**

**

Outros Blogs do meu grupo:

*

*

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Um lugar somente nosso - Aguardo o teu sorriso .



Umlugar somente nosso

Em algum lugar
Em que pudesse
Revê-lo e te amar,
Querer-te e abraçar.


Um lugar apenas,
Em que seria o sempre,
Pertenceria, permaneceria
Em nossa eterna história.


Um lugar somente nosso, de encantos;
Quão mágico e cheio de esperança,
Lembranças dos nossos sentimentos.

Graciele Gessner


Aguardo o teu sorriso!

Há tanto tempo,
que sonho
com este momento!

Conhecemo-nos
tão bem,
como se vivêssemos,
juntos
cada instante da vida!

Distante
vivo as tuas amarguras,
os teus dilemas,
o querer e não poder,
que por vezes
penso :
estamos tão próximos!

O meu coração
embriaga-se de paixão,
de amor;
visto-te rosas vermelhas.
Olho o teu corpo,
fascino-me
com esse jardim,
delicio-me
com as pétalas de amor,
cheiro
o aroma que vem do teu corpo!

São os meus pensamentos,
distante de ti!
Estou cansado de sonhar,
mas vivo para te amar!

Há tanto tempo,
que sonho
com este momento!

Aguardo o teu sorriso!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 29 de abril de 2010

As 64 primaveras


Primaveras passadas
com flores e amor,
neste jardim do meu encanto,
que é a Vida por mim vivida,
não olhando para trás
com saudosismo,
mas caminhando
com a ansiedade
desse futuro que me espera!

Primaveras passadas
com alegrias e tristezas
necessárias
ao meu viver autêntico
e Que fez de mim quem sou!
Um homem
que ama a Vida
e todos os que passem
pela minha existência na Terra!

Primaveras passadas
com pensamento constante
de Paz, Harmonia e Amor!

José Manuel Brazão

A Lua, sempre a Lua... - Este amor nas costas da Lua


A Lua, sempre a Lua...

A lua, sempre a lua,
A me rondar espreitando meus sentimentos
Esmiuçando o íntimo do meu ser ínfimo
Aquela que me cobre, me embala, me distorce
A lua irradiando-se sem me pedir licença
Acalentando meus doces sonhos delirantes
Como que me sussurrando ao ouvido segredos
Enchendo-me de graça, diante de seu explendor
Lembrando-me da imensidão das galáxias
Cantando-me ao ouvido belas canções de amor
Lua, companheira do meu romantismo embutido
Acompanhando-me desde a mais tenra idade
Inundando-me de prateada e sinuosa saudade
Atirando-me em verdadeiros poços cristalinos
Refletindo como um espelho minhas quimeras
Lembrando-me o sabor das emoções vividas
Lua vívida, cheia, transbordando sensações...

Luciana Silveira

Este amor nas costas da Lua

Este amor
vivido
nas costas da Lua,
muito sofrido
e num silêncio
que só nós sabemos
e compreendemos!

Ninguém
nos roubará
a cumplicidade,
a paixão vivida
de um amor sem igual!

Dias angustiantes
pela saudade sentida,
noites delirantes
pelo reencontro
destes amantes,
que a Vida
os encaminhou
para este grande amor,
perturbante
mas consolador…

José Manuel Brazão

Chegará o teu amanhecer!


Há muito tempo
que vejo o Sol nascer…
Já nem me lembro
quando foi…!

Nem sempre
ele me sorri,
por vezes
parece cinzentão,
mas quase sempre,
brilha e aquece
o meu coração!

Tu
minha alma querida,
ficas triste,
muito sofrida,
incompreendida!

O teu amanhecer,
nem sempre é igual.
Ficas temerosa
pelas tuas rosas,
rosas brancas
a florescerem,
cada qual a mais viçosa,
que te aliviam os momentos
que o destino traçou…

Eu
com fé inabalável,
vejo mais perto
o teu desejado Sol;
Sereno,
digo-te:
amor da minha vida,
chegará o teu amanhecer!

E aí
tu
e as tuas rosas brancas,
verão o Sol raiar,
como nunca viram!

Vossas vidas
estarão nas mãos Deus…

E eu
distante mas próximo,
verei e sorrirei
para a vossa vida,
quando esse amanhecer chegar!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Quando - Quando partires!



Quando

Quando eu não mais existir

Procure-me nas flores

Eu serei o doce perfume que delas emana suave aroma

Quando eu não mais existir

Procure-me na chuva

Eu serei a água
Que molha seu corpo para te refrescar

Quando eu não mais existir

Procure-me em você mesmo

Eu serei a doce lembrança de um lindo e verdadeiro amor

Quando eu não mais existir

Procure-me na lua

Eu serei aquela que te ilumina
e fascina em noites de solidão

Quando eu não mais existir

Procure-me nas ondas

Eu serei aquela que vem bater na areia para dizer

Sempre estarei contigo porque

Ainda Te Amo!!!

Nanda Costa


Quando partires...

Queres partir,
mas dizes com nostalgia.
Uso o espanto,
provoco o silêncio.

Penso
e compreendo!

Esse não era o caminho;
outro haverá!
Procura e luta.

Nada acontece por magia,
a Luz virá:
... quando partires
deixa-me o teu rasto …

José Manuel Brazão

Amor calado (Vida)


Vivo no silêncio,
a chama deste amor,
amor calado!
Vivo este amor,
com o coração
cheio de paixão.
de angústia,
de sonhos.

Como um pássaro,
voo alto,
não sabendo
até onde vai
este amor,
amor calado!

Desço à Terra,
paro e penso
neste amor intenso:
vejo-a vestida de amor,
linda e elegante,
sorrindo,
por este amor calado,
cheio de palavras,
de gestos e afectos …

José Manuel Brazão

Momentos



A vida é feita de momentos
Pequenas alegrias ao longo do dia
Um telefonema, uma poesia
Um mimo, um "mais que dar amor"
A vida passa depressa
E com ela nossos sonhos
Devemos beber o cálice dos bons momentos
E deixar de acomodarmo-nos com o tédio
Com aquilo que nos machuca e incomoda
A vida bem vivida é música suave
É beijo longo ao luar de luz intensa
A vida é leve brisa passageira
Com pitadas de alegrias passageiras
Mas que quando sentidas profundamente
São impressas no corpo e na alma
Tornando o intervalo entre essas alegrias
A nossa melhor e maior festividade.

Luciana Silveira

Estou aqui,
mas por momentos,
saio, voo,
procuro novos caminhos,
novas mentes,
novas ideias.
Paro
e contemplo o horizonte,
parece-me infinito!
Não vejo ninguém,
mas sinto alguém!
É o amor
que não me deixa
e partilho-o:
com quem encontro;
uns sorriem,
outros perturbam-se!
Reflexos:
dum mundo distraído,
egoísta,
de costas voltadas,
com poucos guerreiros,
na luta dum mundo melhor!
São momentos,
para a minha esperança.
De tristeza,
mas com a certeza,
que sou um dos guerreiros …

José Manuel Brazão

Derramo amor!


Não chega dar amor,
derramo amor…

Dou o meu corpo
e a minha alma,
por este mundo,
intolerante e indiferente
que me faz impaciente.

Uso a palavra,
como um grito dorido,
que ecoe pelos céus,
atravesse continentes
e abane os “inteligentes”!

Não descansarei:
pelas novas gerações,
pelo seu futuro!

Que lhes deixamos?
Inveja, cobiça,
ódio …

Minha esperança
empobrece,
mas ganharei forças
e continuo,
continuarei derramando amor,
pelos nossos filhos,
pelos nossos netos …

Acompanhem-me…

José Manuel Brazão

terça-feira, 27 de abril de 2010

Por ti, em ti!


Por ti
darei o Sol, a Lua,
o afecto, o carinho,
a paixão e o amor!

Em ti
ficará o homem
que vive
momentos felizes,
quando te sente,
te ama,
mas não vive sem ti!

José Manuel Brazão

Oh Zé,
Tu és o poeta que melhor canta o amor.
Beijo
Nanda Esteves

Esse teu olhar é a poesia que eu entendo!


Leio os teus poemas
e sinto
que escreves o amor
sonhando,
lutando,
tornando-o
emocionante,
suave, doce!

Esse teu olhar
percorre a Vida,
na busca
do teu ideal de Vida!

O teu anjo,
o teu
anjo meu,
sorri,
mas ajuda;
ajuda sempre
com a sua mão,
o seu olhar
a sua voz
e o seu coração
pulsando
bondade e amizade,
com laços de amor!

Esse teu olhar…
é poesia que eu entendo!

Sabes
que está sempre perto,
o teu
anjo meu!

E ficará
esse teu olhar
e a tua poesia que entendo!

José Manuel Brazão

Sonhar é fácil, mas prudência!


Na vida sempre se sonhou e assim continuará, como parte da natureza humana!

O sonho é um momento que por vezes nos entusiasma e noutras nos entristece levando até à desilusão!

O sonho contém como um dos ingredientes a ilusão, o fascínio e quantas vezes perdem a noção da realidade!

E aqui pode entrar um conflito humano em que a pessoa vê tudo ao contrário do que queria realizado!

Se não houver alguém por perto – bem acordado – a ajudar a outra sobre o que se está passar o “sonhador” caminha para um abismo!

Já assisti a casos de grandes fascínios, deslumbramentos e até grandes paixões que levaram as “vítimas” a demorarem por compreender a razão natural das coisas!

Mas há o outro lado do sonho!

Existem sonhos que ligados ao “acreditar” alimentam a esperança e nem sempre mas algumas vezes transformam o sonho em realidade!

Contudo esta situação não serve de regra, mas apenas uma excepção!

Quando se escreve, a liberdade de inspiração alimenta momentos sonháveis, mas tudo não passa de um texto com uma história, apenas uma história …

Sonhar é fácil, mas prudência!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Eterno em mim!


Neste caminho
que trilho,
“Ando por aí”,
num
“Amor sem limites”,
“Amor crescente”,
“Amor da minha vida”
“Por ti daria a vida”
e ainda
“Amor calado”,
“Amor na minha mão”
“Amor sem hesitação”
“Amor sem recuo”
“Amor…só Amor!”,
“Amar-te-ei sempre!”,
“Amor não será vadio…”
e tantos outros poemas,
para minha alegria!

Eterno em mim,
a minha Alma,
o meu Amor
e a minha Poesia!

Eu, o homem
apenas um Mortal!

José Manuel Brazão

Sorriso cansado


Pressinto e sinto que procuras confusa o teu caminho. Ias bem nele, mas de repente achaste que devias seguir por aquele atalho.

Pensavas que era a estrada do teu amor pela vida!

Após algum tempo percebeste que não era o caminho indicado. Tinha muitos obstáculos que se tornavam em contrariedades e em perigos …

Sentaste-te à beira do caminho e pensaste no passado recente.

Lembraste-te da tua gaivota amiga, que poisava sempre no teu ombro, aconselhando-te tudo de bom para ti.

Um dia lembraste-te de a desafiar, afastando-a, porque achavas que era melhor para ti. A gaivota ficou triste, não voltou a poisar no teu ombro!

Pensavas que ela só percebia de mar, mas ela já tinha voado muito na vida!

Ficou triste e, hoje, já pouco voa; apenas o bastante para ajudar outros que acreditam nela.

Notas a sua ausência e a necessidade de ajuda. Não te apetece sorrir como era costume.

Sentes o teu sorriso cansado!

Ganha forças porque os erros são lição de vida!

Agarra-te à Vida!

Com humildade em reconheceres que a vida ,nem sempre é alegria, hás-de voltar a sorrir e a a gaivota voltará a poisar no teu ombro!


José Manuel Brazão

domingo, 25 de abril de 2010

Vou, vou por aí...


Vou,
Vou por aí…

na busca do amor,
distante
e próximo!

Por vezes
na minha mão,
Outras
voa sem norte,
na procura
do que não encontra!

O amor
está sempre,
onde deve estar:
no coração de cada um…

José Manuel Brazão

sábado, 24 de abril de 2010

Caminhada - Amor sem recuo



Caminhada

Prossigo minha caminhada
Dançando no meio da mata
Nadando no rio, em cascata
Vivendo o que há para viver
Em volta, luzes apontam esse caminho
Muita ternura, amor e compreensão
Agora você habita em meu coração
Somos amigos e cúmplices nessa empreitada
O sol já me sorri
A noite já me é branda
Penduro enfeites na varanda
Para mais tarde sonhar com você
Te sentir me acalma
Te sentir me divide
Sou metade eu
E metade você.

Luciana Silveira




Amor sem recuo

Abraço-te com fervor.
contemplo-te e sinto
cada vez mais amor!

Meus braços
aconchegam o teu corpo,
minhas mãos
acarinham-te,
mimam-te!

Dos teus olhos
correm lágrimas,
que recolho-as
p’ra minha memória.

Teus lábios ficam trémulos,
sorrimos, beijamo-nos,
continuamos abraçados,
como se fossemos
donos do tempo, da vida.

Os teus olhos
continuam brilhantes,
vejo-me neles…

Nossos lábios
voltam a beijar-se,
com volúpia,
com amor,
com ternura,
com loucura,
sentindo-nos partir
até ao tecto do amor!

Este amor não pára,
com momentos belos,
momentos felizes,
que ninguém nos roubará!

José Manuel Brazão

Um pedaço meu


Longa vida,
entregando-me aos outros.
Uns entenderam-me.
Outros ignoraram-me!

Longa vida,
com alegrias:
o caminho era esse.
Com tristezas:
erros que não entendi.

Tenho tempo para os corrigir,
pedir o meu perdão
e perdoar aos que erram comigo.

Em cada pessoa vejo um amigo,
e depois …
As desilusões, os desencontros,
a angústia invadindo meu corpo,
palpitando o meu coração.

Renasce a esperança,
creio e vou por diante.

Há sempre um pedaço meu,
com verdade e amor,
compaixão e tolerância,
um sorriso vibrando Luz!

José Manuel Brazão

Tu sabes como amar!


Ontem
quando te vi,
percebi
seres a mulher
com que sonho!

Hoje
nada te peço,
mas és carinhosa
quando preciso,
confortas-me
quando sentes
as minhas palavras,
mais frágeis.

Lembras-te
era bom estares aqui!

Amanhã
mais unidos seremos,
firmes caminharemos,
porque
tu sabes como amar!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Não consigo calar!


Não,
não consigo calar,
a voz do coração
com as palavras
que devem ser ditas
ou escritas,
no monento certo,
para que vejas em mim,
que me dou a ti
de corpo e alma!

Não,
não consigo calar,
a voz do coração,
enquanto houver Vida em mim!

José Manuel Brazão

Quando penso em ti - Amar-te-ei para sempre!



Quando penso em ti

Quando penso em ti
Sinto-me navegar
Em um imenso mar de paixão
Solto minhas asas
Vôo na imensidão

Quando penso em ti
Penso também em mim
Pois a tua sombra em mim habita
E coabita com os sonhos meus

E quando paro
Para pensar na minha vida
Vejo a tua vida também
Na minha refletida

Teus passos
Teus gestos
Teus desejos
Tudo vejo
Quando penso em ti

E se em algum dia eu vier a me esquecer de ti
Podes ter a certeza que também me esqueci de mim
Porque minha vida pertence a ti
E a sua vida a mim pertence

Assim como o luar pertence ao imenso mar
Assim como a flor pertence a terra que lhe alimenta
Pertenço a ti
E em ti me reinvento
Renasço
Nas tuas forças me sustento
Repouso em tuas asas.

Nanda Costa



Amar-te-ei para sempre!

Um amor assim,
vivido
e alimentado por mim,

de quem ama com alma!

Um amor
no tempo em silêncio,
na memória do tempo,
com lágrimas
guardadas na alma
e outras
escondidas na sombra da Lua!

No resto do meu caminho,
amar-te-ei para sempre!

José Manuel Brazão

Sonhar acordado




Sonho,
sonho muito..
mas acordado!
Vejo as pessoas,
observo-as,
falo com elas:
gosto (quase) de todas!
Passa o tempo,
vamos encontrando
aqui e ali,
ilusões e desilusões,
amizades
e infidelidades,
amores e rancores.
Não me revejo
neste mundo!
Resta-me o das crianças:
o novo mundo!

E agora?

Só sonho, dormindo...

José Manuel Brazão

Compreendo



Pelas minhas posições perante a Vida poucas pessoas me compreendem.
É um grupo muito restrito.

Pessoas que convivem comigo há muitos anos, mas tenho um caminho a percorrer. Uma missão a cumprir.

No meu cantinho faço constantes auto-reflexões para tentar melhorar os pontos fracos (corrigir os meus erros). Tarefa difícil, mas convém persistir!

Naquilo que estamos bem na vida, aí ganhar forças para prosseguir!

Neste aspecto de “estar bem com a vida” tenho muita gente a rodear-me; em cada dia conquisto pessoas que com o tempo se tornam meus amigos!

A esses vivo no meu silêncio as suas alegrias e as tristezas. Como se fossem minhas!

Esses amigos sentem que eu os compreendo e confortam-se por serem compreendidos.

Está em mim a facilidade da compreensão como se as conhecesse há muito tempo.
Algumas só as conheço através da Net, mas nasce uma “magia” como se nos conhecêssemos há muito tempo! Imagino-as!

Nasci e quero terminar o meu caminho com a maior evolução possível em que prevaleça o amor, tolerância e compreensão! Compreendo…

José Manuel Brazão

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Encontros no meu caminho...


Reflectindo sobre a minha Vida e nesta última fase vejo encontros que me estavam pre-destinados!

Alguns se assemelham tanto, que vieram parar a mim sem os procurar!

No tempo e momento certos enfrentei o passado de duas mulheres, que foi violento,vividos e sofridos com marcas, que me inpressionaram e me fez estender a minha mão amiga e solidária!

Sofri o que passaram, por vezes, ao ponto de imaginar como teria sido e envolvendo-me muito com elas!

Não é fácil renovar a estrutura emocional duma mulher vitima de passado violento; ela vive um silêncio como sua própria “defesa” e há que lhe inspirar confiança para que aceitem partilhar o que existe dentro delas!

Consegui que tudo isso acontecesse e vissem em mim, em primeiro lugar o homem para as ajudar!

Durante este tempo os laços afectivos vão se aproximando e começam indícios de que já temos necessidade de nos sentir, isto é, que o distante se torna próximo e convivemos como se estivéssemos na mesma casa!

Para isto haverá total sintonia ao ponto de quase se saber o que outro vai dizer ou quer fazer. Também haverá um total entendimento, que facilitará a vivência diária de cada um!

Estes dois casos que marcam a minha Vida parecem contos de fadas, mas são Vida. Uma realidade de amor incondicional, que leva cada uma das pessoas envolvidas a sentir gratidão, porque deixaram de existir, mas passaram a viver!

José Manuel Brazão

Tu és minha!


Somos
eternos amigos,
companheiros
e amantes!

Sinto-te
a qualquer hora,
em todos os instantes,
neste lindo amor,
como nunca tive!

Amor com desejo,
deixando
para outro momento,
o prazer…

Sentes
a confiança que precisas,
o conforto do meu olhar,
das minhas palavras!

Muito nos separa,
muito nos une,
mas
tu és minha!

José Manuel Brazão

Porto de abrigo (Amor)


Um homem do Amor,
sempre de coração aberto,
por vezes carente dele,
mas partilhando o que tem!

Um homem do Amor,
que sentem nele,
um porto de abrigo,
de bonança
e de águas livres!

Um homem do Amor,
que procura ser feliz,
com a felicidade alheia,
estendendo a mão
onde leva o amor!

José Manuel Brazão

Porto de Abrigo

Tu és o porto de abrigo
que teimo em preservar
e só por seres meu amigo
sei que não vou naufragar...

Quem não tem na amizade
o conforto que procura,
quando acordar já é tarde
e a alma ficará escura

A riqueza que procuro
nada tem de material,
é só dar e receber
uma amizade leal,
que me preencha o vazio
das horas de solidão.
Obrigada Zé, meu amigo,
trago-te no coração.




Nanda Esteves

Pobre Poeta... do amanhã!


Escreve
como se sonhasse,
se vivesse
num mundo de encanto,
de ternura e amor!

Escreve
para alimentar a alma
de quem o lê,
recebendo
gestos de amor!

Escreve poemas
para aliviar os dilemas;
os seus
e dos outros…

Se não escrever,
morrerá a alma do Poeta,
ficando apenas:
um homem,
uma vida
e um pobre Poeta
agonizante…

Apagam-se as luzes…
Mas ficou a honra
e os meus Poemas!

José Manuel Brazão

* Aos Poetas para quando já não houver “aplausos”. Até lá sejamos dignos desta nobre Missão! *

Que vida...? ... e fez-se Luz!


Vida que vivi
e não desejava!

Uma vida
no tempo disfarçando,
como se tudo estivesse bem!

No silêncio
vivendo a verdade,
amarga,
muito amarga,
mas resignando
às desventuras,
pensando no sofrimento,
muito sofrimento,
de outros…

Cansado, penso que o caminho
se desviou de mim
e não tenho a quem perguntar:
para onde vou?

Sei
quantas pedras desviei,
sei
quantas lutas travei,
mas não sei,
porque o amor se esconde.

Tem vergonha de mim?

Penso que não!

Terei dado
a quem não merecia?

Talvez!
Mas não me arrependo,
porque o amor dá-se
e não se retira!

O amor reacendeu
no meu coração!

Apareceste como um Anjo
que procurava!
Fez-se Luz…
Minha Vida te sorri…

José Manuel Brazão

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Coração teimoso!



No amor existem corações teimosos!

Se um coração teimoso entende que não recebe do(a) outro(a) tudo aquilo que dá, fica com a angústia de que só ele(a) ama!

Mas não será assim! O amor entre duas pessoas vive-se sem medições. Cada um entrega-se com aquilo que a sua capacidade estrutural e harmónica lhe permite.

No amor a fidelidade e a lealdade devem ser igualitárias, mas os sentimentos afectivos já estão sujeitos à tal estrutura pessoal!

Fundamentalmente o amor exige tão simplesmente verdade de ambos e ela nem sempre é aquilo que pretendemos!

José Manuel Brazão

Vontades - Amo-te pela noite



Vontades


Ah! Vontades do que não se pode ter.
Vontade tão simples... Queria tanto te ver.
Vontade de sentir seus lábios, de te beijar.
Vontade de estar ao seu lado, de te abraçar.


Não dá para ficar só nas vontades.
Adoraria estar contigo, nesta noite chuvosa...

Graciele Gessner



Amo-te pela noite

Amo-te
e sempre te amarei!

Somos
um para o outro!
Tu mulher de paixão
eu suando amor,
dá um grande amor!

Vivemos este amor
em nossos silêncios,
com sofrimentos,
com lutas interiores,
mas com corações
entregues a este amor,
arrebatador,
lindo e profundo.

Sofres muito
por mim.
Vês duas gaivotas a voar
e acenas para a favorita!
Já poisou
muitas vezes no teu ombro
e tu choravas
por tanto carinho
e por não a levares contigo.

Sabias
que ela voltaria
todos os dias,
à mesma hora
e aparecia a tua alegria
dum amor vivido,
conquistado
mas dividido!

Continuamos
os nossos silêncios,
a nossa cumplicidade,
sempre com saudade,
até ao momento
em que este amor;
será eterno amor …
pela noite!

José Manuel Brazão

A Lua apenas te sorri!


Acordas
tanto para viver
alegrias
como tristezas!

Quando pensas
em mim
espalhas toda a alegria,
mas quando pensas
na vida que tens
vem a tristeza
e deixa-te refém
de uma solidão
que não queres!

Recordas
a minha imagem,
olhas o Céu
e perguntas à Lua:
será amor ou paixão?

A Lua não responde,
Apenas te sorri!

José Manuel Brazão

Um belo presente de gratidão!



A minha vida está bastante preenchida de momentos de alegria e de tristeza!
Mas alguns desses momentos de tristeza rapidamente se esfumam com a minha Fé e Esperança que a seu tempo as situações apareçam resolvidas!
E se nalgum momento chega até mim o sentimento de gratidão então aí o meu corpo e alma se enriquecem!
Eis o melhor exemplo para o que acabo de escrever!
José Manuel Brazão


O poder da palavra

Hoje me senti suja
vestida de palavras maltrapilhas
sentado no desprezível linguajar.
Palavras decadentes açoitaram-me
que triste final dessa historia.
Tem gosto de sal, que banha
minha face, que me faz frágil.
Então, sinto que sou amparada;
Com suas mãos que diz:
Levanta!
Então, sinto o poder
da palavra sadia, que cura.
Que socorre...
Obrigada meu amigo!
Psiquê

terça-feira, 20 de abril de 2010

Um completa o outro!


Assim é
e será este amor!

Amo-a
desde o primeiro momento,
que a vi
lhe sorri
e a senti
palpitando meu coração!

Ela
sentiu paixão,
pensou sonhar,
mas acordou
para um grande amor!

Momentos felizes
nos esperam,
o Sol e a Lua
nos sorriem
e contemplam!

Vivemos
como almas unidas;
nosso amor
e nossa vida
tem um destino:
um completa o outro!

José Manuel Brazão

O eco das tuas palavras!


Sinto na minha alma
o eco das tuas palavras,
palavras vividas
sofridas por uma vida
sem sentido,
sem amor,
mas com esperança!

Vida por viver,
mas sonhada!

Através dos sonhos
de cada dia,
constróis os castelos
do carinho, do amor
que deste,
mas não recebeste!

Mulher
que se dá por inteiro,
busca o caminho
para si
e para as suas rosas.

Sinto ainda
o eco das tuas palavras
envoltas em lágrimas
que lavarão o passado,
para olhares o futuro,
com ansiedade
e o direito à felicidade!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Teus lábios


Os lábios de uma mulher,
requintam o amor!

Olho para ti
e vejo os teus lábios
colorirem tua beleza.

Procuro neles
as palavras tímidas,
mas carinhosas,
sinceras
e sonhadoras.

Teus lábios
inspiram muito amor,
para receberes
e para dares…

Teus lábios
juntam-se aos meus
e voamos
com as asas do amor!

José Manuel Brazão

A concha



Vives nessa concha
em que sentes protecção,
mas não vives
a vida que sonhas
e desejas!

Vives um mundo
só teu,
vives um silêncio
de amor sofrido!

Um sofrimento
sem limites,
mas
o teu pensamento,
está na concha
e no coração de alguém…

José Manuel Brazão

Serei assim até ao fim!



Nesta caminhada,
aprendi o bastante,
para nesta vida constante,
me entregar!

Errei.
muitas vezes
Por imaturidade,
ignorância,
rebeldia,
mas nunca por saber tudo !

Procurei
compreensão,
tolerância, compaixão!
Pouco recebi…

Virei
a página da vida,
que me enganava,
me torturava,
sem saber o porquê?

Mudei
sinto-me bem comigo
e com os outros!.
Cada porta fechada,
agora está aberta!
Respiro
como nunca respirei!
Dou um sorriso
e recebo muitos!
Dou amor
recebo muito;
com carinho,
afecto, beijo,
sorriso e respeito!

Encontrei
o equilíbrio, a lucidez,
para me entregar
aos outros
que amam
ou que de mim precisam!
Dou
sem nada pedir!

José Manuel Brazão

domingo, 18 de abril de 2010

Gostar e amar!


Pensas em ti
e buscas um caminho!
O amor, o teu amor!

Amas
e não és amada.
Gostas
E tens o amor à espera!

Ficas dividida,
Confusa,
Angustiada,
Para onde
o amor te leva!

Queres mudar o rumo,
Mas não sabes como!
Gostar e amar
São diferentes para ti
E vives o dilema,
Da indiferença amares
Ou o afecto e o carinho
Com tuas mãos agarrares!
Pensas melhor
E vês que
O amor e a indiferença
São inimigos na Vida!

José Manuel Brazão

Eu e a Graci


Na Vida
e no meu destino,
Apareceste
por um sorriso
em poema era meu
e na vida era teu!

Daí
nasceu esta ligação
Vida e Poesia,
que nos trouxe até hoje!

A minha admiração
pela Mulher
determinada,
carinhosa e
generosa!

A minha admiração
pela Escritora
inteligente
de visão sem limites,
amadurecida pela Vida!

Nos admiramos
im ao outro,
por esta dádiva da Vida,
que guardamos
em nossos corações
e gravada
em nossas existências!

José Manuel Brazão

sábado, 17 de abril de 2010

Qual solidão!!!




Sou um homem
que vive só!

Não sei
o que é solidão!
Não a alimento
nem quero
ser amigo dela!

Vivo
com o mundo
à minha volta,
com pessoas
que me dão amor…

Que mais posso pedir?

Solidão
ou não solidão,
apenas existe
nos que querem
viver esquecidos
que ainda há
o amor ao próximo!

Eu acreditarei sempre…

José Manuel Brazão

Eu e a Vida



Vivi
o que tive de viver!


compreendo a vida,
olhando para trás!


posso viver a vida,
olhando para a frente!

O passado
não se apaga,
o futuro
vou recomeçar!

José Manuel Brazão

Ouço chuva, limpo lágrimas!


No silêncio da noite,
ouço chuva,
sinto-me triste,
e pelo meu corpo
correm saudades
de tudo
e de todos…

Neste silêncio
nascem coisas belas,
como se me asfixiam as ideias,
que me contrasta
com o que sou,
ficando perdido,
sem saber para onde vou…

Luto com este silêncio,
ouvindo a chuva!
Misturo-me com ela,
para que lave meu corpo,
me purifique!

Vou andando,
aceito a chuva,
como uma bênção,
pelo amor
que tenho dentro mim,
que não se cansou,
de amar tanto;

Meu pobre coração,
que tanto aguenta
de resignação,
pelos esquecidos
e pelos não queridos.

Pela minha face
escorre chuva e lágrimas.

Continuo a ouvir
e a sentir a chuva
e limpo as lágrimas…

José Manuel Brazão

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Que a alegria fique em mim!


Ganho forças,
tento caminhar,
procurar
Luz,
muita Luz,
que me leve,
que me afaste
da solidão
que me siga
e eu renegue!

Abraço a esperança,
beijo a confiança,
limpo a lágrima
que lavou a alma!

olho o Céu,
dou graças
por tudo o que recebi,
esperando o meu Sol!

Que a alegria fique em mim,
para uma Vida,
com Paz e Amor!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Reencontro



Olhamo-nos
e não acredito
no que vejo!
O nosso reencontro!
O teu sorriso tocou-me,
relembrou o meu passado
fez brilhar o meu presente,
como um sol risonho!
Ouvimo-nos:
a tua voz
deixou-me em sonho!
Falei-te sobre a vida,
entendeste-me
e voaste por aí…
Não sabia o teu rumo
e com saudades fiquei.
A tristeza
invadiu meu corpo,
mas olhando o céu
a alegria
percorreu meu corpo,
voavas para junto de mim.
Não haverá mais reencontros!

Renasceram os encontros …

José Manuel Brazão..

O amor procura-me!


O amor,
sempre o amor!

Tenho vivido
com esta chama…

Não se apaga,
parece eterna,
como o Sol a brilhar!

Vivo
sempre com ele,
não vivo
se ele me fugir!

Mas não foge!
Procura-me.
Porquê?

Vou sempre ao seu encontro,
mas agora
ele não quer sair,
quer ficar sempre!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Nas tuas palavras de Mãe!


Assim foi!

Nas tuas palavras de Mãe senti dentro de mim, o que treze anos antes, tinha sofrido com um dos meus filhos!

Passaram por mim todas as imagens desses cinco anos em que ele sofreu e eu, a Mãe e os irmãos fomos testemunhas de sofrimento. Recordei também quanto é necessário ser crente – seja em que religião fôr – com uma fé inabalável para se ir buscar força interior e combater o pessimismo e abraçar a esperança de que a Vida sorrirá, dias melhores virão e esse filho que será a nossa continuidade na Terra conjuntamente com muitos outros, transformem este Mundo em decadência!

E assim com a sua tal força interior esta Mãe acreditou; a Vida sorriu e seu filho também!
Mãe que arrisca a sua vida a gerar uma criança tem o o direito a esquecer-se por momentos, que somos filhos do Universo e a considerá-lo como muito seu!

Mas de facto somos filhos do Universo!

José Manuel Brazão