonhando
vou por aí,
sinto-me
entre a terra e o céu!

Percorro
montes e vales,
rios e oceanos,
países e continentes.

E o que vejo?

Fome e miséria,
iminentes mortes.

Bem –estar,
muito bem-estar,
ignorando os carentes.

Atroz egoísmo
num planeta
com guerras,
ódios, invejas;
amor onde paras?

O sonho
vai partindo
e deixa-me a imagem
de que existem dois mundos!!

José Manuel Brazão

Apenas me vejo a mim!


Saio por aí
sem destino
olhando, pensando
e sentindo aquilo
que não sei explicar,
mas que sinto!

A vida que escolhi
ficou por aí
e abandonei-me
para me preocupar
com os outros
que precisassem de mim!

Saio por aí
e não encontro os outros,
apenas me vejo a mim!

José Manuel Brazão


Às vezes é necessario uma pausa na vida, a solidão enxertada; aquela sábia e necessária para nos manter vivos...

Luciana Silveira


Adorei o seu poema, que reflecte profunda solidão na procura de si mesmo.
Quem faz entrega aos outros com o propósito de vida, espontaneamente, numa doação gratuita de Amor ao próximo, sente uma chama viva de alegria dentro de si que precisa de ser exteriorizada e ao mesmo tempo reavivá-la através do bem que se faz. Esta chama nunca se apaga, é como uma vela perene, que umas vezes a chama sobe e outras desce. Há sempre momentos em que a chama precisa se recolher, ficar sem vivacidade para repousar, equilibrar, recuperar do esforço. É até fundamental que isso aconteça para que o desgaste não se revele improdutivo e vazio. É essencial um encontro consigo mesmo, saber o que se sente, o que nos rodeia, qual o nosso lugar, o que se quer. A partir daí, os caminhos tornam-se mais claros. Os nossos e os dos outros.

Manuela Silva


SolBarreto disse...
Se Dedicar às pessoas e procurar ajudá-las é muito bom, muito bonito e caridoso...mas temos que nos amar primeiro, nos ajudar primeiro, e acima de tudo nos entender primeiro...


Ando triste!


Uns dias
pareço um Sol,
noutros dias
pareço uma escuridão!

Não sei
como estou assim,
eu, que sou um girassol,
procurando a Luz
e dou amor sem fim!

A vida é bela,
agarro-me a ela
para não ficar assim:
ando triste
e o amor?

Esse permanece intocável!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 9 de junho de 2010

O Amor e o Destino


Ele e eu
sabemos quanto a amei!

Vivi
por ela e por eles
(meus filhos),
mas a Vida
assim não quis!

Pensei em Amor
muito amor,
mas não soube dar
ou não souberam receber!

Porquê?

Passo os dias
e as noites
nesta labuta com a minha mente!


Entrego-me
sem pedir nada,
apenas momentos,
que me sosseguem!

Uma vida percorrida,
com poucas alegrias,
algumas tristezas
com o isolamento
necessario e apenas
o Sol para me iluminar
e o amor incondicional
para me confortar!

José Manuel Brazão


* Um poema para a minha ex-Mulher Isabel, Amiga e Mãe dos meus Filhos João, Pedro e Paulo *

Nostalgia


Sim,
Há muito não escrevo pra ti.
Mas as ondas que se quebram
em minha pele
são maiores.
E me impulsionam
a abrir a chancela das palavras.
Todos os meus poros
suplicam por seu calor,
Por seu abraço.
É um querer mais que a mera união de dois corpos sedentos.
É a união de duas almas famintas,
por um desejo perdido no tempo,
Perdido no espaço.
Roubado por uma estrela cadente.
Um desejo que
talvez jamais se concretize.
(Não nessas órbitas reais.)
Então me restam os sonhos.
Assim não desfaleço,
e rego a secura das minhas entranhas,
que aguardam desde sempre
pelo selo do teu amor.

Sandra Freitas



[...]

Foram tantos
e tantos poemas,
poemas de amor
que te fiz!

Tu e eu
nascemos para a Poesia,
para encantar os outros,
alimentando as suas almas!

Quantas vezes
sofríamos nas nossas Vidas
e a inspiração,
superava tudo isso!

Os poemas que te fiz,
sentidos pela voz do coração,
derramaram amor,
muito amor,
que te comoveram
e davam forças
para sair de ti
Um outro poema,
suave,
expressivo,
emocionante,
iluminando
quem o lesse!

Dos poemas que te fiz,
ficam os sentimentos,
nas palavras
que o Poeta não renega
e guarda em seu coração!

José Manuel Brazão

terça-feira, 8 de junho de 2010

Asas rumo ao futuro!


A música que ouvia ao longe
Adentrava-se em meu coração
Revirando ternos sentimentos
De paz, alegria e bem querer
Sua melodia sábia e melancólica
Remete-me a bons tempos idos
Entoando aos meus ouvidos
Tudo aquilo que poderia ser
Esse tom abençoado é luz mas solidão
Nas noites frias e insones de reflexão
É tristeza mas também compreensão
Algo em meu peito querendo extravasar
Sair de mim, te encontrar e nos encantar
Quando foi mesmo que saí do rumo
Perdi o prumo e a doce fantasia?
Agora a noite transformando-se em dia
E o coração totalmente fora da melodia
Ah alma minha, como eu gostaria
De caminhar novamente nos trilhos
Sentir a música, seus tons e brilhos
Meu coração aberto com enredo
E a melodia soando sem segredo
O encontro derrotando o medo
Minhas asas agora pequenas e partidas
Alando-se leves ao frescor do vento.

Luciana Silveira




[...]

Voamos
por esses céus sem fim,
passeando o nosso amor
sem destino...

Voamos
com a alegria que vivemos
por tu seres minha
e eu ser teu!

Voamos
com estas asas
feitas de amor,
que exalarão
o que vai em nosso coração!

Tu sorris
a felicidade conquistada
e eu
guardo em mim
mais um anjo do amor!

José Manuel Brazão


Um momento de reflexão e de esperança. Assim seja!

Afectos por onde andarão?


Parecem perdidos,
por onde andarão?

Eu tenho os meus
e dou ao próximo
sem pedir nada.

Muitos
carecem deles.
Outros
sabem como dar!

Neste desencontro,
preocupo-me
com este mundo assim!

Vejo uma Luz
e agradeço:

É a esperança
dos afectos
que não me abandona,
para que haja
tolerância, compreensão,
solidariedade, compaixão.

Que as crianças
cresçam nos afectos!

Assim haverá amor!

José Manuel Brazão

Reflexo


Não há luz senão refletida pelos olhos de quem a vê
Tantos são os que caminham tateando a escuridão
Caminho em direção contrária ao vento
Busco paz, busco alento
Dias difíceis mas entes dóceis a me consolar
O mistério da vida a sondar-me as portas da reflexão
Estrela longíqua a bailar no céu
Refletindo em meu rosto sua ofuscante luz
A ela me agarro como a um raio de sol
Sol penetrante a me amparar
Seus raios dourados a me embalar
Amor, muito amor é o que preciso
Amor, muito amor é o que tenho a oferecer
Para quem o merecer
E o reflexo naturalmente se fará

Luciana Silveira




[...]


Pressinto e sinto
que ainda existe
em mim
muito amor para eu dar!

Nunca desistirei,
nunca,
até ao sorriso final
de ser um reflexo de mim
perante os que me amam!

José Manuel Brazão