**

**

Outros Blogs do meu grupo:

*

*

domingo, 28 de fevereiro de 2010

O Amor e o Destino


Só Ele e eu
sabemos quanto a amei!

Vivi
por ela e por eles,
mas a Vida
assim não quis!

Pensei em Amor,
mas não soube dar
ou não souberam receber!

Porquê?

Passo os dias
e as noites
nesta labuta com a minha mente!


Entrego-me
sem pedir nada,
apenas momentos,
que me confortem,
me sosseguem!

Uma vida percorrida,
com sofrimento,
com poucas alegrias,
com isolamento
e apenas
o Sol para me iluminar!

José Manuel Brazão

* Na humildade do Poeta dedicado à Mãe dos meus Filhos: João, Pedro e Paulo *

Amor é muito mais...



Um bom exemplo esta imagem sobre a minha luta há mais de vinte anos na divulgação do AMOR!

Amor é muito mais do que desejo e prazer...

José Manuel Brazão

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Sinto-me só. Mas não entendo …!



Sinto-me só,
mas não entendo;
aceito, mas sofrendo.

Deixa-me sinais…
…no meu corpo,
na minha mente!

Por vezes inquietante
e outras angustiante.
Fecho os olhos:
medito e recordo
o passado pouco distante:
vejo as imagens
dos amados que partiram;
dos amados que ficaram.
Procuro-os…
Mas…
preciso de viver…
amando e ser amado,
por aqueles que pairam
comigo neste cativeiro terreno
e pelos outros que já pairam
ainda sem mim,
num mundo mais feliz!

Assim sente:
meu corpo e minha mente!


Desilusão

Se tenho desilusão,
já tive ilusão!

Ilusão
como um homem
que se dá,
usa boa fé,
sorriem-lhe,
é bestial,
e outras coisas tal!

No fim
olho à minha volta;
uns tantos sinceros,
outros simpáticos,
e o resto:
indiferentes
que respeito,
apenas respeito!

Serei sempre o mesmo,
com ilusões
ou desilusões!

José Manuel Brazão

Pensando em ti!


Em cada momento
o meu pensamento
está em ti!

Pensando,
pensando em ti,
vejo o céu azul,
sorrindo para mim!

Pensando,
pensando em ti,
vejo o sol radiante,
com muita Luz
que me cega de amor!

Pensando,
pensando em ti,
vejo a vida
com alegria,
com outro sabor!
Doce,
simplesmente doce!

Pensando,
pensando em ti,
sinto
na minha Alma,
amor e mais amor,
sinto
no meu corpo
desejo e prazer,
pensando em ti,
somente em ti!

José Manuel Brazão

Vai … e procura o que mereces…!

O caminho

andas a descobrir!

Vai…

não hesites,

percorre

sem olhar para trás!

Não estou aí…

Vai…

Acredita!

Vai…

o Sol sorri,

a Lua confia!

Vai…

Eu estou aqui…

… e procura

o que mereces…

Eu ficarei

como sempre, aqui!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Esse teu olhar é a poesia que eu entendo!


Esse teu olhar…
é poesia que eu entendo!

Leio os teus poemas
e sinto
que escreves o amor
sonhando,
lutando,
tornando-o
emocionante,
suave, doce!

Esse teu olhar
percorre a Vida,
na busca
do teu ideal de Vida!

O teu anjo,
o teu
anjo meu,
sorri,
mas ajuda;
ajuda sempre
com a sua mão,
o seu olhar
a sua voz
e o seu coração
pulsando
bondade e amizade,
com laços de amor!

Esse teu olhar…
é poesia que eu entendo!

Sabes
que está sempre perto,
o teu
anjo meu!

E ficará
esse teu olhar
e a tua poesia que entendo!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Paz no reencontro!



Suspirámos
no tempo,
a busca dessa paz,
que nos fugia,
quando antes
permanecia em nós!

Buscámos
no tempo,
a razão dessa ausência!

Lutámos
no tempo,
pela sua reconquista!

Reencontrámos
neste tempo,
tu como anjo meu
e eu como anjo teu,
essa paz rejuvenescida
com tudo que a compõe:
a compreensão,
a tolerância,
a amizade,
tudo
com muito amor!

Um encanto que voltou
por uma esperança
nunca perdida,
porque ficaram em nós,
as raízes desse amor!

José Manuel Brazão

Um mar imenso a unir corações!



Mar imenso

Olho para o mar,
perco o horizonte!

Mar imenso
que nos distancia,
mas não nos afasta!

Nosso amor
conhece o mar,
navega nele
todos os dias
da nossa vida!

Não haverá
naufrágio
e chegará a bonança,
as águas acalmarão,
e o meu coração,
liberto da tempestade,
esperará com esperança,
o dia
em que o mar imenso
nos aproximará,
para sempre,
para sempre, meu amor!

José Manuel Brazão


Eu Tu Nós

Olhos nos olhos
Mil instintos
Corpos colados

Fêmea e macho no cio

Ouvem-se gemidos

Mãos se tocando

Almas se amando

Ambos querendo

Desejando

Para os dois não há embaraços

Nem empecilhos

Nem tempo

Nem cansaço

Um ao outro devorando

Acariciando

Um amor para todos os meses do ano

Assim

Eu

Tu

Em uma só vontade

Vontade de estar para sempre juntos

Vontade
De nos amarmos de verdade

Eu, tu, nós.

Nanda Costa



Rosas da minha Vida

As minhas rosinhas,
rosas da minha vida,
crescem viçosas,
viradas para o Sol,
que as aquece
dando-lhes amor!

São tratadas,
com carinho
para sorrirem
num futuro azul,
como o céu!

Serão preparadas,
para repartir amor,
exalar paixão,
por quem
lhes estenda a mão
nesta magia
onde haja amor
e compaixão!

Estas rosas,
rosas da minha vida,
olhando,
vejo-as como Anjos…

José Manuel Brazão

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Porque vivo em angústia?


Na sala de trabalho onde concentro o meu “mundo da criação de textos” muitas vezes dou comigo a reflectir com o que passa nos diferentes sectores da Vida: a ausência de paz, amor, tolerância, compreensão e tantos outros sentimentos…!

Fico triste, perplexo e chego à angústia!

Ao longo de muitos anos escrevia e usava palavras esperançosas, mas com tanto “caminhar” na minha vida já se me torna difícil de vestir as palavras de uma forma menos traumatizante e menos frustrante!

Sempre entendi que a minha missão de escritor seria a de levar até ao leitor temas de encanto, beleza, o amor verdadeiro e tudo o mais que após uma leitura a pessoa sentisse uma “terapia” para a sida diária!

Com a angústia que sinto no que vejo e ouço já tenho dificuldade de “despir o fato” do cidadão e ser um escritor “fechado” na sua missão de criador de ideias!

Tudo isto, porquê?

Pela tal angústia de ver um Mundo que não é o meu, mas que tenho de conviver com ele!

José Manuel Brazão

Companhia da Lua... - Eu queria ser luar...



Companheira da Lua...

Uma solidão me ronda
Mesmo tentando enganá-la meio ao riso triste
Ela me procura como num jogo de esconde
Tento fugir
Ouço o som do vento lá fora
Lágrimas teimam em cair
A saudade vem, apertando o peito
Um vazio
Voz que cala
Boca amarga
Tento disfarçar a dor
Abro a janela
E vejo a lua serena e bela
E eu e ela solitárias na noite
O sono não vem
A noite parece não ter fim
E eu debruçada na janela
Sigo a triste trajetória da lua
Até nascerem os primeiros raios de sol
Uma despedida sana o vazio
Mas sei que a noite
Seremos solidárias
E pra não sermos tão solitárias
Eu da minha janela
A ela farei companhia...

Marcia Grossi

Eu queria ser luar...

Noites de luar
clamam paixões,
umas sentidas,
outras vividas.
As noites de luar
parecem iluminadas,
intensas,
dramatizadas.
Paixão
é apenas paixão.
Quando acaba o luar,
tudo acaba.
Onde pára a paixão?
À espera de outro luar
para criar ilusões
e desilusões.
Eu queria ser Luar
para inspirar amor,
em vez de paixão …

José Manuel Brazão

Viver - Lágrima


Viver

Existem momentos
de hesitações,
interrogações,
muitas interrogações!

Nem sempre
tenho resposta
ou solução!

Nem sempre
a voz do coração
me escuta
ou entende!

Aguardo
pelo amanhã,
com a esperança
que nem todos os dias
são iguais!

O ontem já esqueci,
o hoje estou a viver,
o amanhã está para nascer!

José Manuel Brazão


Lágrima

Quando penso
e penso em ti,
vem a lágrima,
lágrima teimosa,
por seres generosa,
uma pedra preciosa
a decorar o meu coração!

Quando penso
e penso em ti,
vem o sonho duma paixão,
sonhada, mas por viver!

Quando penso
e penso em ti,
vem a lágrima,
lágrima teimosa,
por ver
não estares ao pé de mim!

Apenas sonho
e vem a lágrima…

José Manuel Brazão

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Coração teimoso!



No amor existem corações teimosos!

Se um coração teimoso entende que não recebe do(a) outro(a) tudo aquilo que dá, fica com a angústia de que só ele(a) ama!

Mas não será assim! O amor entre duas pessoas vive-se sem medições. Cada um entrega-se com aquilo que a sua capacidade estrutural e harmónica lhe permite.

No amor a fidelidade e a lealdade devem ser igualitárias, mas os sentimentos afectivos já estão sujeitos à tal estrutura pessoal!

Fundamentalmente o amor exige tão simplesmente verdade de ambos e ela nem sempre é aquilo que pretendemos!

José Manuel Brazão

Vem: esta é a hora!


Sinto à minha volta
a solidão.
Não a solidão
para estar só.
Mas a solidão,
de ficar só.

Vem:
esta é a hora,
para não ficar só!

Quero-te
sempre presente
de corpo e alma.

Desejo sentir
as nossas rosinhas
em todo o instante
da minha vida!.

O que peço
é doce,
é consolador,
ter por perto
tu, meu amor,
que me dás
o teu encanto
através desse coração
que pulsa
paixão
e derrama amor,
muito amor!

José Manuel Brazão

Viverei em Ti


Percorro o meu passado,
na procura do que errei!
Muita coisa…
Não o posso desconhecer,
mas fico ciente
que logo ao amanhecer,
começarei um novo fim,
na busca da Luz
e viverei em Ti!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Anjo meu



Anjo meu

Anjo meu
Leva-me contigo em teus braços
Leva-me para os mais altos céus

Vem
Segure-me forte deixe-me contigo voar
Atravessar desertos e vales
Montanhas e mares
Quero debaixo das tuas asas habitar

Anjo meu
Ensina-me o caminho correto
Quero contigo aprender o que é certo
Quero contigo aprender a amar.

Leva-me
Para bem junto á ti
Pois sei
Que só assim poderei sorrir
Tendo teu sorriso a me guiar

Vem amor
Só nos teus braços encontro proteção
Segure firme minha mão
Mostre-me os segredos que possui teu coração.

NANDA Costa



Anjo meu

Anda comigo
a tua imagem:
sempre!

É noite
e neste silêncio,
olhei para o céu,
descortinei a lua,
fixei-a;
noite de luar,
com estrelas brilhando,
deslumbrei-me
porque pareciam
iluminar o meu corpo.

Olhei a tua imagem,
também estava iluminada.

Fechei meus olhos
com a luz intensa.
Desfilaram na minha mente,
muitos anjos.
Um deles desceu mais
e nas imagens mentais,
vestias de anjo!

Voltei para o meu cantinho
e o meu Anjo
pertence ao Universo.

Na Terra
tu és o anjo meu!

José Manuel Brazão


Como seria bom que na terra existisse o nosso anjo como existe nos céus da vida.
Abraço
Natacha


José,

São dois poemas de rara beleza!
Os anjo abraçados eternizam os sentimentos mais puros!

Parabéns a vcs dois pelo lindo poema que amei!

Beijos ternos...
Rosa

Quase partias...


Vi
quase partires!

Falei
com a esperança,
chorei
e supliquei
por ti
pelas “rosinhas”
em crescimento.

Que seriam
sem ti?

A esperança
sorriu-me…

Nesta aflição
palpita o meu coração;
não quero que partas!

Não quero;
que levem a mim,
tão pronto, eu estou…!

José Manuel Brazão

Momentos da Vida em que nos damos a ELE por quem amamos!

Tu és minha!


Somos
eternos amigos,
companheiros
e amantes!

Sinto-te
a qualquer hora,
em todos os instantes,
neste lindo amor,
como nunca tive!

Amor com desejo,
deixando
para outro momento,
o prazer…

Sentes
a confiança que precisas,
o conforto do meu olhar,
das minhas palavras,
muito nos une,
e tu és minha!

José Manuel Brazão

Marlene Oliveira disse...
Gente, o amor é lindo! E as poesias deste blog também!

A Amizade... um poema!



A amizade,
é uma palavra
que nasceu com Luz,
para iluminar
os que acreditam
e a praticam!

A amizade
é uma palavra
para ser entendida
nos gestos,
nos sentimentos!

A amizade
é uma palavra
para ser vivida
com nobreza!

A amizade
reflecte beleza,
vestindo um poema!

José Manuel Brazão

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Amor calado (vida)


Vivo no silêncio,
a chama deste amor,
amor calado!
Vivo este amor,
com o coração
cheio de paixão.
de angústia,
de sonhos.

Como um pássaro,
voo alto,
não sabendo
até onde vai
este amor,
amor calado!

Desço à Terra,
paro e penso
neste amor intenso:
vejo-a vestida de amor,
linda e elegante,
sorrindo,
por este amor calado,
cheio de palavras,
de gestos e afectos …

José Manuel Brazão

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Jardim do meu encanto


O amor
anda comigo,
no meu pensamento,
como um bálsamo
do meu coração
e da minha vida!

Tenho o meu jardim
sempre florido,
com rosas
dos amores, paixões
pelas mulheres da minha vida!

Existem rebentos
a florescer
como rosinhas,
as rosinhas da minha Vida!

Todos os dias
olho para o jardim
e meus olhos se encantam
vendo em cada flor
uma parte de mim!

Aproximo-me de cada uma
e acarinho, dou amor
e sorrio…

… cada flor
é uma história vivida,
com encanto,
paixão e amor!

O jardim do meu encanto
ficará…
e eu um dia
partirei
com o meu corpo coberto
de pétalas de amor!

José Manuel Brazão

Triste... flor triste!


Passeio
pelo teu jardim,
quando preciso
de repensar
momentos da vida,
onde procuro a razão!

Olho
todas as flores
e lá estás
num canto
feito para ti!

Gostas
de te fechar em ti!

Não aproveitas
o Sol que te ilumina
e assim te chamo:
Triste…
flor triste!

Mas
num destes dias,
venho
Com um carinho,
por este caminho,
paro,
olhas para mim,
sorris
e eu feliz,
não te chamarei:
triste…
flor triste,
mas
a rosa viçosa
do jardim do encanto,
jardim de todos os dias,
que me restam…

José Manuel Brazão

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Vamos Ajudar a Catarina


Olá!
Sou a Catarina Guedes Lopes, tenho 5 meses e preciso de um transplante de medula.
Preciso da vossa AJUDA: divulguem ou sejam voluntários, apenas não fiquem indiferentes!
As condições são: ter entre 18 e 45 anos, mais de 50 Kgse não ter feito nenhuma transfusão de sangue desde 1980.
Se não for para mim, quem sabe o Afonso, a Teresa, ou o Kikopossam ser os felizardos…. Não nos ignorem! A Carmenjá conseguiu!
Hospitais onde se podem dirigir:
Hospital CurryCabral
2ª a 6ª Feira
8.30 -15.31 h
Hospital de Abrantes
3ª e 4ª Feira
9.00 -13.00 h
Hospital de Évora
2ª a 5ª Feira
9.30 -15.00 h
Hospital de Beja
2ª, 3ª, 5ª Feira
9.30 -12.30 h
Hospital de Beja
2ª, 3ª, 5ª Feira
14.30 -16.00 h
Hospital de Portalegre
2ª a 6ª Feira
8.00 -13.00 h
Hospital de Tomar
3ª e 4ª Feira
9.00 -13.00 h
Hospital de Torres Novas
3ª e 4ª Feira
9.00 -13.00 h
Hospital do Barlavento Algarvio
2ª a 5ª Feira
14.00 -15.30 h
Hospital do Litoral Alentejano
3ª e 5ª Feira
9.00 -12.00 h
Hospital Dona Estefânia
2ª a 6ª Feira
9.00 -13.00 h
Hospital Fernando da Fonseca
4ª Feira
8.00 -20.00 h
Hospital Fernando da Fonseca
5ª Feira
8.00 -13.00 h
Instituto Português de Oncologia
2ª a 6ª Feira
9.00 -16.00 h
Serão divulgados, sempre que forem marcados, os locais, datas e horas, onde as Brigadas do Centro de Histocompatibilidadeestarão para recolha de sangue.
Obrigada!
Catarina G L
Contactos:
Vera Guedes: 926815871
Augusta Guedes: 965128993
Laura Guedes Gouveia: 966339229



Beijo solidário de José Manuel Brazão

Perdoa-me (dueto)




Como Poeta vou adaptar o meu poema "Perdoa-me"para a situação de "perdoado" com a colaboração da minha Colega e Amiga a Poeta Isa

Perdoa
este amor assim!

um amor
arrebatador,
sem limites,
mas querendo
teu corpo e tua alma!

Um amor
que sinto
sem saber explicar,
mas apenas viver
com ele
e para ele!
[Porque pedes-me perdão
se este amor tirou-me do chão.]

Um amor
que morrerá comigo,
porque
só eu o entendo,
só eu o sinto
e quero sofrer
Assim…

Não sofras pois esse amor
amou-me tanto que deu-me vida
Perdoe-me por sorver tanto desse amor!


Isa
José Manuel Brazão

Ando triste...!


Uns dias
pareço um Sol,
noutros dias
pareço uma escuridão!

Não sei
como estou assim,
eu, que sou um girassol,
procurando a Luz
e que dou amor sem fim!

A vida é bela,
agarro-me a ela
para não ficar assim:
ando triste
e o amor também!

Mas
quando penso em ti
desaparece a escuridão,
sinto a tua mão amiga,
o teu carinho,
a tua bondade;
não me pedes nada,
nem me dizes
que me amas…
apenas
não me queres triste!

José Manuel Brazão


Um poema para ti, que não me queres triste!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

És o meu sol! - Como um raio de sol


És o meu sol!
Começo o dia
admirando a tua luz!

Vibro com a tua imagem,
que me ilumina e conforta,
para viver mais um dia
do resto da minha vida!

Aproximas-te,
sinto o teu calor
percorrer meu corpo!
Uma sensação agradável,
perturbante
e naquele instante
já não sei
se és o Sol,
se o meu amor!

José Manuel Brazão


Como um raio de sol

Como um raio de sol
Foste o meu eterno aquecer,
O meu e único benquerer.


Como um raio de sol
Surgiste entre as colinas,
Para me deslumbrar, me amar;
Como ato de me refugiar.


Como um raio de sol
Vieste para me proteger.
Se necessário, me socorrer.


Como um raio de sol...
Nasceste para vir ao meu encontro.
É impossível evitar tal pensamento.

Graciele Gessner

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Por ti


Por ti
conquistarei
o Sol, a Lua,
a Vida!

Por ti
serei alegre,
romântico
e generoso!

Por ti
encontrei a Luz,
a paz,
a harmonia,
a serenidade!

Por ti
conquistei a felicidade!

José Manuel Brazão

Dedicado à minha Amiga Marcia Grossi que tocou o meu coração com as suas palavras!
Beijos Marcia


Sabe poeta, não sei os motivos que te levam a tomar essa atitude de nos deixar, mas queria muito que ficasse, que permanecesse aqui para encantar nossos olhos e coração com seus texto, vc me disse num ultimo comentário, não desista... pois então, digo o mesmo,as vezes dá vontade de jogar tudo pro alto, abandonar sonhos, nos trancar dentro de nossa solidão, mas a vida lá fora precisa do brilho que sai da nossa alma, algumas pessoas dependem desse brilho, e seu brilho é intenso, adoro seus blogs, seus textos, e não quero nunca que saia ou deixe de escrever, vc é especial, beijokas...

Marcia Grossi

A quem o dedico só podia ser um poema carinhoso, porque foi das pessoas que nos últimos tempos me fez pensar muito, em 24horas! A minha Vida continua....

Aquele beijo...


Todos os dias
penso em ti,
como se estivesses aqui!

Anseio
por este amor
um amor em palavras,
como se fossem
cartas de amor!

Um dia
neste convívio lindo,
beijámo-nos,
muito…
…sentimos prazer,
olhámos fixamente
e sem palavras
mas com um olhar
de mil palavras!

Aquele beijo
será sempre
aquele beijo…

José Manuel Brazão

Sou tua - Duas vidas distintas


Sou tua

Sou tua
Em noites de lua
Quando as estrelas enfeitam o céu
Sou tua
No mar
A mergulhar nesse amor que aporta em mim
Sou tua
No deserto
Num momento incerto
De amor ou solidão
Sou tua
No teu corpo que minhas mãos percorrem
Sou tua nos segundos
Nos minutos
Nas horas
Sou tua nos beijos
Nos desejos
Sou tua nos sonhos
Na magia
Sou tua poesia...

Marcia Grossi


Duas vidas distintas

Duas vidas
que se encontraram,
para viver uma vida
muito especial,
com amores
de forte convicção!

Duas vidas,
um destino:
duas almas,
que lutam
por um ideal,
uma vida sem igual!

Duas vidas distintas,
Num amor comum!

José Manuel Brazão

Porque te amo tanto?

O amor não se mede, não se explica, não se entende, ele vem nos invade, nos toma a alma e faz morada no coração...

Marcia Grossi

CLIQUE NO TÍTULO


Marcia

Agradeço com emoção o teu gesto de amor
Beijos do

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Por um sorriso que é teu...


Pensas em mim,
sentes-me
e compreendes-me!

Teu olhar,
carinho, ternura,
guardo no meu coração!

Dia
em que não falemos,
não é dia!

Na nossa vida,
não existe noite (escuridão).
Apenas Luz,
muita Luz!

Quando não dormes,
eu acordo.
Quando estás triste,
sinto tristeza!
Quando estás alegre,
sinto muita alegria!

Quando dizes:
Amo-te,
sinto amor,
muito amor…

José Manuel Brazão

Por um sorriso que é teu, na Vida compreendemo-nos!


Tatiana disse...
O sorriso de quem amamos tem o poder de iluminar o dia!
Adorei o poema!
Um beijo carinhoso


Sonia Schmorantz disse...
Se um sorriso por si só já é uma bênção,
imagina o sorriso da pessoa amada...é quase céu.
abraço

Nada melhor que um sorriso de amor
num universo paralelo de sentimentos.
Beijos
Ana Coelho

Tu perdoas...


Perdoa
este amor assim!

um amor
arrebatador,
sem limites,
mas querendo
teu corpo e tua alma!

Um amor
que sinto
sem saber explicar,
mas apenas viver
com ele
e para ele!

Um amor
que morrerá comigo,
porque
só eu o entendo,
só eu o sinto
e quero sofrer
Assim…

José Manuel Brazão

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Eu e tu nos sentimos… tão perto!


Pela janela olho a chuva,
os pingos parecem lágrimas!
Lágrimas da saudade
de não estar junto de ti!

Penso e repenso
a luz que sentiria
ao ver aproximar
o teu corpo do meu!

Abraçar-te, beijar-te,
dizer quanto te amo
e de nãos dadas irmos
até ao lago da paixão!

Lago dos nossos desejos
e prazeres,
dos nossos sonhos
Que viraram realidades,
num tempo
e momentos felizes!

Deixo de olhar a chuva;
continuo só,
apenas pensando…

… eu e tu nos sentimos…
tão perto!

José Manuel Brazão

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Sereia do amor


Sereia do amor

Vejo o mar,
contemplo o horizonte,
penso na natureza,
como é bela a criação
de tudo o que vemos,
sentimos,
damos
e recebemos!

Vejo o mar
contemplo o seu vai-vem,
sinto o seu cheiro
que Inspira o poeta!

Vejo o mar
e penso na minha poesia;
encontro nesse mar
o motivo para um poema,
que me leva àquela mulher,
que será
como sereia do mar,
uma sereia do amor!

José Manuel Brazão

LLEAL disse...
Talvez um dia meus olhos de escritor possam se fechar e eu passe a enxergar as palavras com a visão da alma....como você.


Cria disse...
Uma fascinante composição, verdadeiramente !!


Caro poeta,
Teu poema traz a beleza do cântico ao amor!
Parabéns!
Abraços...
Sulamy

Coração de mulher



Todos te olham,
todos te admiram.
Uns pela beleza exterior,
outros pela beleza interior.
Esta é infindável,
pelo encanto que transmites,
pelo amor que partilhas,
sem nada pedir.
Dar, dar e dar,
que te cria desilusões,
angústias.

Mulher ternurenta,
quase desistes,
pelos teus sonhos;
brotas lágrimas
como se fosse noite.
Atrás de cada noite,
virá um novo dia.

Numa dessas manhãs,
terás um sol nascente,
com tanta luz,
que encontrarás o caminho
que tanto procuras.

Caminho muito iluminado,
pelo teu coração,
coração de mulher.

José Manuel Brazão

A todas as Mulheres que revejam neste poema!

Zé...poeta do amor!

Sempre a pensar nos outros meu querido amigo!
Gostei imenso deste poema... está sublime!

Beijo meu.
Maria Valadas

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Confessa!


Nasceu este amor
como gratidão ao Sol!

Iluminou
nossas almas
que andavam desavindas.

Cresce este amor,
entre lágrimas
e sorrisos.
Dei-me todo
a esta paixão,
que não pára
neste palpitante coração!

Choras,
porque o desejas,
mas …
Vestes o silêncio
e amas …

Guardas para ti
este amor,
esta loucura,
esta paixão!

José Manuel Brazão

Ternura


Quando te ouço,
sinto a doçura
das tuas palavras,
a ternura
dos teus gestos.

Meiga, generosa,
afável.
Chegas e tratas-me
com amor;
Olho para os teus carinhos
e vejo a vida com esplendor!

Partes,
acenas-me,
começa a saudade,
até à próxima vez…

José Manuel Brazão

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Que vida...? ... e fez-se Luz!


Vida que vivi
e não desejava!

Uma vida
no tempo disfarçando,
como se tudo estivesse bem!

No silêncio
vivendo a verdade,
amarga,
muito amarga,
mas resignando
às desventuras,
pensando no sofrimento,
muito sofrimento,
de outros…

Cansado, penso que o caminho
se desviou de mim
e não tenho a quem perguntar:
para onde vou?

Sei
quantas pedras desviei,
sei
quantas lutas travei,
mas não sei,
porque o amor se esconde.

Tem vergonha de mim?

Penso que não!

Terei dado
a quem não merecia?

Talvez!
Mas não me arrependo,
porque o amor dá-se
e não se retira!

O amor reacendeu
no meu coração!

Apareceste como um Anjo
que procurava!
Fez-se Luz…
Minha Vida te sorri…

José Manuel Brazão

Um poema que marca no tempo duas Vidas para sempre (Tu e Eu)!