**

**

Outros Blogs do meu grupo:

*

*

domingo, 31 de janeiro de 2010

Sinto-me só, mas...!


Sinto-me só,
mas eu compreendo;
sofrendo!
deixa-me sinais no meu corpo,
na minha mente.
Por vezes inquietante
e outras angustiante.
Fecho os olhos:
medito e recordo
o passado pouco distante,
vejo as imagens
dos amados que partiram;
vejo as imagens
dos amados que ficaram.
Nesse instante
não me sinto só,
Mas…!

Mas preciso de viver,
amando e ser amado,
por aqueles que pairam
comigo neste cativeiro terreno
e pelos outros que já pairam
ainda sem mim,
num mundo mais feliz!

Assim sente:
meu corpo e minha mente!

José Manuel Brazão

Fechar os olhar e acreditar, é fundamental para seguir em frente... no que acreditamos e que está dentro de cada um de nós.
Um beijo
Chris


Re: Sinto-me só, mas...!
Faltam-me as palavras para descrever o que senti ao ler este belo e triste poema!

Porque sinto que foi escrito com a tinta da verdade absoluta!

Bom Domingo..meu poeta de sonho.

Beijos, Zé!
Maria Valadas


Lindo poema, chorei ao lê-lo pois me identifiquei com ele.

Um abraço tropical

Leta

Amor solitário!


Amo-te
solitário no meu viver!
Não importa se me amas,
se ainda me amas!

Amor
trás sofrimento,
não lamento.
Apenas relembro
para matar a saudade
da minha entrega
sem nada te pedir!

Apenas
sereno a alma,
de dar tudo
que existia em mim!

Paixão,
compreensão!

Que restou:
um corpo com
as marcas do amor
que levarão tempo
para desvanecerem…

O que ficará…
… um amor solitário!

José Manuel Brazão

Jhacy disse...
Lindo poema!!!
Sinto na pele e no coração o que quer dizer.
bjs.

sábado, 30 de janeiro de 2010

Amigos!


Caminho, caminho,
cada vez mais só!
Penso e sinto,
que poucos me restam,
neste plano terreno.
Quero estar sereno,
mas não consigo.

Apenas me anima,
que os poucos,
valem mais que muitos!

Quando o caminho chegar ao fim,
esperem por mim.
Eu também esperarei por vós
e nesse mundo diferente,
estaremos atentos,
com a alma presente,
naqueles que não perdoam,
não toleram,
não se humilham,
nem sabem,
se gostam de si próprios.
Apenas se arrogam,
se toleram
e se perdoam.
Temos de nos amar,
para os outros:
amar, tolerar e perdoar!
Já não passo sem vós
e sem ti…!

José Manuel Brazão

Lindo poema.Acho que o amor é sempre amigo e que não há amizade que resista sem amor.
Karla Bardanza

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

A minha vida anoitece...


Sinto a nudez da noite,
que esfria a minha alma!

Sinto a noite perdida
entre sonhos
e imagens reais!

Sinto a noite esquecida
de outras noites belas,
de encanto, paixão,
amor,
muito amor!

Sinto a noite pervertida
causando dor
que mal aguento,
me entristece,
perdendo a alegria
que me fazia viver!

Sinto a noite
mais noite,
a minha vida anoitece…
… e não sei se amanhece!

José Manuel Brazão

Tatiana disse...
Vai amanhecer...

E quando anoitecer novamente
Seu coração estará mais contente!

Um beijo carinhoso

Os meus silêncios


Existem em mim silêncios;
com um sinto-me bem,
com o outro lido mal.
O silêncio que me rodeia,
perturba-me:
pelo desapego,
pela indiferença
e quase
pela não existência.

Mas eu existo!

Enquanto não descobrirem:
quem sou,
porque sou
e para o que vim,
com este silêncio lidarei mal.

Conforto a minha existência
com o outro silêncio,
o silêncio interior!

Aí se juntam o amor e o coração,
havendo sintonia,
com outros seres de Luz,
que provocam em mim,
com persistência,
paz e harmonia.

Nem que seja por instantes,
alimenta-me a Alma;
ganho forças para continuar,
o meu Caminho,
este longo Caminho …

José Manuel Brazão

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Renascer


Nasci
para um caminho.

Cresci
a percorrê-lo
parando
aqui e acolá,
pensando
na linha da vida!

Vivi
entre hesitações,
sensações
e tentações!

Vivo
numa curva do caminho,
procurando meu destino,
sempre
com o olhar
em quem passa,
nos que vou conhecendo:
que me acarinham,
me sorriem
e nos que me amam!

Renascerei
para ser melhor,
do que fui ontem…

José Manuel Brazão

Cria disse...
Sempre bom estar aqui, meu carinho, Poeta !

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Viagem virtual pelo mosteiro dos jerónimos




Clique sobre o Titulo

Vejo-te distante...


Tão perto já estivemos,
mas vejo-te distante,
não sei,
mas sinto!

Dou-te
o amor que posso,
sem pedir nada!

Apenas
que sejas generosa,
que me acompanhes
nesta vida ruinosa,
em que o ar que respiro
é o que me resta!

Apenas
que compreendas
um homem de amor,
que te vê
para além do desejo
e do prazer!

Mas
vejo-te distante …

José Manuel Brazão

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

TU e EU somos UM! e Sou tua e tu és meu!



TU e EU somos UM!

Amo-te
e não liberto
esta paixão
que não abandona
o meu coração!

Amas-me
e não libertas
essa paixão
que não abandona
o teu coração!

Tu e eu
somos um,
na paixão
e no amor!

José Manuel Brazão



Sou tua e tu és meu!

Um pertence ao outro
Não há nada a esconder
Na entrega total
Doam-se ao prazer

Ambos tornam-se um só
Uma só vontade
Um só anseio
E uma só verdade

A verdade do amor
Do puro desejo
E da paixão

Sou tua e tu és meu
Mesmo sem nenhuma palavra dizer
Reconheço-te por um simples olhar
Decifro teus anseios em cada toque

Desvendo-te
Amo-te
Loucamente

E assim nos entregamos
Eu e você

Dois corpos e um só coração
Duas vidas e um só destino
Almas enamoradas
Que se reencontram
E mais uma vez se apaixonam.

Nanda salles

Zé,
gosto dessa vossa interligação poética.
Nanda Esteves

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

A beleza


Chegas!
Todos te olham,
todos te admiram.
Olho e fixo a tua imagem,
vejo a sala com mais luz.
Olhas e vês que te olho;
ficas tímida e todos riem.
Havia empatia,
sem sabermos a que se devia.
Hoje sabemos!
Eram as energias em sintonia.
Ias embora e a sala perdia luz.

Amavas!
Farta de amor solitário,
procurando na liberdade,
a felicidade,
partiste, abruptamente,
para esse mundo mais feliz!
Senti dor, muita dor.
Tinha perdido a tua beleza,
o teu aroma especial,
perfume natural:
essência de rosas.
As minhas palavras
ficam molhadas,
das lágrimas que me correm;
lágrimas de alegria
pela tua felicidade
e pela tua serenidade.
Fecho os olhos:
vejo-te vestida de rosas,
não importa a cor.
São rosas!

Abro os olhos
e parece que sonho:
vejo o meu poema
coberto de rosas;
de amor por ti,
eternamente …

José Manuel Brazão



Dedico à minha saudosa Amiga Migui que certamente está rodeada de Luz, muita Luz!
Assim seja
Beijos na Alma
do

Chegará o teu amanhecer e Amanheceu dentro de mim


Chegará o teu amanhcer

Há muito tempo
que vejo o Sol nascer…
Já nem me lembro
quando foi…!

Nem sempre
ele me sorri,
por vezes
parece cinzentão,
mas quase sempre,
brilha e aquece
o meu coração!

Tu
minha alma querida,
ficas triste,
muito sofrida,
incompreendida!

O teu amanhecer,
nem sempre é igual.
Ficas temerosa
pelas tuas rosas,
rosas brancas
a florescerem,
cada qual a mais viçosa,
que te aliviam os momentos
que o destino traçou…

Eu
com fé inabalável,
vejo mais perto
o teu desejado Sol;
Sereno,
digo-te:
amor da minha vida,
chegará o teu amanhecer!

E aí
tu
e as tuas rosas brancas,
verão o Sol raiar,
como nunca viram!

Vossas vidas
estarão nas mãos Deus…

E eu
distante mas próximo,
verei e sorrirei
para a vossa vida,
quando esse amanhecer chegar!

José Manuel Brazão



Amanheceu dentro de mim

Era noite dentro de mim
Um imenso vazio, um nada, uma solidão sem fim
Era noite dentro de mim
Noite sem estrela, sem lua
Eu vivia em uma escuridão profunda

Foi então que vi a tua luz
Luz que iluminou meu mundo
És o sol que faltava para iluminar minha vida
Não vivo mais na escuridão
O vazio que havia em mim foi inundado de amor
A solidão que me fazia chorar
Foi por ti transformada em pura paixão
Nos teus braços me encontrei
Revivi
Renasci
Tudo iluminou
O meu dia raiou
A eterna e solitária noite teve um fim
Amanheceu dentro de mim!

Nanda Salles

Dois poemas lindos que despertam do íntimo a nossa mais pura emoção.
Ambos estão de Parabéns!
Um abraço carinhoso
Tatiana

domingo, 24 de janeiro de 2010

És o meu luar!


És o meu luar
em plena luz do dia!

A minha paixão
é evidente
e persistente.
Não a evito,
não a oculto.

Vivo-a com vigor,
alegria,
muita alegria,
percorre o meu corpo,
caminhando
para um grande amor!

Numa noite
vimos estrelas no céu,
contemplámos,
olhámo-nos
e vi em ti
que eras o meu luar,
com luz cintilante,
luz muito brilhante,
como em pleno dia!

Não esquecerei
que nessa noite.
uma mulher encontrei,
que é o meu luar,
quer seja noite
ou dia …

José Manuel Brazão


O poeta sempre nos encanta com essa forma única de versejar que tanto agrada e contenta! Parabéns pela bela composição!
Aquele abraço, amigo! GYL

Morrer por amor




O amor sentido
por mim
não se explica,
sente-se…

Penso
nas tuas palavras
de encanto,
paixão e amor!

Preciso de ti
sem limites,
hesitações
ou recuos!

És o meu amor,
amor da minha vida!

És o meu amor,
que por ti daria vida!

És o meu amor.
que por ti,
estou preparado
a morrer por amor!

José Manuel Brazão

Quando e Quando partires...



Quando

Quando eu não mais existir

Procure-me nas flores

Eu serei o doce perfume que delas emana suave aroma

Quando eu não mais existir

Procure-me na chuva

Eu serei a água
Que molha seu corpo para te refrescar

Quando eu não mais existir

Procure-me em você mesmo

Eu serei a doce lembrança de um lindo e verdadeiro amor

Quando eu não mais existir

Procure-me na lua

Eu serei aquela que te ilumina
e fascina em noites de solidão

Quando eu não mais existir

Procure-me nas ondas

Eu serei aquela que vem bater na areia para dizer

Sempre estarei contigo porque

Ainda Te Amo!!!

Nanda Salles



Quando partires...

Queres partir,
mas dizes com nostalgia.
Uso o espanto,
provoco o silêncio.

Penso
e compreendo!

Esse não era o caminho;
outro haverá!
Procura e luta.

Nada acontece por magia,
a Luz virá:
... quando partires
deixa-me o teu rasto …

José Manuel Brazão

Sonhadora disse...
Lindos poemas...feitos magia nas belas frases.

Sonhadora


Belo dueto entre dois poetas!

Nada acontece por acaso meu amigo.
Um dia a tua "luz", virá.
Beijos aos dois, Nanda e Zé

Maria Valadas

Sempre trabalhámos muito bem em conjunto!

Os nossos estilos e pensamentos interligam-se!

Beijos do ZÉ

sábado, 23 de janeiro de 2010

Como é bela a nossa Vida!


Como a Vida é bela,
quando nos juntamos:
o Sol brilha
e ficas uma princesa,
uma princesa do sol!

Os teus olhos brilham,
os lábios sorriem,
teus braços se alongam!

Vivemos paz de verdade,
agradecemos a Ele,
fortalecer esta Amizade,
com raízes de amor
que não nos abandona,
deixando em nós
a esperança
que o destino passa por nós!

José Manuel Brazão

Estou vivo... para continuar a amar-te!


Cada vez
te amo mais!

És o Sol,
O Céu, a Lua,
a natureza
no seu esplendor!

Um amor
Que envolve minha Vida,
Com alegrias
E tristezas
Momentos felizes
E sorrisos
De paixão e amor,
Com um coração que me diz:

Estou vivo…
para continuar a amar-te!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Nunca nos esqueceremos


Recordo o dia
que nos conhecemos,
como se fosse o presente!

Amanheceu em nós
um Sol
que nos iluminou
e virou
um grande amor!

Vivido
com sonhos,
realidades
que marcam
as nossas Vidas!

Um mar imenso
entre nós,
mas sentimos
a chama,
o encanto
desse amor!

E o futuro
Vai unir-nos
para sempre juntos
vivermos esta Amizade,
muito nossa,
que ninguém roubará,
e perdurará
para além da Vida!

Nunca nos separaremos,
nunca nos esqueceremos!

José Manuel Brazão

Mariazita Caiano Uma amizade assim consegue rivalizar com o Amor.Bjs

Rosangela Colares Está tão lindo o poema.
Tudo que se escreve com o coração fica tão bonito.
Beijo


Sonia Schmorantz disse...
Quando se fala assim, com o coração, o resultado só pode ser bom, só pode ser bonito!
abraço

Amor por ti


Amo-te
e sempre te amarei!

Somos
um para o outro!
Tu mulher de paixão
eu suando amor,
dá um grande amor!

Vivemos este amor
em nossos silêncios,
com sofrimentos,
com lutas interiores,
mas com corações
entregues a este amor,
arrebatador,
lindo e profundo!

Sofres muito
por mim!
Vês duas pombas a voar
e acenas para a favorita!

A da Paz!

Já poisou
muitas vezes no teu ombro
e tu choras
por tanto carinho
e por não a levares contigo!

Sabes
que ela voltará
todos os dias,
à mesma hora
e aparece a tua alegria
dum amor vivido,
conquistado!

Continuamos
os nossos silêncios,
sempre com saudade,
até ao momento
em que este amor,
será amor eterno …

José Manuel Brazão

Na luz do teu olhar e Teus olhos



Na luz do teu olhar

Teus olhos revelam coisas…
Que minh`alma teima em ocultar
Ao olhá-los de tão perto me entrego
Nada escondo
E não tenho como esconder
Porque eles decifram o que se passa
Aqui
Bem dentro do meu ser...
Doce e amado anjo
Quando olho teus olhos me sinto mais viva
Preenchida por um imenso e devastador
Amor
Um sentimento tão forte capaz de curar-me de toda dor...
ah....esses olhos…
Qual diamantes azuis
mui raros
daria tudo para eternamente os poder olhar
ver o brilho que me arrepia
me fascina
e me embriaga...
Como o sedento que procura o oásis no deserto
Eu procuro teus olhos olhar
para a sede de meu coração saciar..

Saciar minha sede ao olhar
Na imensidão do mar do teu olhar..
Quando tu me olhas
Nos teu olhos tenho uma visão do céu...
Quanto tempo terei que esperar?
Para novamente meu anjo encontrar
Não aguento um dia sem a tua companhia
sem os olhos teus me sinto sem nada por dentro vazia
Qual sepulcro caiado
tento manter as aparências
que na tua ausência se tornam vãs.

NANDA Salles



Teus olhos

Teus olhos
me fascinam,
me encantam!

Teus olhos
falantes,
estonteantes,
sorriem
e essa cor verde,
cria em mim
a esperança
do nosso bom viver!

Teus olhos
são mesmo
o espelho da tua alma!

Eles reflectem
bondade,
generosidade,
amor,
muito amor!

Com uns olhos assim,
quem resiste a dizer:
que bom, seres
o amor da minha Vida!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Amigos para a eternidade (Laços de amor)!


Recordo este caminho,
de mãos dadas,
sorrindo,
felizes à nossa maneira,
entre alegrias
e tristezas,
vivemos cada dia,
como o nascer do sol!

De mãos dadas,
fortalecemos esta amizade,
linda, verdadeira,
que faz de nós
amigos para a eternidade!

José Manuel Brazão
Dedico em especial a Nanda Salles

Uma amizade assim, «linda, verdadeira» é uma pérola rara. Deve ser alimentada com muitas rosas, compreensão e dádiva. Também quero! Kikas

Para que vou dizer??? e Pudesse eu escrever...


Para que vou dizer???

Pra que vou dizer
Que amo você?

Pra que vou dizer eu te amo,
Se tu ainda podes sentir
O meu imenso desejo de tocar tua pele
E as ondas do meu espírito percorrem teu corpo,
Transportando a mensagem,
Comovendo tua alma
Despertando a ternura do amor
transformado em lágrimas,
De alegria,
De prazer.

Pra que vou dizer eu te amo,
Se eu choro toda vez que me tomas em teu colo,
Confusa pela emoção de poder te tocar
E não saber explicar,
Esse abraço do céu.

Pra que vou dizer eu te amo,
Se ao toque de teus beijos,
Minha razão perde o controle,
Sendo meu corpo percorrido
Pelo arrepio estremecido do prazer.

Pra que vou dizer eu te amo,
Se minha alma chama a tua,
Toda vez que sinto saudades,
E tu o sabes,
Pois não pode evitar.

Pra que vou dizer eu te amo,
Se noventa por cento das músicas do mundo,
Já o fazem por mim.

Pra que vou dizer eu te amo,
Se a lua sabe de tudo,
Pois percebeu,
Enquanto eu a contemplo,
Chorando sua falta,
Nesses momentos em que tu se fazes ausente.

Pra que vou dizer eu te amo,
Se a aura da alegria que me envolve,
Só brilha quando enxergo teu sorriso.

Pra que vou dizer eu te amo,
Se tu dominas minha vida,
E me fazes ardentemente desejar
Ser tua escrava,
Servindo a ti na taça de meu coração,
O mais puro licor do amor.

Pra que vou dizer eu te amo?
Apenas para o mundo apreciar?
Pois teu corpo,
Espírito
E alma
Já o sabem.

Mas ainda assim
Eu vou dizer!
Para não restarem duvidas!
Eu te Amo!
Porque tu nasceste pra mim,
E eu,
Nasci pra você!

Nanda Salles



Pudesse eu escrever...

Escrevi,
escrevi muito.

Palavras sem conta;
umas levou-as o vento,
outras andam por aí,
quem sabe…
guardadas em corações,
nalgumas emoções!

Nem tudo escrevi
nem tudo escreverei,
mas o que existe,
é Verdade,
só Verdade!

Pudesse eu escrever,
tudo o que sinto,
tudo o que eu amo …

José Manuel Brazão

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Percurso de Vida


Caminho longo
percorrido
com obstáculos
que superei,
uns por mim
e outros ajudado!

Por quem?
Alguém!

No caminho longo
encontrei de tudo,
coisas boas e más.
Pessoas
que me davam a mão,
pessoas
que me traziam no coração,
mas ele era artificial!

Uns
ficaram para sempre.
Outros
ficaram pelo caminho!

Eu
continuo o percurso,
caminho longo…

José Manuel Brazão

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O Poeta e as Rosas e A Mulher e a Rosa


O Poeta e as Rosas

Lindo pomar de rosas
Que te dedicas a cuidar
Cuidas da terra com todo carinho
Com todo amor que em teu peito há.

Ah se estas mesmas rosas pudessem falar...
Diriam que por vezes choras
Ao contemplar o sol se ausentar.
Segredariam entre si as lágrimas que derramas
Revelariam a todos o nome da mulher que amas…

Mas as rosas não falam e tampouco sabem poetar
As rosas somente exalam
Suas tristezas
Suas alegrias.
Exalam sim
Por todo o lugar
O imenso e solitário amor
Que tentas ocultar.

Não seriam estas mesmas rosas
Oh poeta, a sua mais linda e singela inspiração?
Rosas geradas
Cultivadas
Com a mais bela poesia que injectas
No pomar do teu coração.

Nanda Salles


A Mulher e a Rosa

Olhando uma rosa,
vejo uma mulher!

Acariciando uma rosa,
acarinho uma mulher!

Tratando de uma rosa,
dou estimulo a uma mulher!

Admirando as pétalas de uma rosa,
dou pétalas de amor a uma mulher!

A mulher e a rosa
são a beleza
oferecidas pela Natureza!

José Manuel Brazão

Uma grande Amiga, a Psiquê enviou-me a seguinte mensagem

Você é como um jardineiro
Tem muitas flores
varias cores
Rosas brancas,vermelhas,rosa e amarela em especial
Seu jardim é repleto de rosas e os perfumes se misturam
criando a mais exótica fragrância, e seus poemas são alimento e luz
para suas rosas, obrigada querido jardineiro por cuidar tão bem de nós
Suas Rosas!
beijos no seu coração!

Alegria voltou para mim!


A alegria
minha companheira
de tantos anos,
de repente
zangou-se comigo!

Não sei
o que lhe deu,
nem tão pouco
o que lhe fiz!

Não a estimei?
Talvez!

Cansei
de disfarçar,
muitos obstáculos,
que ultrapassei!

O disfarce
desgastou-me
e as forças
foram gastas
e não recuperadas!

Não é tarde!

Saberei
procurá-la,
acarinhá-la
e trazê-la
de novo para mim!

Afinal,
quem estava zangado?

Eu…!

Mas já não estou!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

O companheiro


Vi junto à janela,
uma mulher só:
bonita e esbelta!
Junto de si,
uma taça de vinho,
que lhe fazia companhia!
A taça elevava
e os lábios molhava;
juntava de novo
os lábios que seduziam!
Olhava em redor e sorria.
Todos viam o gesto,
gesto sensual,
destes lábios sensuais.
Notei
que os olhos brilhavam,
tal como os lábios;
e aumentava a sua beleza.
Porque seria o vinho,
a sua companhia?
Para uns:
alivia a tristeza!
Para outros:
aumenta a alegria.
Coisas da mãe natureza:
a vinha e o vinho!

José Manuel Brazão

Desilusão


Se tenho desilusão,
já tive ilusão!

Ilusão
como um homem
que se dá,
usa boa fé,
sorriem-lhe,
é bestial,
e outras coisas tal!

No fim
olho à minha volta;
uns tantos sinceros,
outros simpáticos,
e o resto:
indiferentes
que respeito,
apenas respeito!

Serei sempre o mesmo,
com ilusões
ou desilusões!

José Manuel Brazão

Novos caminhos, mas sempre juntos!


Neste grande amor,
vivem-se momentos
de paz e harmonia,
que avivam
nossos sentimentos!

Tivemos
lições de vida,
amor distante,
mas sempre próximo:
tu aqui
e eu aí!

Sentimo-nos!

Viste Luz,
eu serenidade
e caminhamos juntos!

Em missões diferentes,
mas sempre,
sempre juntos,
nos afectos,
nos carinhos
e nas saudades!

Momentos vividos
e não esquecidos,
que constroem
laços de amor!

Tu aí,
eu aqui
e depois…
… para além
da nossa existência!

José Manuel Brazão


Acreditamos


Um amor como o nosso
é sempre possível!

Acreditamos no viver
que existe em nós,
que sentimos o raiar do Sol,
a luz sorridente da Lua,
a paz, a harmonia,
que trouxe este amor!

Amor impossível?

Nunca este amor
foi tão forte,
com chama,
com ajuda entre nós,
nesta união saudável
de encanto,
muito encanto,
em que acreditamos…

José Manuel Brazão

Celina Vasques belissimo teu poema querido ZéPoeta!
amei voce diz as verdades que eu penso em frases lindas e poéticas!
Obrigada por existir e ser meu amigo!
Te gosto demais!beijos meus!

domingo, 17 de janeiro de 2010

Apenas isto!


No teu acordar
em cada amanhecer,
estou junto de ti!

Desejas sentir
que não te abandono
e eu não abandonarei!

Vivo
cada momento
da nossa vida
como se fosse o último!

Vives
cada momento
como o primeiro
de muitos que hão-de vir!

Que queres de mim?

Dizes-me
com palavras sentidas,
com a voz do teu coração:

apenas isto;
carinho,
compreensão,
amor
e amor!

José Manuel Brazão

Teus olhos e teus lábios



Teus olhos!

Teus olhos
me fascinam,
me encantam!

Teus olhos
falantes,
estonteantes,
sorriem
e essa cor verde,
cria em mim
a esperança
do nosso bom viver!

Teus olhos
são mesmo
o espelho da tua alma!

Eles reflectem
bondade,
generosidade,
amor,
muito amor!

Com uns olhos assim,
quem resiste a dizer:
que bom, que fosses
o amor da minha Vida!




Teus lábios

Os lábios de uma mulher,
requintam o amor!

Olho para ti
e vejo os teus lábios
colorirem tua beleza.
Procuro neles
as palavras tímidas,
mas carinhosas,
sinceras
e sonhadoras.

Teus lábios
inspiram muito amor,
para receberes
e para dares…

Teus lábios
juntam-se aos meus
e voamos
com as asas do amor!

José Manuel Brazão

sábado, 16 de janeiro de 2010

Momentos



Estou aqui,
mas por momentos,
saio, voo,
procuro novos caminhos,
novas mentes,
novas ideias.
Paro
e contemplo o horizonte,
parece-me infinito!
Não vejo ninguém,
mas sinto alguém!
É o amor
que não me deixa
e partilho-o:
com quem encontro;
uns sorriem,
outros perturbam-se!
Reflexos:
dum mundo distraído,
egoísta,
de costas voltadas,
com poucos guerreiros,
na luta dum mundo melhor!
São momentos,
para a minha esperança.
De tristeza,
mas com a certeza,
que sou um dos guerreiros …

José Manuel Brazão

Maria: uma princesa da Vida!


A minha vida está recheada de pessoas, que são um sustentáculo da minha vivência com uma força interior, que não sei explicar como desejava!

Entre essas pessoas existe uma Maria, que conheci recentemente, mas parece-me já a conhecer há muito…

Já tivemos várias e longas conversas onde falámos da Vida e da Poesia!

Na Vida, encontrei uma Mulher com sentimentos fortes de humildade, de respeito pelos outros, de gratidão e de solidariedade.

Na Poesia, vejo uma Mulher que veste as suas palavras com ternura, amor, nostalgia e saudade.

Maria, uma Mulher que desde o início merece a minha admiração e em que as minhas palavras não bastam para a definir!

O que interessa é que tudo o que escrevi, foi ditado pela voz do meu coração sobre esta Maria: uma princesa da Vida!

José Manuel Brazão

Um texto sobre Maria Valadas

Deixas-me indefesa nesta minha humildade.

Obrigada, meu querido amigo pelo teu generoso coração.

Bem Hajas!
Beijos.
Maria

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Saber amar!



Na vida existe amor: usado, maltratado e respeitado!

Não basta dizer: te amo!

Ambos necessitam de saber amar, com entrega incondicional,
descobrindo as características do homem e da mulher.

Todos somos diferentes e não podemos pedir comportamentos semelhantes, mas a aproximação dos pontos comuns que originam estabilidade e serenidade suficientes para uma vivência sã!

Ao longo de anos a convivência muitos casais ainda está por descobrir; não se conheceram o suficiente e daí nascem as inevitáveis divergências e por vezes tornam-se irreversíveis!

Ficam esquecidos sentimentos como a sensatez, a tolerância, a humildade e herdados do passado, princípios que levem à fusão destes sentimentos que enriquecerão o amor!

Saber amar, está longe de nós nos convencermos que é um dado adquirido!

Neste mundo distraído e distante, se quisermos vislumbrar momentos felizes, não podemos alhear de factores que menosprezamos, mas são fundamentais para a nossa Vida e para o futuro dos nossos seguidores como sejam: os Filhos!

E citando Dalai Lama: “A vida sem amor não tem sentido”!

Saber amar é uma aprendizagem; depois pratique-a!

José Manuel Brazão

Serena Flor disse...
Eu acredito realmente que é isto que está faltando neste mundo sabia?
Se soubéssemos amar mais o nosso semelhante, não existiriam tantas guerras e tanto ódio.
Lindo texto meu querido. Beijos e bom dia pra você.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

És um homem feito poema!


Poesia,
fascínio e magia!

Como te adoro
e serás eterna,
no meu escrever
e no meu viver!

Poemas
que afastaram
os meus dilemas,
renovaram
a minha alma,
confirmaram
o meu amor
e já não passo
sem ti:
Poesia!

Neste amor
pelo mundo da Poesia,
sinto e dizem-me,
és um homem feito poema!

José Manuel Brazão

Dedicado aos Poetas e em especial a Maria Valadas
Que me chamou “És um homem feito poema”.


Visitante disse...
A poesia é mãe de momentos assim! Em momentos assim a poesia ganha força e abraça quantos filhos queiram nascer. Filhos podem ser.... poemas, poetas, almas que saboreiam poesia. Poesia é alma que não para e se debruça sobre todos os que a queiram ter e oferecer. Aqui houve essa troca.

O teu silêncio



Passa o tempo
e o teu silêncio
abraçado à dor,
por um amor
sonhado,
desejado
e vivido na sombra
das nossas almas!

Amor
que a Lua sorri
em noites de luar!

Luar
que aumenta a paixão
o desejo
a libertação
de um amor
que existe
nas nossas mentes,
que será eterno,
Aqui e Além!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Eu queria ser luar!



Noites de luar
clamam paixões,
umas sentidas,
outras vividas.
As noites de luar
parecem iluminadas,
intensas,
dramatizadas.
Paixão
é apenas paixão.
Quando acaba o luar,
tudo acaba.
Onde pára a paixão?
À espera de outro luar
para criar ilusões
e desilusões.
Eu queria ser Luar
para inspirar amor,
em vez de paixão …

José Manuel Brazão

O teu olhar


Admiro o teu olhar.
fixo os meus olhos
nos teus…
pensas na vida.
nos sonhos que te invadem,
nas ilusões que tiveste,
nos dramas que esqueceste.

Os teus olhos
procuram os meus gestos,
a minha alegria de viver,
os meus mimos …

Sorris
e os lábios mexem,
com palavras de encanto,
tornando-os sensuais,
desejados
por um amor sofrido,
por um amor contido.

José Manuel Brazão

Aquele sorriso...

Aquele sorriso
pensava que fosse meu;
ela não mo deu,
mas ficou em mim.

Deu-me
o seu carinho,
a sua afeição,
que florescem
dia após dia,
com vidas,
que nos aproximam
e nos deixam felizes
com este viver!

Não recuaremos
e continuaremos
este caminho
com a nossa convicção
e determinação!

Assim será!

José Manuel Brazão

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Chave da Vida


Ninguém
é dono de nada.
Nem de si
nem da Vida!

Caminhamos,
vagueamos,
por este
e aquele caminho,
mas
quando paramos,
encontramos
muitas portas,
procuramos a nossa,
parecem todas iguais!

Mas há uma,
com muita Luz;
aproximamos dela,
procuramos a chave,
não a encontramos!

Como entramos?

É Ele que tem a chave,
a chave da Vida…

José Manuel Brazão

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

O nó... que desatei!


Existia um nó,
muito apertado,
que enlaçava a vida,
a minha vida!

Desfeito o nó,
respiro a vida
com outro fôlego,
com outro olhar,
sorriso aberto,
coração renovado!

Com nó
ou sem nó,
mantive princípios,
sentimentos
e o amor,
amor intocável!

Existem nós
que asfixiam,
mas não matam!

Chegou a hora de voar!

José Manuel Brazão